em ,

CCBB abre 2014 com mostra sobre MPB em Rio e SP

A mostra Cine MPB, que acontece de 8 a 27 de janeiro no Rio e de 8 a 25 de janeiro em São Paulo no Centro Cultural Banco do Brasil de ambas cidades, inaugura o calendário 2014 da instituição. Sorte dos paulistas e cariocas, que podem aproveitar o geladinho do cinema com o melhores grandes documentários e curtas sobre nossa rica cultura musical.
Um prato cheio para cinéfilos e apreciadores da MPB. Assim abaixo destacamos toda programação da mostra e também a sinopse dos filmes exibidos.

Programação

08/01 (quarta-feira)
14h30
Os Mutantes, Direção: Antonio Carlos da Fontoura / 7 min classificação indicativa livre
Loki – Arnaldo Baptista Direção: Paulo Henrique Fontenelle / 120 min classificação indicativa livre
17h
Rap, o canto da Ceilândia, Direção: Adirley Queirós / 15 min classificação indicativa livre
Rock Brasília – Era de Ouro Direção: Vladimir Carvalho / 111 min classificação indicativa 12 anos
19h30
Tim Maia, Direção: Flávio Ramos Tambellini / 15 min classificação indicativa 16 anos
A Farra do Circo, Direção: Roberto Berliner e Pedro Bronz 94 min classificação indicativa 12 anos
09/01 (quinta-feira)
14h30
Rua da Escadinha, 162, Direção: Márcio Câmara 18 min classificação indicativa livre
Cantoras do rádio Direção: Gil Baroni / 85 min classificação indicativa livre
17h
O Mundo é uma cabeça, Direção: Cláudio Barroso e Bidu Queiroz, 17 min classificação indicativa 10 anos
Tropicália, Direção: Marcelo Machado / 82min classificação indicativa 10 anos
19h30
Pixinguinha e a velha guarda do samba, Direção: Thomaz Farkas e Ricardo Dias
10 min classificação indicativa livre
Paulo Moura – Alma brasileira, Direção: Eduardo Escorel / 86 min classificação indicativa livre
10/01 (sexta-feira)
14h30
As Canções Direção: Eduardo Coutinho / 91 min classificação indicativa livre
17h
Nelson Sargento no Morro da Mangueira, Direção: Estevão Ciavatta / 22 min classificação indicativa livre
O Samba que mora em mim Direção: Georgia Guerra-Peixe / 72 min classificação indicativa livre
19h30
Herbert de perto, Direção: Pedro Bronz e Roberto Berliner, 94 min classificação indicativa 10 anos
11/01 (sábado)
16h
Rock Paulista, Direção: Anna Muylaert, 12 min classificação indicativa livre
Titãs – A vida até parece uma festa, Direção: Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves 100 min classificação indicativa 12 anos
18h
Nelson Cavaquinho, Direção: Leon Hirszman / 14 min classificação indicativa 14 anos
A Luz do Tom Direção: Nelson Pereira dos Santos / 85 min classificação indicativa livre
20h
Moreira da Silva, Direção: Ivan Cardoso / 10 min classificação indicativa livre
Cartola – Música para os olhos Direção: Lírio Ferreira e Hilton Lacerda 85 min, 2006
classificação indicativa 10 anos
12/01 (domingo)
16h
Partido alto, Direção: Leon Hirszman / 23 min classificação indicativa livre
Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje, Direção: Izabel Jaguaribe / 100 min classificação indicativa livre
18h30 – *sessão gratuita
Bethânia bem de perto, Direção: Eduardo Escorel e Julio Bressane / 33 min classificação indicativa 12 anos
Jards, Direção: Eryk Rocha, 93 min classificação indicativa livre
13/01 (segunda-feira)
15h
Pixinguinha e a velha guarda do samba, Direção: Thomaz Farkas e Ricardo Dias / 10 min classificação indicativa livre
Paulo Moura – Alma brasileira Direção: Eduardo Escorel / 86 min classificação indicativa livre
17h30
O Mundo é uma cabeça, Direção: Cláudio Barroso e Bidu Queiroz / 17 min classificação indicativa 10 anos
Tropicália Direção: Marcelo Machado / 82min classificação indicativa 10 anos
15/01 (quarta-feira)
14h30
Simonal – Ninguém sabe o duro que dei Direção: Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal / 86 min – classificação indicativa livre
17h
Uma Noite em 67, Direção: Renato Terra e Ricardo Calil / 85 min classificação indicativa livre
19h30
Adão ou somos todos filhos da terra,
Direção: Daniela Thomas, João Moreira Salles, Katia Lund e Walter Salles / 8 min classificação indicativa livre
L.A.P.A. Direção: Cavi Borges e Pedro Monteiro / 71 min classificação indicativa 12 anos
16/01 (quinta-feira)
14h30
Raul – O início, o fim e o meio Direção: Walter Carvalho / 120 min classificação indicativa livre
17h – *sessão gratuita
Bethânia bem de perto, Direção: Eduardo Escorel e Julio Bressane / 33 min classificação indicativa 12 anos
Jards, 93 min classificação indicativa livre
19h30 –
Vou rifar meu coração Direção: Ana Rieper
76 min classificação indicativa 12 anos
17/01 (sexta-feira)
14h30 –
Uma Noite em 67 Direção: Renato Terra e Ricardo Calil / 85 min classificação indicativa livre
17h
Os Mutantes, direção: Antonio Carlos da Fontoura / 7 min classificação indicativa livre
Loki – Arnaldo Baptista, Direção: Paulo Henrique Fontenelle / 120 min classificação indicativa livre
19h30
Moreira da Silva, Direção: Ivan Cardoso 10 min classificação indicativa livre
Cartola – Música para os olhos, 85 min classificação indicativa 10 anos
18/01 (sábado)
16h
Mamonas pra sempre Direção: Claudio Kahns / 83 min classificação indicativa 10 anos
