em

Watchmen: Uma perspectiva do vazio

watchmenbatatafritacomketchup

Antes de iniciar esta breve resenha gostaria de avisar que ela contém diversos spoilers e comentários sobre a HQ e a película. Talvez seja bom avisar que como um todo, não irei traçar uma visão muito positiva da adaptação.

Ainda não sei responder se Watchmen é um bom filme… É possível que sim, mas na cabeça de alguém que já releu a minissérie tantas vezes fica bastante difícil de tirar uma conclusão mais precisa. Afinal, Watchmen é uma das melhores histórias já contadas, e não há como negar que o filme seja bastante fiel a ela. Talvez este seja até mesmo um dos seus maiores defeitos. O Cavaleiro das Trevas de Nolan é tão maravilhoso por ser original, ele respeita o espírito da HQ, mas produz algo novo e muito especial sobre aquele universo. Apesar disso, reconheço que como este é baseado em uma série contínua, acaba não servindo de exemplo. Bom exemplo mesmo é “V de Vingança”, que ao contrário de Wacthmen não é nem um pouco uma reprodução da HQ quadro a quadro, ainda que seja inferior a matéria prima, em V temos completamente a alma e o sentido da obra original sob uma nova dinâmica e coerente roupagem. O filme dos irmãos de Matrix se tornou uma nova e bem sucedida versão da narrativa de Alan Moore.

Watchmen é uma obra magistral, com cerca de 360 páginas, nos é narrada uma história que perpassa por mais de 100 personagens e por 50 anos de um mundo complexo e diferente. O filme, obviamente, foi obrigado a deixar boa parte deste conteúdo para trás e de fato não havia outra forma de realizá-lo. O problema se dá por causa de algumas escolhas de cortes que foram muito mal sucedidas, pior ainda, muito conteúdo inútil foi adicionado à história. Detendo-me um pouco sobre este tema, posso citar coisas bizarras como a paternidade de Laurie Júpiter, que acabou ganhando um ar esquizofrênico e resolvido aos atropelos (como assim o  Dr. Manhanttan tentou fazê-la ver o mundo como ele? WTF? Na HQ eles conversam a respeito do passado dela e aos poucos a personagem vai chegando a esta conclusão, a partir de  algo muito mais emotivo e palpável do que um raio do Dr. pilha azul), se o filme não mostra os envolvimentos de Veidt com engenharia genética, como o Bubastis aparece na fortaleza do mesmo (deixando qualquer um que não leu a HQ sem a mínima idéia de por que ele tem aquele bixo bizarro)? Toda a história dos Minutemen também foi para o saco, assim como as vidas de todos os personagens humanos normais da HQ (mais sobre isso adiante). O maior buraco, é claro, fica por conta de todo desenvolvimento sutil da obra de Adrian Veidt, mas isso é compreensível pelo novo e bastante satisfatório desfecho do mesmo.

Em contrapartida a este problema, é possível afirmar que Watchmen sofre do mesmo mal de 300, que é essa busca pelo gore e pela brutalidade exagerada do diretor. Tivemos várias cenas de ação que ficaram gigantes e ridículas completamente sem motivo. O assassinato de Blake (sem dúvida a melhor das cenas do filme, que casou muito bem com “Unforgettable” de Nat King Cole) que no original se limita a um soco e um empurrão pela janela transcorre por uma seqüência bastante grande de violência com um uso exagerado da câmera lenta. Isso por que estamos falando da cena mais legal. Eu entendo que por algum motivo existe a lógica de que se tem porrada e sangue a coisa vende e é legal, mas isso não é Watchmen, e a coisa fica incoerente com o resto da película. O filme, assim como 300 é um grande exagero apologético a violência desnecessária. Para citar alguns exemplos: Rorscharch para fugir da polícia, usa seu lança-chamas na roupa de um policial e depois corre pelas escadas, e ao cair da janela é preso sem luta, no filme ele queima vários e ainda dá muito porrada antes de cair. Em 77, quando o Coruja e o Comediante tentam dispersar a multidão enfurecida, Blake faz uso de uma granada de gás lacrimogêneo que é o suficiente para que as pessoas saiam de lá, no filme, ele desce da nave, enche as pessoas de porrada e tiros e só aí lança a granada (ambos terminam a cena atirando no pichador pelo menos). Quando o Coruja e a Espectral (é assim em português?) vão fazer o resgate na prisão, eles ligam um barulho na nave que faz com que as pessoas fiquem atordoadas, durante todo o resgate eles só dão um único soco, no filme é uma grande seqüência de ação. O mesmo vale para praticamente todas as lutas grandes e chatas do filme, que raramente passavam de uma página nas HQs (às vezes limitadas a um único quadrinho). Se não havia espaço para desenvolver a história direito, por que dar espaço a porradaria sem sentido?

Sobre a questão da sanguinolência (do famoso gore), por algum motivo, todas as lutas mostravam fraturas bizarras e sangue que não aparece nas HQs. O auge se dá na prisão, onde na obra original o primeiro capanga, aquele que fica preso a grade, não tem seus braços decepados, e Rorscharch quebra no chute o bidê matando o segundo eletrocutado. Algo simples e funcional, cuja transcrição para o filme se tornou bastante chocante sem trazer nenhum acréscimo à trama.

