Mostra de Cinema de Ouro Preto, em versão online, foca em educação, preservação e memória | Festivais | Revista Ambrosia
em ,

Mostra de Cinema de Ouro Preto, em versão online, foca em educação, preservação e memória

Já estamos mais do que conscientes de que a pandemia de coronavírus mexeu com o mundo do entretenimento, em especial com os festivais de cinema. Vários foram cancelados, outros aconteceram em versão online.

A 15ª edição da Mostra de Cinema de Ouro Preto, ocorrida entre 03 e 07 de setembro, foi um destes festivais que optaram pela versão virtual. A mostra trouxe temas atuais como cinema na educação, memória, história e preservação.

Durante cinco dias aconteceram, de forma remota, as reuniões do Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros e o Encontro da Educação: Fórum da Rede Kino – Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual, que ocorrem presencialmente em Ouro Preto em paralelo ao festival.

Foram exibidos, de forma gratuita, 76 curtas, 12 médias e 15 longas-metragens. Outro destaque do festival foram os debates e masterclasses ao vivo, com transmissão via YouTube, e muitos deles contaram com ferramentas de acessibilidade.

Entre os convidados dos debates sobre preservação estavam representantes da FIAF – Federação Internacional de Arquivos de Filmes –, da Cinemateca Portuguesa e do Museo del Cine Pablo Ducros Hicken de Buenos Aires. A partir da fala de Paula Félix-Didier, responsável por este último, foi possível perceber que a preservação audiovisual e a restauração enfrentam problemas de diversas ordens em toda a América Latina.

Obviamente, foi discutida a crise sem precedentes na Cinemateca Brasileira. Neste momento, foi apontada a necessidade de a Cinemateca ser tratada como o órgão de patrimônio histórico que ela é para frear seu sucateamento, bem como a importância das cinematecas e arquivos regionais e a colaboração entre preservacionistas e arquivistas em âmbito nacional e internacional.

Mostra de Cinema de Ouro Preto, em versão online, foca em educação, preservação e memória | Festivais | Revista Ambrosia
Cena de “A Jangada de Welles” (2019)

Algumas falas se destacaram na mostra, entre elas a de Myra Babenco, filha do cineasta Hector Babenco, ao discutir a preservação do filme Pixote, a Lei do Mais Fraco: “Todos os filmes são fundamentais para a história do cinema”. Na parte de cinema e educação, destaca-se a afirmação de Ally Colaço, coordenadora da Rede Kino: “Muitas das vezes, quando a gente pensa em educação, pensa escola, mas vai muito além disso. É transformação. Projetos audiovisuais em contexto escolar possibilitam o acesso, compartilhamento e formação de público.”

Alguns filmes foram exibidos em caráter de pré-estreia ou estreia, como o documentário A Jangada de Welles (2019), sobre a passagem de Orson Welles pelo Brasil no começo dos ano 40 e sua relação com um grupo de pescadores de Fortaleza, e Fotografação (2019), de Lauro Escorel, sobre a história e os usos da fotografia no Brasil. Outro destaque foi a reconstituição parcial do primeiro filme falado do país, Acabaram-se os Otários, de 1929.

A reconstituição já havia sido exibida em outros eventos, e foi ótimo ter a oportunidade de conferir este trabalho árduo e primoroso para resgate de parte da história do cinema brasileiro – e não poderíamos esperar menos de uma mostra que sempre visou tratar o cinema como patrimônio.

Mostra de Cinema de Ouro Preto, em versão online, foca em educação, preservação e memória | Festivais | Revista Ambrosia
Cena da reconstituição de “Acabaram-se os Otários”

Segundo a organização do evento, foram feitos mais de 100 mil acessos ao conteúdo, que atraiu um público de 54 países. Foram publicadas duas Cartas de Ouro Preto, uma sobre as prioridades do setor de preservação audiovisual e outra sobre a importância da arte na educação. Torcemos para que a situação se normalize e Ouro Preto volte a ser palco de trocas sobre cinema, mas ao mesmo tempo, haja vista o sucesso da versão online, sugerimos aos organizadores que as futuras edições tenham algumas sessões e debates transmitidos pela internet, para que tão importantes discussões cheguem a um público maior e igualmente interessado.

Participe com sua opinião!