18h
Vou rifar meu coração 76 min classificação indicativa 12 anos
21h – *sessão gratuita
The Big Boy Show, Direção: Leandro Petersen e Claudio Dager / 20 min classificação indicativa 12 anos
A Batalha do passinho Direção: Emílio Domingos / 77 min classificação indicativa 10 anos
19/01 (domingo)
16h
Rock Paulista 12 min classificação indicativa livre
Titãs – A vida até parece uma festa, Direção: Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves
100 min classificação indicativa 12 anos
18h30
Raul – O início, o fim e o meio / 120 min classificação indicativa livre
20/01 (segunda-feira)
15h
Partido alto 23 min classificação indicativa livre
Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje Direção: Izabel Jaguaribe / 100 min classificação indicativa livre
17h30
Maracatu, maracatus 14 min classificação indicativa livre
Hermeto, Campeão, 35 min classificação indicativa livre
Tom Zé ou Quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século? Direção: Carla Gallo 49 min classificação indicativa 12 anos
22/01 (quarta-feira)
14h30
Mamonas pra sempre 83 min classificação indicativa 10 anos
17h
Gal, Direção: Antonio Carlos da Fontoura 12 min classificação indicativa livre
Os Doces Bárbaros Direção: Jom Tob Azulay 100 min classificação indicativa 14 anos
19h30 – *sessão gratuita
Bethânia bem de perto, Direção: Eduardo Escorel e Julio Bressane
33 min classificação indicativa 12 anos
Jards Direção: Eryk Rocha 93 min classificação indicativa livre
23/01 (quinta-feira)
14h30
Viva volta Direção: Heloisa Passos 15 min classificação indicativa livre
Bahia de todos os sambas, Direção: Leon Hiszman e Paulo Cezar Saraceni / 102 min classificação indicativa livre
17h
Rap, o canto da Ceilândia, Direção: Adirley Queirós 15 min classificação indicativa livre
Rock Brasília – Era de Ouro, Direção: Anna Muylaert 111 min classificação indicativa 12 anos
19h30
Tanta estrela por aí…, Direção: Tadeu Knudsen 19 min classificação indicativa 14 anos
Corações a mil Direção: Jom Tob Azulay 85 min classificação indicativa livre
24/01 (sexta-feira)
14h30 –
Maracatu, maracatus, Direção: Marcelo Gomes 14 min classificação indicativa livre
Hermeto, Campeão, Direção: Thomaz Farkas 35 min classificação indicativa livre
Tom Zé ou Quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século?
49 min classificação indicativa 12 anos
17h
Faço de mim o que quero, Direção: Sergio Oliveira e Petrônio Freire de Lorena 18 min classificação indicativa livre
Waldick, sempre no meu coração Direção: Patricia Pillar 58 min classificação indicativa 12 anos
19h30
As Canções, de Eduardo Coutinho 91 min classificação indicativa livre
25/01 (sábado)
16h
Simonal – Ninguém sabe o duro que dei, Direção: Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal
86 min classificação indicativa livre
18h
Tim Maia, Direção: Flávio Ramos Tambellini / 15 min classificação indicativa 16 anos
A Farra do Circo Direção: Roberto Berliner e Pedro Bronz / 94 min classificação indicativa 12 anos
20h –
Gal, Direção: Antonio Carlos da Fontoura / 12 min classificação indicativa livre
Os Doces Bárbaros Direção: Jom Tob Azulay / 100 min classificação indicativa 14 anos
26/01 (domingo)
16h
Adão ou somos todos filhos da terra, Direção: Daniela Thomas, João Moreira Salles, Katia Lund e Walter Salles / 8 min • 1999 classificação indicativa livre
L.A.P.A. Direção: Cavi Borges e Pedro Monteiro / 71 min • 2009 classificação indicativa 12 anos
18h30
Herbert de perto Direção: Pedro Bronz e Roberto Berliner
94 min classificação indicativa 10 anos
27/01 (segunda)
15h
Faço de mim o que quero, Direção: Sergio Oliveira e Petrônio Freire de Lorena
18 min classificação indicativa livre
Waldick, sempre no meu coração, de Patrícia Pillar
58 min classificação indicativa 12 anos
17h30
Viva volta, Direção: Heloisa Passos
15 min classificação indicativa livre
Bahia de todos os sambas, Direção: Leon Hiszman e Paulo Cezar Saraceni
102 min / classificação indicativa livre
**
CineMPB – Documentários musicais brasileiros
08 a 27 de janeiro de 2014 no CCBB-JR
08 a 25 de janeiro de 2014 no CCBB-SP

Sinopses – longas-metragens

Bahia de todos os sambas
102 min • 1996 classificação indicativa livre
Direção: Leon Hiszman e Paulo Cezar Saraceni
Produção: Gustavo Dahl, Elio Rumma e Fiorella Giovanelli Amico
Roteiro: Gianni Amico
Fotografia: Dib Lufti, Tonino Nardi e Luiz Carlos Saldanha
Montagem: Maria Elisa Freire
Som: Daniele Masini
Entre 23 e 31 de agosto de 1983, no Circo Massimo, em pleno Foro Romano, um evento musical inigualável aconteceu: a Bahia, sede espiritual da nação cultural brasileira, baixou em Roma. Dorival Caymmi, João Gilberto, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Nana Caymmi, Moraes Moreira, Naná Vasconcellos, Tom Zé, Paulinho Boca de Cantor, Walter Queiroz, o trio elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar e Batatinha, lenda viva do samba baiano, ao lado de 150 músicos, ritmistas, dançarinas e capoeiristas, se apresentaram durante nove noites consecutivas para uma platéia de aproximadamente 150 mil espectadores.