O que nos traz ao que para mim é o grande problema do filme. Na história de Moore, obviamente por ter mais espaço, não só adquirimos um conhecimento muito mais profundo daqueles personagens, mas outros tantos também nos são mostrados. O Jornaleiro, os policiais, o garoto da banca, a família do psicólogo, enfim, dezenas de personagens normais aparecem e nos cativam com suas histórias e a familiaridade inata a condição de cidadãos comuns. No filme não vemos praticamente nenhum deles e quando Nova York é destruída, a impressão que me passou foi de irrelevância. Todos os heróis sobreviveram, nós não conhecíamos ninguém ou sabíamos nada sobre aquela Nova York bizarra que aparece nas telas. Não existe sentimento. O filme me parece uma reprodução fria e bruta da HQ. Eu até gostei do final alterado, mas o problema é que não me senti tocado por ele. Bom mesmo é o fim da HQ, onde a Sally Júpiter, depois de conversar com a filha e seu novo marido (o Dan, que assume o nome de seu funesto amigo Hollis Manson), vai até o seu quarto emocionada e dá um beijo na foto do Comediante. O que é não ver as ruas de Nova York e os personagens que observamos por tanto tempo terem suas existências destruídas pelo genial plano de Veidt. Enquanto Laurie e Dan, depois de reconhecer a validade do plano de Ozymandias tentam preencher seu vazio fazendo amor ali mesmo, no palácio da Antártida. A grande verdade é que o filme, ainda que fiel, falhou completamente em sua tentativa de me despertar qualquer emoção que o ocasional “que legal”.

Eu ia falar um pouco sobre a estética do filme, e como ela em grande parte ficou muito boa e etc, mas acredito que isso seja falar o óbvio (e reclamar do visual ridículo do Adrian “Robin do Batman de Schumacker” Veidt, e da roupa de látex de uma heroína cujo nome Silk Spectre se traduz como Seda Espectral). Nesse sentido o filme vale bastante à pena. Até mesmo as músicas como um todo são bem legais, ainda que muitas delas me soarem às vezes fora de contexto, principalmente as mais agitadas (mas a citação a “Apocalipse Now” foi genial).

Mas enfim, Watchmen é um filme bom? Não sei, realmente não fez diferença para mim, pois na minha opinião é apenas uma versão bem mais fraca da obra prima dos quadrinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

75 Comentários

  1. Eu realmente acho que ficou muito aquém da HQ sim e o problema é bem esse que você mostrou, ele rodou demais em torno dos supers e esqueceu que a verdade é muito sobre a humanidade mesmo.

    Eu não acho que a destruição das cidades tenha sido indiferente, no filme pra mum pareceu mais uma estupidez, porque você não vê realmente como o mundo está ou o que está acontecendo de verdade, você só vê que as pessoas não querem mais mascarados e só alguns momentos você sente o que a humanidade se tornou.

    Snyder se preocupou demais com a estética do filme e esqueceu que Watchmen tem uma mensagem bem mais simples a passar, coisa que o filme definitivamente não fez. É só um desfile de roupas bonitas, combates bem feitos e muitas cenas de câmera lenta.

  2. Bem, eu vou esperar passar na tv para assistir, sem dúvidas. Eu estava esperando a resenha de um site decente para confirmar o que eu já tinha certeza. Muito obrigado!

    E um segundo parabéns, pois tem um certo site que mexe com ‘ovos’ que praticamente diz que é o melhor filme do autor da resenha, e ainda dizendo que é fã da HQ, sem esquecer o link do anunciante dele ao lado e embaixo da resenha. Que perda de credibilidade…Mas gosto e necessidade de pagar as contas não se discute.

    A alteração do final não deixou a trama sem sentido? Faz tempo que não releio, mas perde todo o sentido do plano, que era a runião dos povos da terra com uma “invasão alienígena”. Certo?

    Mais uma vez parabéns e obrigado!

    Gilson

    • Não deixou sem sentido não, achei o filnal até bem fechadinho, a questão é que você não consegue sentir que aquilo era realmente necessário ou sentir pena por todas as boas pessoas que morreram, que é justamente uma coisa que o quadrinho passa muito bem com todos os personagens humanos (que foram sumariamente ignorados no filme).

  3. Muitas pessoas estão desacreitadas do filme pelo apego à HQ ou por, no fundo, achar que ela tem que ser jogada na íntegra numa tela cinema, já que é pra ser adaptada. Enfim, os comentários acima soam pessismitas demais. Fui ver o filme nesta semana, e estou indo novamente hoje. Não é o melhor filme de heróis do mundo (coo a HQ certamente é, justament epor desconstruir todo o genero), mas é bom. Convence em vários aspectos, o que acredito já ser suficiente para o público COMUM. Deve-se lembrar que eles são a principal fonte de bilheteria, não um bando de fanboys chatos.

