em

Bastante atraente, "Caçadores de Obras-Primas" desvenda um outro pedaço da história

Vermeer, Picasso, Monet, Michelangelo, todos são artistas mundialmente conhecidos e tem em suas obras milhões de fãs ao redor do mundo. Um deles, foi uma pessoa muito conhecida dos livros de História, ninguém menos que Adolf Hitler. Tendo sido um pintor amador em seus tempos de jovem na Áustria, Hitler foi rejeitado, pois suas pinturas não eram consideradas boas o suficiente. Ao se erguer como Führer e determinar uma Nação Alemã, ele traçou vários objetivos, um deles era ter seu próprio museu. Mas, se ele não era um bom pintor, com o que exatamente iria preencher esse museu? Muito simples. Saqueando outros museus, assim como igrejas, colecionadores particulares e quem mais tivesse algo que ele desejasse. Quando a Guerra por fim estourou, milhares e milhares de obras e esculturas estavam desaparecidas. E quem é que iria se preocupar em resgatá-las, quando centenas de pessoas morriam todos os dias? Para isso foi montado um grupo de homens, militares que já estavam há um bom tempo longe do serviço, mas que eram curadores, restauradores, arquitetos, ou seja, especialistas na área que pudessem encontrar e identificar as obras, além de retorná-las para seus locais de origem. Eles eram chamados de “Caçadores de Obras-Primas” no original “The Monuments Men”.

The-Monuments-Men

O historiador Frank Stokes (George Clooney) apresenta seu caso para o President Roosevelt e consegue que ele aceite a missão. Resta a Frank agora, reunir os homens certos para o trabalho e ele decide começar com o curador James Granger (Matt Damon), um amigo de longa data. Também fazem parte do grupo o arquiteto Richard Campbell (Bill Murray), o escultor Walter Garfield (John Goodman), o negociador de arte Jean Claude Demont (Jean Dujardin), o historiador Preston Savitz (Bob Balaban) e o britânico especialista em arte Donald Jeffries (Hugh Bonneville). Para que possam cobrir um maior território, Stoke os divide em duplas e os manda para diferentes partes da Europa a fim de que consigam reunir informações e também chequem locais nos quais se encontravam famosas obras de arte. Ele designa que Granger deve ir para a França e descobrir que fim levou o contato que eles tinham por lá, como também o paradeiro das obras roubadas. Sozinho, ele encontra no novato Sam Epstein (Dimitri Leonidas) seu companheiro de viagens, como também um tradutor, já que o garoto fala alemão fluentemente.

Matt Damon

Ao chegar a França, Granger descobre que grande parte das obras já foram levadas e ninguém faz a mínima ideia para onde exatamente. É quando ele conhece Claire Simone (Cate Blanchett) que trabalhou diretamente com o oficial nazista encarregado de despachar as obras roubadas para diversos lugares. Muito cética, Claire não acredita nas boas intenções de Granger o que dificulta bastante para que a missão deles siga em frente. Longe dali, no meio da batalha, seus companheiros enfrentam dificuldades sem perder o bom humor, arriscando suas vidas diariamente para que no futuro, a humanidade possa usufruir dessas obras e entender mais sobre um passado que quase foi apagado completamente.

George Clooney;Matt Damon;John Goodman;Bob Balaban

Além de estrelar no filme, George Clooney é também responsável pela direção e roteiro, o qual co-escreveu com Grant Heslov e que foi adaptado do livro de Robert M. Edsel. Clooney tem se mostrado um diretor bastante competente e filmes como “Boa Noite e Boa Sorte” e “Tudo Pelo Poder” – ambos abordando uma viés mais política – puderam certificar o público e a crítica disso. A sua visão para essa estória, pouco ou nada conhecida do grande público é excelente e conta com uma edição bastante eficiente. Por se tratar de um fato histórico ignoto, ainda assim, a trama não se torna didática tampouco leviana, pelo contrário, ao falar mais sobre a vida dos homens envolvidos com essa ‘caça ao tesouro’ fica mais fácil para o espectador de assimilar tudo. Obviamente, parte deste êxito se deve ao elenco que vai de Bill Murray e John Goodman, famosos por filmes de comédia, passando por Matt Damon com seus filmes de ação, até Jean Dujardin o ator francês que foi revelado em “O Artista”. Juntos, eles misturam momentos de descontração e comédia, com outros mais intensos e dramáticos, sem que a trama perca seu foco e a veracidade.

george-clooney-the-monuments-men-1024x683

É claro que o empenho de Clooney em encontrar as locações exatas, a dedicação com a direção de arte, os figurinos e a incrível trilha sonora de Alexandre Desplat, só contribuem para que “Caçadores de Obras-Primas” seja um filme divertido, instrutivo e bem atraente. No final, graças ao trabalho desses heróis da vida real, podemos apreciar hoje grandes pinturas e esculturas que talvez também não tivessem sobrevivido nas mãos de Hitler.

Estréia em 14 de Fevereiro.

ps: para saber mais sobre o trabalho dos ‘Monument Men’ acesse esse link

Participe com sua opinião!

Ativista

Publicado por Melissa Andrade

ColecionadorNarutoRepórterFanáticos por SériesSuper-fãsFotógrafo

Divulgado novo personagem de Star Wars Rebels

Tão singular, "Ela" expressa os problemas de amar em diferentes plataformas