em

Dez filmes perfeitos para se assistir no Halloween

Chegou o Halloween, data comemorada nos Estados Unidos e assimilada por aqui há alguns anos. Assim como no final do ano a industria de Hollywood se volta para filmes-família, o período das vésperas do Halloween é o escolhido pelos estúdios para investir no gênero terror, o mais recente é o sucesso Annabelle, também em cartaz no Brasil. A TV a cabo também lota sua programação com exemplares do gênero. Aqui, nós daremos 10 dicas de filmes para entrar no clima do Dia das Bruxas

  •  Halloween (Idem, 1978)halloween_jamie-lee-curtis1Por mais óbvio que pareça, o clássico de John Carpenter não poderia ficar de fora desta lista. O filme é estrelado por Jamie Lee Curtis, que tem o grito no DNA. Ela é filha de Janet Leigh, que protagoniza a antológica cena do chuveiro em Psicose de Hitchcock.

 

  • Demons – Filhos das Trevas (Dèmoni, 1985)demons-movie-eyes-light-up-customersNa pérola do Terror dirigida pelo italiano Lamberto Bava, produzida e escrita por Dario Argento, um grupo de pessoas está preso em uma grande sala de cinema em Berlim Ocidental, que está infectada por demônios vorazes dispostos a matar e possuir os seres humanos, um por um. Tenso e obrigatório nesta data.

 

  • Brinquedo Assassino (Child’s Play, 1988)1cc58bcaA história do inocente boneco possuído pelo espírito de um assassino ficou no imaginário de muita gente nos anos 80 e rendeu várias continuações. As últimas bem trash, diga-se de passagem,

 

  • O Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978)dawn 5Como não citar esse clássico obrigatório do mestre dos zumbis George Romero? Até ganhou um remake digno pelas mãos de Zack Snyder em 2004, mas…fiquemos como original.

 

  • Prelúdio para Matar (Profondo Rosso, 1975)tumblr_kzy59y050m1qzzxybO mestre Dario Argento apresentou este típico giallo, gênero italiano de suspense e policial muito popular entre as décadas de 60 e 80. Na trama, o pianista Marcus Daly (David Hemmings) presencia o assassinato de Helga Ulmman (Macha Méril), decide investigar por conta própria, com a ajuda da repórter Gianna Bressi (Daria Nicolodi). O filme tem elementos de suspense à La Hitchcock e terror, amparados por uma belíssima fotografia e uma trilha sonora que reforça o clima.

 

  • Vampiros das Almas (Invasion of the Body Snatchers, 1956)invasion-e1326768456781-1024x518O conto de 1955 de autoria de Jack Finney ainda ganharia mais duas adaptações, mas esta primeira, de 1956, é a mais cultuada. Houve até um filme de 1958 chamado I Married A Monster From Outer Space, com roteiro bastante similar. A história mostra uma invasão extraterrestre que começa em uma pequena cidade da Califórnia, quando esporos de plantas exóticas crescem em grandes vagens de sementes, cada uma capaz de reproduzir internamente uma cópia de substituição duplicata de cada ser humano: à medida que cada planta alcança pleno desenvolvimento, assimila as características físicas, memórias e personalidades de cada pessoa dormindo colocado perto dela; essas duplicatas são destituídas de qualquer emoção humana. Pouco a pouco, um médico local descobre o que está acontecendo e tenta impedir a invasão

 

  • Plano 9 do Espaço Sideral (Plan 9 From Outer Space, 1959)Plan9-4Na absurda trama de Ed Wood, alienígenas trazem os mortos de volta a vida (seguindo o famoso plano 9 que dá título ao filme), com a intenção de fazê-los dominar os vivos. Isso evitaria a destruição de todo o sistema solar por uma bomba chamada solobonite, que, segundo os extraterrestes o homem desenvolveria em um futuro próximo, ameaçando assim todos os planetas. Considerado o pior filme de todos os tempos, esta pérola ficou conhecida também como a última aparição de Bela Lugosi, o eterno Drácula dos cinemas. Detalhe é que o ator faleceu durante as filmagens e foi substituído por outro com quem não tinha a menor semelhança. Para driblar o problema, Wood o colocou cobrindo o rosto com sua capa toda vez que aparecia. Os diálogos também eram impagáveis.

 

  • O Estranho Mundo de Jack (Nightmare Before Christmas, 1992)The-Nighmare-Before-ChristmasOk, não é um filme de terror, mas trabalha com a temática Halloween ao contar a história de Jack Skellinton, o rei das abóboras da Cidade Halloween, que, cansado de repetir todos os anos a mesma rotina da celebração anual do Dia das Bruxas, decide seqüestrar Papai Noel e fazer um natal a sua maneira. Embora muitos achem que a animação é de Tim Burton, na verdade o diretor produziu e assinou o roteiro ao lado de Henry Sellick, a quem coube o cargo da direção.

 

  • Black Sabbath – As Três Máscaras do Terror ( I Tre volti della paura, 1963)blacksabbath Do italiano Mario Brava, foi a principal inspiração para a construção do roteiro de Pulp Fiction, segundo o próprio Quentin Tarantino. O filme é centrado em três contos independentes que têm uma introdução e conclusão de Boris Karloff. O filme é estrelado por um elenco internacional em três histórias curtas. O primeiro intitulado “O Telefone” envolve Suzy (Michèle Mercier) que recebe continuamente telefonemas ameaçadores de um perseguidor invisível. O segundo é “O Wurdulak”, em um homem chamado Gorca (Karloff) retorna para sua família depois alegando ter matado um Wurdulak, uma criatura morta-viva que ataca aqueles que um dia amou. A terceira história, “Uma Gota D’Água”, traz Jacqueline Pierreux como Helen Corey que rouba um anel de um cadáver que está sendo preparado para o enterro e descobrir-se assombrada pelo proprietário original do anel após chegar em casa.

 

  • A Morte do Demônio (Evil Dead, 1981)evil-deadCom 100.000 dólares Sam Raimi produziu escreveu e dirigiu um dos maiores cults da História do Terror. Baseado em seu curta, filmado com 1.600 dólares, Evil Dead mostrava cinco estudantes universitários em férias em uma cabana isolada em um bosque remoto. Depois de encontrar uma fita de áudio que libera uma legião de demônios e espíritos, os membros do grupo vão sofrendo possessão demoníaca, abrindo espaço para momentos do mais puro gore que o cinema pode produzir.

Deixe sua opinião

Peter Parker volta com Mary Jane e de quebra ganha (novamente) uma filha?

Clássicos Cinemark: “Bonnie e Clyde” (1967)