em ,

Diretor e elenco de “Casa da Mãe Joana 2” dão entrevista para o Ambrosia

Em Copacabana, no Rio de Janeiro, o Ambrosia teve a oportunidade de entrevistar o diretor Hugo Carvana durante o lançamento de seu novo filme, a continuação do seu sucesso de 2008, “Casa da Mãe Joana”. O cineasta (e também ator) disse que o que o motivou a realizar “Casa da Mãe Joana 2” foi continuar a mostrar a amizade dos protagonistas interpretados por José Wilker, Paulo Betti e Antonio Pedro Borges, e que quis fazer uma brincadeira com a inclusão de fantasmas na história. Mas que não pretende fazer uma terceira parte porque, segundo Carvana, “já deu o que tinha que dar”.

Paulo Betti, José Wilker, Caíque Luna e Hugo Carvana (foto: Célio Silva)
Paulo Betti, José Wilker, Caíque Luna e Hugo Carvana (foto: Célio Silva)

O diretor também comentou o atual momento das comédias no Cinema e considerou que sucessos como “Minha Mãe é Uma Peça”, “E aí, Comeu?” e “Cilada.com” se baseiam muito nas piadas que se esgotam, enquanto que seus filmes procuram tirar a graça até mesmo de situações dramáticas e que tenham um caminho a seguir. Para Carvana, produções como “Vai Trabalhar Vagabundo” não cabem mais no cinema brasileiro porque a realidade violenta da sociedade acabou com a visão romântica que tinha dos personagens amorais de seus filmes anteriores. Porém, ele confessa ter um fascínio pelo mau caráter, mas no bom sentido. Ele adiantou que já tem um novo projeto em andamento, chamado de “Curto Circuito”, e que deve contar com alguns atores de seu novo filme.

Antonio Pedro Borges, que vive o personagem Montanha, disse que o humor dos filmes de Carvana são sentimentais e que resolveu fazer “Casa da Mãe Joana 2” porque achou que ele tinha algo a mais para dizer sobre os personagens. Ele elogiou o clima que o diretor criou nos sets de filmagem e os colegas de elenco com quem trabalhou. Para ele, há uma originalidade na comédia feita no Brasil, pois o povo se identifica com ela, e considera o Zorra Total “o programa mais importante da Televisão Brasileira”. O ator também comentou a relação de Montanha com sua musa inspiradora, Dolores Sol (novamente interpretada por Juliana Paes), que nesta sequência aparece em quadros espalhados pela sua casa e “fala” com ele durante alguns momentos da trama.

casa_joana_entrev1
Antonio Pedro Borges, Paulo Betti e Leona Cavalli em “Casa da Mãe Joana 2” (Foto: Divulgação)

Paulo Betti, que volta a viver P.R., disse que gosta da maneira que Hugo Carvana o deixou solto para interpretar o seu personagem, sem maiores questionamentos sobre como ser um “prostituto masculino aos 60 anos”. Ele curtiu especialmente a sequência em que aplica um golpe na personagem de Carmem Verônica, onde finge falar espanhol. Além disso, o ator achou divertido trabalhar com efeitos especiais e elogiou a participação de Leona Cavalli e a equipe por trás da produção. Betti disse que pretende produzir e dirigir com a sua ex-mulher, Eliane Giardini, uma versão para o Cinema da peça de Henry James, “A Fera na Selva”, que fez com ela há 30 anos atrás. As filmagens começariam logo após a Copa do Mundo de 2014.

casa_joana_entrev2
Betty Faria e Anselmo Vasconcelos em cena de “Casa da Mãe Joana 2” (Foto: Divulgação)

Betty Faria e Anselmo Vasconcelos, que são amigos há muitos anos, e interpretam um casal de golpistas em “Casa da Mãe Joana 2”, contaram que admiram muito o trabalho de Hugo Carvana por trás das câmaras e se sentem muito felizes por estarem num bom momento de divertir o público. Mas negaram que o filme é uma “neo-chanchada” e disseram que o diretor reuniu o que há de melhor no Cinema Brasileiro. Caíke Luna, que estreia no Cinema fazendo o fantasma Zazzie, afirmou que foi um grande prazer atuar ao lado dos veteranos atores. O ator disse que não se incomodou com a pesada maquiagem porque já tinha uma experiência anterior por causa de peças de teatro infantil e que não se sentiu muito exigido para fazer as cenas com efeitos especiais.

José Wilker, que interpreta novamente Juca, disse que trabalhar com gente que o conhece há anos é muito mais confortável e, ao mesmo tempo, sua capacidade de enganar fica limitada quando você está com alguém que já sabe os seus truques, o que aumenta os riscos. Para Wilker, o filme é feito para todo tipo de público e o Cinema Brasileiro não deve se preocupar apenas com a bilheteria. O ator e diretor acredita que “Casa da Mãe Joana 2” é um filme que trabalha com elementos da Comédia Nacional, mas com uma ótima qualidade técnica, com um roteiro mais elaborado.

“Casa da Mãe Joana 2” estreia nos cinemas no dia 06 de setembro, em todo o Brasil.

Participe com sua opinião!