A Batalha do passinho
77 min • 2012 classificação indicativa 10 anos
Direção: Emílio Domingos
Produção: Osmose Filmes
Roteiro: Emílio Domingos e Julia Mariano
Fotografia: Daniel Neves e Paulo Castiglione
Montagem: Guilherme Schumann
Som: Julio Lobato, Felipe Machado, Felipe Messina e Vinicius Leal
Quando o vídeo Passinho Foda atingiu quatro milhões de acessos no YouTube, Beiçola e seus amigos se surpreenderam. Gravado com uma câmera fotográfica digital num churrasco no quintal de casa, o vídeo mostrava uma nova forma de dançar o funk carioca. O documentário acompanha esse fenômeno e revela como a cultura do funk se expandiu para além dos bailes, DJs e favelas.
As Canções
91 min • 2011 classificação indicativa livre
Direção: Eduardo Coutinho
Produção: Videofilmes Fotografia: Jacques Cheuiche Montagem: Jordana Berg Som: Valéria Ferro e Denilson Campos
Homens e mulheres cantam e contam as músicas que marcaram suas vidas.
Cantoras do rádio
85 min • 2009 classificação indicativa livre
Direção: Gil Baroni
Produção: Arte Lux Produções Roteiro: Ricardo Cravo Albin Fotografia: César Moraes
Montagem: Gil Baroni e Monica Rischbieter Som: Jorge Saldanha, Ariel Henrique e Paulo Gama
Cantoras do rádio é um resgate e uma homenagem aos anos dourados da música popular brasileira. O filme tem como fio condutor o show Estão voltando as flores, uma celebração às divas do rádio, e conta com a participação especial de Carmélia Alves, Carminha Mascarenhas, Ellen de Lima e Violeta Cavalcante, quatro grandes cantoras da gloriosa Era do Rádio no Brasil.
Cartola
85 min, 35mm, 2006 classificação indicativa 10 anos
Direção: Lírio Ferreira e Hilton Lacerda
Produção: Raccord Produções Roteiro: Lírio Ferreira e Hilton Lacerda Fotografia: Aloysio Raulino
Montagem: Mair Tavares, Rodrigo Lima e Lessandro Sócrates Som: Aurélio Dias e Maria Byington
Utilizando linguagem fragmentada, Cartola traça um painel da formação cultural do Brasil, convidando a uma reflexão sobre a construção da memória deste país. O retrato de um homem que se reconstruía com seu tempo. A história de um dos compositores mais importantes da música brasileira, e a história do samba a partir de um dos seus expoentes mais nobres.
Corações a mil
85 min • 1983 classificação indicativa livre
Direção: Jom Tob Azulay
Produção: AeB Produções Roteiro: João Carlos Motta Fotografia: Miguel Rio-Branco Montagem: Walter Goulart
Som: Walter Goulart
Misto de documentário e ficção, Corações a mil explora o comportamento da tietagem entre os fãs da música pop nos anos 80. A turnê do show Luar, de Gilberto Gil, tem início em Porto Alegre, passando pelo interior de São Paulo, Rio, Salvador, São Luiz, até Belém, e serve como base para divertidas confusões de Jairo (Joel Barcellos), teórico de comunicação, e Su (Regina Casé), a super-tiete, que compõem a dupla central desta comédia musical. Jairo recebe a difícil missão de descobrir “o segredo da comunicação de massa” usado pelo artista pop Gilberto Gil na conquista de milhares de fãs. Su, apaixonada pelo astro, não perde um único show.
Os Doces Bárbaros
100 min • 1978 classificação indicativa 14 anos
Direção: Jom Tob Azulay
Produção: AeB Produções Roteiro: Jom Tob Azulay e Isabel Câmara Fotografia: Fernando Duarte
Montagem: Luis Carlos Saldanha e Eunice Gutman Som: Fred Leite
Os Doces Bárbaros focaliza a turnê que Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia e Caetano Velloso fizeram em 1976 em comemoração aos dez anos de suas carreiras com o conjunto. Além do espetáculo da música e do show, o filme mostra o processo criativo dos artistas através de bem humorados mas exaustivos ensaios, bem como o relacionamento dos fãs com seus ídolos em filmagens realizadas na intimidade dos camarins e uma reconstituição dos dramáticos acontecimentos que envolveram o grupo com a prisão de Gilberto Gil em Florianópolis por porte de maconha. Versão integral, sem os cortes da Censura Federal de 1978.
