em

Aronofsky gostaria de reeditar A Fonte da Vida

O pessoal do MTV Movies Blog esteve com Darren Aronofsky e Mickey Rourke falando sobre The Wrestler, porém em meio a conversa Aronofsky disse que gostaria de revisitar A Fonte da Vida (The Fountain), seu projeto mais ousado até o momento.

“Não sei uma “versão do diretor”, seria algo mais como uma história alternativa utilizando as cenas que firam de fora da primeira versão. Seria um projeto complicado em diferentes níveis, acredito portanto que esteja a alguns anos distante.”

A história do filme A Fonte da Vida teve inicio em 1999, quando Aronofsky ficou maravilhado com Matrix e decidiu produzir um filme de ficção científica também, porém somente em 2001 – após Requiem para um Sonho – que o diretor conseguiu apresentar sua idéia para a Warner, o passo seguinte foi a relutante adesão de Brad Pitt como protagonista já que o papel havia sido escrito para ele. Entusiasmado com o projeto, o diretor prometia que o filme daria mais um passo nos filmes de ficção, assim como Star Wars e Matrix fizeram anteriormente. Tudo ia bem na pré-produção, Aronofsky conseguiu que a Regency Pictures co-financiasse o projeto e Cate Blanchett aceitou protagonizar o filme com Pitt, porém algumas semanas antes das filmagens começarem Brad Pitt largou o projeto pois as modificações no roteiro por ele solicitadas não foram atendidas (Pitt foi participar de Tróia). Aronofsky então buscou o ator Russel Crowe, mas este já estava envolvido com o Mestre dos Mares e recusou o papel, assim a Warner cancelou o projeto após ter gasto 18 milhões de dólares na pré-produção.

Em 2004 alguém da Warner decidiu que Hugh Jackman, grande sucesso como Wolverine na Fox, seria o nome ideal para o filme de Aronofsky e resgataram a produção, porém o orçamento deveria ser de apenas 35 milhões, o que dentro da realidade do filme se tornou uma tarefa quase impossível. Felizmente a belíssima Rachel Weiz adotou o projeto no lugar de Cate Blanchet e após as filmagens serem transferidas para o Canadá, o filme começou a ser rodado. Só para dar noção de como o filme precisou ser modificado devido ao orçamento, a cena da morte de Jackman originalmente possuía flores e borboletas saindo do corpo igual na tradição Maia, porém como não havia dinheiro para a computação gráfica Aronofsky foi obrigado a trabalhar somente com uma montagem de flores.

Claro que nada disso tira a beleza do filme, porém ao meu ver justifica uma versão alternativa num futuro não tão distante, projetando a produção com todo potêncial latente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário