em ,

O Retorno de Mary Poppins é magia e deslumbramento

Para revisitar o universo de um clássico do cinema como Mary Poppins, a Disney e o diretor Rob Marshall (do premiado Chicago) criam uma história que faz a narrativa ir para frente, contando o retorno da personagem da Rua das Cerejeiras nos anos 30, quando as crianças do longo original já são adultos. Ao mesmo tempo, eles fazem uma adaptação do original, mas criando novas cenas que remetem ao filme de 1964. Para quem está entrando nesse universo pela primeira vez, irá acompanhar uma história divertida e emocionante, e já para quem já conhece, é nítida a linda homenagem que fazem.
Nessa nova história, Michael Banks (Ben Whishaw) é um viúvo com três filhos que tem como apoio da irmã Jane (Emily Mortimer) para conseguir manter as casa dos pais que será tomada pelo banco. Para isso, eles recebem a ajuda de Mary Poppins (Emily Blunt) e de Jack (Lin-Manuel Miranda) para guia-los a trazer esperança e magia a família.

O Retorno de Mary Poppins é magia e deslumbramento | Críticas | Revista Ambrosia

A dupla Blunt e Manuel Miranda são os grandes destaques do filme, com atuações primorosas e que funcionam perfeitamente nas cenas dos musicais, emprestando aos personagens a o carisma, a alegria e charme necessários para que o filme tenha a grandeza necessária que pede. Blunt substitui Julie Andrews do filme clássico com maestria, elegância e de maneira correta, discreta, como uma boa britânica que tenta não chamar atenção, mas que entrega tudo de coração. Já Manuel Miranda é uma grata surpresa reprisando o papel de Dick van Dyke, que nessa nova versão agora é um acendedor de lampiões, que ganha mais uma motivação na trama.
Como um bom musical, as músicas são ótimas (que provavelmente terá alguma indicada nas premiações vindouras) e as cenas de coreografia são maravilhosas. Mesmo com o respeito pelo filme original, consegue-se perceber o dedo do diretor nessas cenas e que só acrescentam uma certa modernização sem perder o charme e a caracterização delas. Em destaque as cenas com os pinguins, feitas por animação 2D e a cena do grupo de Jack que ascendem os lampiões.

O Retorno de Mary Poppins é magia e deslumbramento | Críticas | Revista Ambrosia

As homenagens a história original estão lá, garantindo a magia e deslumbramento que o filme merece. Apesar da ótima cena com Dick van Dyke, faltou a participação de Julie Andrews para coroar o filme, que declinou o convite.

O Retorno de Mary Poppins é magia e deslumbramento
4 / 5 Reviewer
{{ reviewsOverall }} / 5 Users (0 votos)
Rating4
What people say... Leave your rating
Ordernar por:

Deixe sua nota e participe!

User Avatar User Avatar
Verificado
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Leave your rating

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Participe com sua opinião!