A Farra do Circo
94 min • 2013 / classificação indicativa 12 anos
Direção: Roberto Berliner e Pedro Bronz
Produção: Rodrigo Letier e Lorena Bondarovsky
Roteiro: Roberto Berliner e Pedro Bronz
Fotografia: Roberto Berliner
Montagem: Pedro Bronz
Som: Denilson Campos
Mostrando pela primeira vez o material filmado pelo diretor Roberto Berliner na década de 1980, A Farra do Circo é um filme sobre a geração que formou o Circo Voador, a usina de sonhos. Do calçadão do Arpoador em 82 até a copa do México em 86, passando por uma noite inesquecível na Lapa, o filme mostra a geração que revolucionou a cena cultural brasileira.
Herbert de perto
94 min • 2009 classificação indicativa 10 anos
Direção: Pedro Bronz e Roberto Berliner
Produção: Rodrigo Letier e Roberto Berliner
Fotografia: Paulo Violeta
Montagem: Pedro Bronz
Som: Renato Calaça
Herbert de perto conta a história da vida e carreira de Herbert Vianna, líder dos Paralamas do Sucesso, uma das principais bandas do rock brasileiro. Em 2001, Herbert teve sua carreira interrompida por um fatídico acidente que matou sua mulher e o deixou paraplégico. Sentado numa cadeira de rodas, Herbert confronta-se com imagens de sua vida para recontar uma história de luta, persistência e superação.
Jards
93 min • 2012
classificação indicativa livre
Direção: Eryk Rocha
Produção: Instituto Itaú Cultural
Roteiro: Eryk Rocha
Fotografia: Miguel Vassy
Montagem: Joaquim Castro
Som: Edson Secco, Renato Vallone e Jards Macalé
Ensaio poético-musical com o músico e compositor Jards Macalé, o filme celebra o instante do processo de criação do artista, a afinação, repetição, a improvisação dos instrumentos; o fluxo entre o homem e a música; o êxtase e a solidão do artista, que coexistem num entrelaçamento constante entre arte e vida.
L.A.P.A.
71 min • 2009
classificação indicativa 12 anos
Direção: Cavi Borges e Pedro Monteiro
Produção: Cavi Borges e Gustavo Pizzi
Roteiro: Emilio Domingos e Cavi Borges
Fotografia: Paulo Castiglioni e Tiago Scorza
Montagem: Gustavo Pizzi
Som: Bruno Espirito Santo, Michel Messer e Francisco Slade
L.A.P.A. trata da Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro e tradicional reduto de sambistas, que hoje é também ponto de encontro de MCs e do rap.
Loki – Arnaldo Baptista
120 min • 2009
classificação indicativa livre
Direção: Paulo Henrique Fontenelle
Produção: Canal Brasil
Fotografia: Marco Moreira
Montagem: Paulo Henrique Fontenelle
Som: Carlos Toré
Investigação sobre a figura de Arnaldo Baptista, fundador do grupo Os Mutantes e um dos grandes ícones da música brasileira, Loki – Arnaldo Baptista retrata sua trajetória desde a infância, passando pelo surgimento d’Os Mutantes, o casamento com Rita Lee, a separação, o fim da banda, a depressão que o levou a uma tentativa de suicídio e a um profundo coma, sua carreira solo, e enfim, o reencontro com a paz. A narrativa é costurada por depoimentos emocionantes do artista e de amigos, família e personalidades como Tom Zé, Lobão, Nelson Motta, Gilberto Gil, Sérgio Dias, Dinho Leme, Zélia Duncan, Liminha e Rogério Duprat, além de Kurt Cobain, Sean Lennon e Devendra Banhart.
A Luz do Tom
85 min • 2012
classificação indicativa livre
Direção: Nelson Pereira dos Santos
Produção: Marcia Pereira dos Santos e Mauricio Andrade Ramos
Roteiro: Miúcha Buarque de Hollanda e Nelson Pereira dos Santos
Fotografia: Maritza Caneca
Montagem: Alexandre Saggese e Luelane Corrêa
Som: Jorge Saldanha
As três mulheres da vida de Tom Jobim, a irmã e duas esposas, falam sobre a vida e carreira do músico, que morreu em 1994.
Mamonas pra sempre
83 min • 2011
classificação indicativa 10 anos
exibição em bluray
Direção: Claudio Kahns
Produção: Brasil 1500
Roteiro: Diana Zatz Mussi
Fotografia: Johnny Torres e João Pavese
Montagem: Felipe Igarashi, Bruna Callegari, Anna Penteado, Diana Zatz Mussi e Rafael Buosi
Som: Johnny Torres, João Pavese
Mamonas pra sempre narra a história da banda que, em menos de dez meses, saiu do anonimato para ser um dos maiores fenômenos da música brasileira. Repleto de material inédito guardado pelas famílias, o filme resgata a trajetória do grupo, os desafios vencidos e sua ascensão. Irreverentes, inteligentes, sarcásticos, mas, acima de tudo, extremamente criativos, os Mamonas são retratados através um vasto arquivo de imagens, incluindo cenas do começo da carreira, bastidores e gravações dos próprios integrantes da banda em suas turnês e apresentações.
