em

O que esperar de “A Origem”?

O mês de agosto está chegando, e enquanto muitos pensam que este meio de ano foi meio sem graça em termos de filmes legais para se sentar numa sala de cinema e apreciar, tanto visualmente quanto em relação à história, talvez A Origem possa ser a salvação. Durante o artigo vou deixar uma série de clipes que foram liberados na internet mostrando diversos trechos do filme para ilustrar melhor do que com imagens estáticas.

Chris Nolan, diretor dos últimos dois Batmans e Amnésia, tinha essa idéia, mas nunca havia conseguido colocar no papel um roteiro que expressasse o que ele queria mostrar ao público. Com o sucesso de seus Batmans, chegou a vez dele colocar esse projeto em andamento, e da Warner bancar os US$ 200 milhões de orçamento após quase oito anos de desenvolvimento, desde quando ele procurou a produtora após lançar Insônia em 2002.

Leonardo DiCaprio, Marion Cotillard, Joseph Gordon-Levitt, Ellen Page, Ken Watanabe, Cillian Murphy e Michael Caine. Um elenco de estrelas e pessoas nas quais ele confia e já trabalhou junto. Era hora de trazer de volta o compositor Hans Zimmer, com quem havia trabalhado por último em Batman – Cavaleiro das Trevas, e começar a filmar o mundo dos sonhos.

Agora, era a hora de colocar os atores no ritmo do seu roteiro e para isso, nada melhor do que apresentar um mundo onírico, onde realidade e fantasia se misturam, e onde o inconsciente prega suas peças: The Wall, do diretor Allan Parker e escrito por Roger Waters. Não se sabe ainda o quanto de The Wall poderá se perceber em A Origem, mas com certeza a idéia de abstração da realidade está presente, talvez onde menos possa se esperar.

Em A Origem, vemos um mundo em que a tecnologia nos permitiu invadir o subconsciente das pessoas para poder roubar seus segredos mais íntimos. Sabemos que o personagem de DiCaprio é o melhor nesse ramo. Ainda há muitos detalhes que a promoção do filme fez questão de esconder pela razão perfeita: deixar o público curioso.

Afinal, estamos falando de um filme que usa psicologia e psicanálise para criar situações de ação e tensão em um mundo em que nem sempre as leis da física são aplicáveis, como vimos no trailer na cena em que o ator Joseph Gordon-Levitt está em um combate em que a gravidade fica louca e vai e volta a todo momento.

Segundo o próprio Nolan, este é o mais próximo que ele conseguiria chegar de fazer um filme de James Bond. Vendo o trailer e ouvindo a palavra de quem já assistiu nas pré-estréias, na verdade o filme é uma mistura de James Bond com Matrix, usando-se uma premissa de espionagem para ingressar em um mundo onde nem sempre as regras são como se poderia esperar. É o que há de mais original em termos de filmes de ação nos últimos anos.

A verdade é que este é um daqueles filmes para se asssitir algumas vezes, analisando detalhadamente o cenário, trilha sonora, som ambiente e interpretações. Pelas músicas criadas por Hans Zimmer, podemos perceber que com certeza existirão grandiosas cenas a serem vistas e ao que tudo consta, a trilha será importantíssima na criação da ambientação, como podemos perceber pelos trailers.

Claro que sendo o mesmo compositor da trilha de Cavaleiro da Trevas, quem assistiu o filme irá perceber semelhanças entre ambas, mas com certeza aqui há algo mais profundo, talvez até mais preso ao clima do filme do que no anterior.

A verdade é que A Origem promete ser um dos melhores, senão o melhor filme do ano. Agora, basta esperar até dia 06 de agosto de 2010 para podermos conferir em uma sala de cinema no Brasil, já que lá fora o filme estréia oficialmente na quinta de madrugada.

J.R. Dib

4 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Eu tenho tanta expectativa quanto medo do resultado final. Acho que vai ser incrível, mas meu receio de ser algo apenas visualmente fascinante ainda se faz presente. Fora que o elenco é praticamente um best of de astros com menos de 40 anos desses primeiros anos do século XXI. Tomara que todos esses críticos no Rotten Tomatoes estejam certos.. .http://www.rottentomatoes.com/m/inception/

  2. Concordo. Essa de que o filme pode ser um marco só existiu para mim em Star wars (original), Matrix (o primeiro) e Senhor dos Anéis, onde assisti milhoes de vezes e cada vez mais, ao seu modo, decobrindo coisas novas. Hoje em dia a diferença de um filme para o outro ainda é o roteiro, porque efeitos especiais todos podem ter. É o exemplo de Avatar. O filme só existe no cinema e em 3D ou mesmo Narnia e Matrix 2 e 3 que são super bem feitos, mas não empolgam.

Participe com sua opinião!