Uma Noite em 67
85 min • 2010
classificação indicativa livre
exibição em DVD
Direção: Renato Terra e Ricardo Calil
Produção: Beth Accioly
Fotografia: Jacques Cheuiche
Montagem: Jordana Berg
Som: Valéria Ferro e Denilson Campos
Final do III Festival da Música Popular Brasileira da TV Record, 21 de outubro de 1967. Diante de uma plateia fervorosa, disposta a aplaudir ou vaiar com igual intensidade, alguns dos artistas hoje considerados de importância fundamental para a MPB se revezavam no palco para competir entre si: Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Os Mutantes, Roberto Carlos, Edu Lobo e Sérgio Ricardo, protagonista da célebre quebra da viola no palco. Uma Noite em 67 mostra, através do resgate de imagens históricas e depoimentos inéditos dos principais personagens envolvidos, os elementos que transformaram aquela final de festival no clímax da produção musical dos anos 60 no Brasil.
Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje
100 min • 2003
classificação indicativa livre
Direção: Izabel Jaguaribe
Produção: Videofilmes
Roteiro: Izabel Jaguaribe, Joana Ventura e Zuenir Ventura
Fotografia: Flávio Zangrandi
Montagem: Izabel Jaguaribe e Joana Ventura
Som: Aloysio Compasso
O cantor, compositor e instrumentista Paulinho da Viola apresenta seus mestres, amigos e influências musicais e percorre sua rotina peculiar e discreta, apresentando hábitos e costumes desconhecidos do grande público.
Encontros musicais memoráveis são registrados, com artistas como Marina Lima, Elton Medeiros, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e a Velha Guarda da Portela.
Paulo Moura – Alma brasileira
86 min • 2012
classificação indicativa livre
Direção: Eduardo Escorel
Produção: Alvarina Souza Silva e Eduardo Escorel
Roteiro: Eduardo Escorel
Fotografia: Ricardo Stein e Jacques Cheuiche
Montagem: Rodrigo Modenesi e Eduardo Escorel
Som: Gabriel Pinheiro
Reunindo vestígios filmados e gravados ao longo de quatro décadas, um mosaico formado com peças unidas por livre associação retrata a carreira musical e a personalidade de Paulo Moura. Clarinetista, saxofonista, compositor, arranjador e regente, Paulo Moura apresenta 25 músicas do seu repertório e narra sua própria trajetória.
Raul Seixas – O início, o fim e o meio
120 min • 2011
classificação indicativa livre
Direção: Walter Carvalho
Produção: Alain Fresnot e Denis Feijão
Roteiro: Leonardo Gudel
Fotografia: Lula Carvalho
Montagem: Pablo Ribeiro
Som: Miriam Biderman e Ricardo Reis
Enquanto o mundo fervilhava nas trepidações das motos de Easy Rider, no ritmo frenético de Elvis Presley, nos poetas Beatniks, na explosão da contracultura, um menino da Bahia deu a luz ao rock no Brasil. Um disco voador desgovernado que abduziu o coração e a mente de milhares de fãs. O filme desvenda, através de imagens raras de arquivo, encontros com familiares, conversas com artistas, produtores e amigos, a trajetória de Raul Seixas – rock’nr’oll, amor livre, Sociedade Alternativa, drogas, magia negra, ditadura militar, mulheres e filhas. Um homem que queria viver da sua obra e morreu por ela. O início, o fim e o meio se confundem, porque a história ainda não acabou.
Rock Brasília – Era de Ouro
111 min • 2011
classificação indicativa 12 anos
Direção: Vladimir Carvalho
Produção: Marcus Ligocki Jr.
Roteiro: Vladimir Carvalho
Fotografia: André Carvalheira
Montagem: Vladimir Carvalho e Sérgio Azevedo
Som: Dirceu Lustosa, Pedro Noizyman e José Luiz Sasso
A história dos jovens brasilienses que, liderados por Renato Russo, depois de um longo caminho cheio de obstáculos, viram o seu sonho tornado realidade: a consagração e o sucesso de suas bandas de rock. Uma história feita de depoimentos reveladores dos grandes protagonistas do período, como Renato Russo, Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá, Dinho Ouro Preto, os irmãos Fê e Flávio Lemos e Philippe Seabra, além de artistas próximos ao grupo, como os músicos do Paralamas do Sucesso e Caetano Veloso. A história de um sonho que segue de perto a utopia que foi a construção de Brasília e a transferência da capital para o planalto central.
O Samba que mora em mim
72 min • 2010
classificação indicativa livre
Direção: Georgia Guerra-Peixe
Produção: Bossa Nova Films
Roteiro: Ticha Godoy e Georgia Guerra-Peixe
Fotografia: Marcelo Rocha
Montagem: Mair Tavares, Nani Garcia e Jair Peres
Som: Dimi Kireeff e Leandro Lima
O ponto de partida de O Samba que mora em mim é a quadra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, local do reencontro da diretora Georgia Guerra-Peixe com sua própria história. Da quadra, Georgia parte para subir o morro pela primeira vez, movida pelo desejo de ir além do samba. Seu olhar e caminhar naturalmente vão adquirindo variações melódicas e cadências rítmicas diferentes.
Simonal – Ninguém sabe o duro que dei
86 min • 2009
classificação indicativa livre
Direção: Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal
Produção: Manfredo G. Barreto e Rodrigo Letier
Fotografia: Gustavo Hadba
Montagem: Pedro Duran e Karen Akerman
Som: Paulo Ricardo Nunes
Numa época de talentos eternos e revolucionários, Wilson Simonal brilhou como ninguém e inovou como poucos. Juntando qualidade, carisma, simpatia, suingue, charme, sensualidade e muito talento, ele se tornou a sensação do Brasil e conquistou o público internacional. De repente, tudo acabou. Boatos, acusações, mistérios, patrulhas e perseguições. Simonal – Ninguém sabe o duro que dei traça a trajetória impressionante de Wilson Simonal, o ex-cabo de exército que reinou soberano e acabou condenado ao ostracismo por um delito do qual jurava inocência.
Titãs – A vida até parece uma festa
100 min • 2009
classificação indicativa 12 anos
Direção: Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves
Produção: Angela Figueiredo e Paulo Roberto Schmidt
Roteiro: Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves
Montagem: Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves
Som: Oscar Rodrigues Alves, Branco Mello e Denilson Campos
Os Titãs contam sua própria história com imagens captadas por eles -principalmente por Branco Mello, que em 1984 saiu gravando tudo o que acontecia com o grupo no momento de explosão musical que foram os anos 1980.
Tom Zé ou Quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século?
49 min • 2000
classificação indicativa 12 anos
Direção: Carla Gallo
Produção: Celso Camargo, Priscilla Migliano e Carla Gallo
Roteiro: Carla Gallo
Fotografia: Jay Yamashita
Montagem: Tatiana Lohmann
Som: Gabriela Cunha e Bruno Carneiro
Um retrato do artista Tom Zé.
Tropicália
82min • 2012
classificação indicativa 10 anos
Direção: Marcelo Machado
Produção: Denise Gomes e Paula Cosenza
Roteiro: Di Moretti e Marcelo Machado
Fotografia: Eduardo Piagge
Montagem: Oswaldo Santana
Som: Alexandre Kassin e François Wolf
Numa época em que a liberdade de expressão perdia força, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Arnaldo Baptista, Rita Lee, Tom Zé, entre outros, misturaram desde velhas tradições populares a muitas das novidades artísticas ocorridas pelo mundo e criaram o Tropicalismo, abalando as estruturas da sociedade brasileira e influenciando várias gerações. Com depoimentos reveladores, raras imagens de arquivo e as mais belas canções do período, Tropicália traça um panorama de um dos mais fascinantes movimentos culturais do Brasil.
Vou rifar meu coração
76 min • 2011
classificação indicativa 12 anos
Direção: Ana Rieper
Produção: Suzana Amado
Fotografia: Manuel Aguas
Montagem: Pedro Asbeg
Som: Aurélio Dias e Pedro Moreira
Letras de músicas de artistas como Agnaldo Timóteo, Waldick Soriano, Nelson Ned, Amado Batista, Peninha, Walter de Afogados e Wando, entre outros, fazem verdadeiras crônicas dos dramas da vida a dois. Em Vou rifar meu coração, os temas destas músicas se relacionam com as histórias da vida amorosa de pessoas comuns, enfrentando o desafio de falar sobre a intimidade de pessoas reais, em situações reais.
Waldick, sempre no meu coração
58 min • 2008
classificação indicativa 12 anos
Direção: Patricia Pillar
Produção: Mariza Leão e Patricia Pillar
Roteiro: Patrícia Pillar, Fausto Nilo e Quito Ribeiro
Fotografia: Leandro HBL, Miguel Vassy e Pedro Urano
Montagem: Quito Ribeiro
Som: Maria Muricy
Um musical à maneira brasileira, no qual as canções apóiam a narrativa inspirada na biografia de um dos maiores ícones da música popular, Waldick Soriano, desde suas remotas memórias da província agrária em sua atividade de garimpeiro, percorrendo o duro trajeto da migração em busca do sucesso, até os episódios típicos da sua vida na estrada, com todas as suas glórias, alegrias e desencantos.

Sinopses – Curtas-metragens

Adão ou somos todos filhos da terra
8 min • 1999
classificação indicativa livre
Direção: Daniela Thomas, João Moreira Salles, Katia Lund e Walter Salles
Produção: Videofilmes
Fotografia: Walter Carvalho
Montagem: Walter Salles e Daniela Thomas
Som: Aloysio Compasso
Adão ou somos todos filhos da terra retrata Adão Xalebaradã, um morador da favela de Cantagalo, Rio de Janeiro, que apesar de ter composto mais de 500 músicas, nunca foi gravado no Brasil.
Bethânia bem de perto
33 min • 1966
classificação indicativa 12 anos
Direção: Eduardo Escorel e Julio Bressane
Produção: Eduardo Escorel, Julio Bressane e David Neves
Fotografia: Eduardo Escorel
Montagem: Eduardo Escorel e Julio Bressane
Som: Julio Bressane
Rio de Janeiro, 1966. O cotidiano de Maria Bethânia nos dias em que fez suas primeiras apresentações em boate depois do sucesso do show Opinião.
Faço de mim o que quero
18 min • 2009
classificação indicativa livre
Direção: Sergio Oliveira e Petrônio Freire de Lorena
Produção: Aroma Filmes
Roteiro: Renata Pinheiro, Sergio Oliveira e Petrônio Freire de Lorena
Fotografia: Pedro Urano
Montagem: João Maria
Som: Evandro Lima
Documentário sobre a vasta produção da chamada música brega em Pernambuco.
Gal
12 min • 1970
classificação indicativa livre
Direção: Antonio Carlos da Fontoura
Produção: Canto Claro Produções Artísticas
Roteiro : Antonio Carlos da Fontoura
Fotografia: David Zingg e Lauro Escorel
Montagem: Gilberto Loureiro
Um autêntico precursor dos clipes musicais, Gal registra poeticamente a performance de Gal Costa em três canções que marcaram de forma determinante os momentos iniciais de sua divina e maravilhosa carreira.
Hermeto Campeão
35 min • 1981
classificação indicativa livre
Direção: Thomaz Farkas
Produção: Thomaz Farkas, Rui Pereira e Kiko Farkas
Roteiro: Thomaz Farkas
Fotografia: Pedro Farkas
Montagem: Carone Jr.
Som: David Pennington
O filme evoca a inspiração, a maneira de compor e os pontos de vista de Hermeto Pascoal sobre a fama, o dinheiro e o trabalho. Hermeto toca com os sapos e compõe com as abelhas. Os componentes de seu conjunto dão um pequeno depoimento sobre como é trabalhar com ele.
Maracatu, maracatus
14 min • 1995
classificação indicativa livre
Direção: Marcelo Gomes
Produção: Claudio Assis
Roteiro: Marcelo Gomes
Fotografia: Jane Malaquias
Montagem: Vânia Debs
Som: Nathalia Safranov Rabezuk
As diferenças culturais entre as várias gerações de integrantes do maracatu rural, ritual afro-indígena que tem suas origens nos engenhos de açúcar de Pernambuco.
Moreira da Silva
10 min • 1973
classificação indicativa livre
Direção: Ivan Cardoso
Produção: Super 8 Produções
Roteiro: Ivan Cardoso
Fotografia: Renato Lacletti
Montagem: Amauri Alves
Som: Julio Romiti
Moreira da Silva focaliza a figura ímpar do compositor e cantor Antonio Moreira da Silva, o popular Kid Morengueira.
O Mundo é uma cabeça
17 min • 2005
classificação indicativa 10 anos
Direção: Cláudio Barroso e Bidu Queiroz
Produção: Monica Lapa
Roteiro: Cláudio Barroso e Bidu Queiroz
Fotografia: Paulo Jacinto dos Reis Feijão
Montagem: João Maria
Som: Márcio Câmara e Carlos Cox
O Mundo é uma cabeça narra o nascimento do mangue beat, movimento musical surgido no início dos anos 90, inspirado na geografia dos mangues do Recife e na diversidade sonora que mescla a música pernambucana de raiz com gêneros da música internacional, como o hip-hop, o rap e o punk rock. Seus protagonistas, Chico Science, Fred 04, Otto e Siba, colocaram em evidencia a cena musical pernambucana ao criar uma nova estética na música popular brasileira.
Os Mutantes
7 min • 1970
classificação indicativa livre
Direção: Antonio Carlos da Fontoura
Produção: Canto Claro
Roteiro: Antonio Carlos da Fontoura
Fotografia: Renato Newman
Montagem: Renato Newman
Uma perseguição com uma câmera sempre em movimento de uma brincadeira improvisada por Arnaldo Dias, Sérgio Batista e Rita Lee num dia mutante pelas ruas de São Paulo.
Nelson Cavaquinho
14 min • 1969
classificação indicativa 14 anos
Direção: Leon Hirszman
Produção: Saga Filmes
Fotografia: Mário Carneiro
Montagem: Eduardo Escorel
Som: Gilberto Macedo
Filmado em 1969, Nelson Cavaquinho foi realizado como contraponto a Garota de Ipanema. Em vez da Bossa Nova e da zona sul carioca, o interesse do cineasta volta-se para as raízes da música popular brasileira. O resultado é um pungente registro do sambista em seu ambiente, conversando e tocando com amigos e vizinhos, em casa, no bar, no terreiro. Cenas da vida no subúrbio mesclam-se às memórias e improvisos, compondo um panorama ao mesmo tempo melancólico e alegre do compositor e do seu povo à margem da sociedade.
Nelson Sargento no Morro da Mangueira
22 min • 1997
classificação indicativa livre
Direção: Estevão Ciavatta
Produção: Flávio Ramos Tambellini e Ana Gabriela
Fotografia: Dudu Miranda
Montagem: Cezar Migliorin
Som: Paulo Ricardo Nunes
Retrato do sambista Nelson Sargento encontrando seus amigos e comparsas no Morro da Mangueira, um dos recantos do carnaval e do samba no Rio de Janeiro.
Partido alto
23 min • 1982
classificação indicativa livre
Direção: Leon Hirszman
Produção: Embrafilme
Fotografia: Lucio Kodato
Montagem: Alain Fresnot e Luiz Carlos Saldanha
Som: Ubirajara Castro
Concebido em estreita colaboração com Paulinho da Viola, Partido alto é um documento histórico e uma sincera homenagem à “expressão mais autêntica do samba”, como o sambista Candeia define esse gênero musical. Através de depoimentos marcantes da velha guarda, o filme firma posição contra a crescente padronização do samba imposta pelo mercado, além de fixar a manifestação de pureza musical, a simplicidade e a comunhão da gente do samba.
Pixinguinha e a velha guarda do samba
10 min • 2006
classificação indicativa livre
Direção: Thomaz Farkas e Ricardo Dias
Produção: Zita Carvalhosa
Roteiro: Ricardo Dias
Fotografia: Thomaz Farkas e Pedro Farkas
Montagem: Marcio Miranda Perez
Som: Daniel Turini
Em abril de 1954, Thomaz Farkas filmou, com uma câmera 16mm de corda, uma apresentação de Pixinguinha e o Pessoal da Velha Guarda no Parque do Ibirapuera durante os festejos do quarto centenário da cidade de São Paulo. Esse material se perdeu e foi reencontrado 50 anos depois. O filme conta essa história e recupera o material.
Rap, o canto da Ceilândia
15 min • 2005
classificação indicativa livre
Direção: Adirley Queirós
Produção: Cássio Pereira dos Santos
Roteiro: Adirley Queirós
Fotografia: Leonardo Feliciano
Montagem: Mariana Furumoto
Som: Francisco Crayesmeir
Diálogo com quatro consagrados artistas do rap nacional – X, Jamaika, Marquim e Japão – todos moradores da Ceilândia, cidade-satélite de Brasília. O filme mostra a trajetória desses integrantes no universo da música e faz um paralelo com a construção da cidade onde moram.
Rock Paulista
12 min • 1988
classificação indicativa livre
Direção: Anna Muylaert
Produção: Francisco Cesar Filho
Roteiro: Anna Muylaert
Fotografia: Peter Overbeck
Montagem: Mirella Martinelli
Som: Eduardo Santos Mendes
Curto espetáculo rítmico e visual que reúne algumas das bandas de rock mais expressivas do mercado fonográfico brasileiro no final da década de 1980, Rock Paulista conta com a participação dos Titãs, Ira, Mercenárias e Paulo Ricardo.
Rua da Escadinha, 162
18 min • 2003
classificação indicativa livre
Direção: Márcio Câmara
Produção: Franklin Jr.
Roteiro: Márcio Câmara
Fotografia: Roberto Iuri
Montagem: Francisco Sérgio Moreira
Som: Lênio Oliveira
Documentário sobre o acervo Christiano Câmara, composto por mais de 20 mil discos de cera, vinil, fotos, revistas e enciclopédias. O filme mostra a riqueza da casa de Christiano, que começou como um bancário que colecionava discos e se tornou uma das maiores referências de cultura no Brasil, e enfoca as ideias do historiador autodidata, propondo uma viagem a nossas raízes culturais, sociais e políticas.
Tanta estrela por aí…
19 min • 1993
classificação indicativa 14 anos
Direção: Tadeu Knudsen
Produção: Rafael Vasconcellos, Raul Pedreira e Tadeu Knudsen
Roteiro: Tadeu Knudsen
Fotografia: Raul Pedreira
Montagem: Augusto Fragelli
Som: Augusto Fragelli, Fernando Duca e Ruggero Ruschioni
Rita Lee interpreta Raul Seixas nessa livre recriação de um dos episódios mais contraditórios de sua carreira, quando foi cantar num show em Caieiras, São Paulo, e o público não o reconheceu. Os acontecimentos têm lugar na ficcional cidade de Esperança, onde o roqueiro é convidado a participar do showmício de um político populista e acaba sendo envolvido na disputa com outro político de perfil coronelista. Rauzito é preso, acusado de ser um cover, e só é libertado quando sua mulher vai até a delegacia reconhecê-lo.
The Big Boy Show
20 min • 2004
classificação indicativa 12 anos
Direção: Leandro Petersen e Claudio Dager
Produção: Leandro Petersen e Claudio Dager
Roteiro: Leandro Petersen e Claudio Dager
Fotografia: Tito Nogueira e Rudy Huhold
Montagem: Pablo Fagundes, Rico Vilarouca e Renato Vilarouca
Som: Leandro Petersen
Gravações antigas, fotografias, videografismos e depoimentos de profissionais de rádio contam a trajetória profissional do radialista Big Boy. A revolução da linguagem radiofônica, a criação do Baile da Pesada e o garimpo musical de Big Boy pelo mundo afora são exemplos do dinamismo desse personagem que, nos anos 60 e 70, viveu à frente de seu tempo.
Tim Maia
15 min • 1986
classificação indicativa 16 anos
Direção: Flávio Ramos Tambellini
Produção: Flávio Ramos Tambellini
Fotografia: José Tadeu e Toca Seabra
Montagem: Virgínia Flores
Som: Mar Van Der Willigen
Único registro de Tim Maia em 35mm, o filme acompanha o cantor e compositor em shows e situações características de sua controvertida carreira. Tim também fala sobre a vida, dinheiro e amor.
Viva volta
15 min • 2005 classificação indicativa livre
Direção: Heloisa Passos
Produção: Tina Hardy
Produção: Maquina Filmes
Roteiro: Daniela Capelato, Heloisa Passos e Malu Tavares
Fotografia: Heloisa Passos
Montagem: Fernanda Rondon
Som: Valéria Ferro, Beto Ferraz, Caue Custódio e Pedro Lima
Viva volta documenta o trombonista brasileiro Raul de Souza, que desde 1971 vive fora do Brasil e sofre com a falta de reconhecimento em seu país natal. Com o som de seu trombone ao fundo, o filme leva o músico de volta a Bangu e reconstrói sua trajetória, revisitando Saravah (documentário de 1969 dirigido por Pierre Barouh) e promovendo o reencontro de Raul com Maria Bethânia. Juntos, eles celebram a devoção pela música.

Participe com sua opinião!

Ímpar

Publicado por Salvador Camino

ModeradorVerificadoPromotor(a)EscritorGamerRepórterMusicistaFotógrafo

Os números do cinema em 2013 no mundo

Documentarista divulga cenas inéditas do ultimo show do Nirvana