    • Não sei, eu acredito exatamente o oposto, que o diretor se preocupou tanto com a HQ que o filme não ficou bom, não como adaptação (pois ele é um copia e cola corrido e cortado, quem leu o quadrinho entende tudo), mas como filme mesmo.
      A história é corrida demais, falta desenvolver melhor todos os personagens, algumas cenas parecem sem coerência ou necessidade (para quem não conhece o trabalho de Moore).
      Vide a relação da Silk Specter com a mãe, pouco é mostrado das duas, é basicamente só a visão da discussão, aí ela volta para se reconsciliar no final, como se isso fosse algo muito importante na trama do filme, só que não é, é apenas mais uma das diversas informações que são colocadas nele. E, para mim, esse é o problema central, Watchmen é um trabalho muito denso E longo para ser tranferido na “íntegra” e ficar bom para o público comum absorver suas idéias principais.

  4. Para mim, que não sou o maior fã de Watchmen mesmo, o filme ficou bem aceitável, como o Felipe Morcelli disse no comentário acima, acho que a adaptação ficou entendível e palpável para o público geral, e tenho plena certeza de que era essa a intenção de todo o povo que fez o filme, atingir a maioria e não um grupo de entusiastas (pra não dizer fanboys), e claro, pelas notas verdinhas.

  5. Adorei amei o filme, sensacional, fodaico. Mas soh entrei nessa emoção toda 2 horas após ter assistido o filme.
    Tiveram varias coisas q seriam intransponiveis para o cinema e isso os fanboys tem q entender. Zach colocou elementos proprios dele, vide slow motion, e acho q ele tem esse direito, poh, eh a profissão dele e ele tem esse direto.
    E quanto ao exagero de gore, achoq quando souberam q a censura ia ser 18 aproveitaram pra escrachar mesmo, as cenas de ação são muito boas, tirando oos pulos duplos.

  6. Óbvio que adaptação precisa cortar, só os idiotas acham que deveria ser igual. Ou Senhor dos Anéis precisaria de um seriado de vários anos e este filme de mais 5 horas de duração. Ainda continuo sem saber se o final resolveu a questão do plano do maluco, que era ‘unir o planeta’. E como não achei meu dinheiro numa árvore terei que esperar na TV.

    Gilson

  7. Finalmente uma crítica isenta sobre os pontos fracos do filme, sem balançar o ovo do p(ovo) do cinema que certos sites fazem por aí…

    Concordo com o Gilson, acima, entretanto. Também continuo sem saber se o final resolveu a questão do plano de unir o planeta e do porquê do Comediante ser assassinado, já que não existe mais o mostro para ele ter visto a Ilha da HQ original.

    Alguém já sabe onde baixar o arquivo real do fime? Pagar R$ 15,00 num cinema pra arriscar nem pensar. Se o filme se resolver por si mesmo, sem grandes buracos (como V de Vingança, que odiei), aí sim eu vou ao cinema…

  8. na minha opinião o filme é mto bom,claro que comparado com a hq é um pouco inferior,mas é impossivel passar toda a história da hq em pouco mais de 2;00 horas de filme!!!e é normal porque a maioria dos filmes baseados em hq ,nunca saemidenticos a hq mesmo assim são bons..
    watchmen é um filme que vai entrar para a história por ser de autoria de um dos maiores escritores do mundo:alan moore,sem contar que o filme é bom sim mas não é possivel colocar a obra inteira de aln moore em duas horas de filme..

    • Camino da onde você tirou essa informação? Eu estou deixando bem claro que eu gostaria sim que houvesse mais ousadia e originalidade e menos cópia e fodonismo no filme. Por que raios eu reclamaria se isso tivesse sido feito? Eu amo coisas originais como V de Vingança e Cavaleiros das Trevas… Não existem filmes baseados em hqs melhores do que Ghost World, american splendor… onde o diretor, sacando o que a mini dizia contou uma história de forma completamente original…. Que venham teias orgânicas, o próprio final novo não me irritou tanto, só achei que a paz ficou meio exagerada (mas pretendo falar disso no post do JR)…

  9. Alan Moore deve estar querendo se matar.

    Todos os filmes baseados em suas obras são umas bostas. O melhor até agora é Watchmen, se bem que achei mto aquém do que esperava, afinal nunca li os quadrinhos (ainda) e sempre ouvi amigos fazendo ótimos comentários.

    O filme é basicamente normal, se não existisse os quadrinhos seria um filme até chato. Mas é um filme mto bem feito só que não faz com que a gente sinta aquela excitação que O Senhor dos anéis me causou. Eu daria nota 7.

    • Ou não, poderiam amar a história, assim como amamos em sua versão original.

      O problema até agora foi que os únicos exemplos de fidelidade máxima que tivemos foi em Sin City e 300. Sendo que apenas 300 teve um entendimento maior do público, já que a estético monocromática de Sin City confundiu o publico leigo.

    • Até aí Salvador você é o mais chato que gosta de tudo que todo mundo gosta.

      Dava para manter toda a fidelidade de Watchmen no filme, não vejo motivo de terem mudado o Final, além de outras coisas. Se a proposta do diretor era ser fiel independente do estúdio, que mantivesse a palavra.

      Desculpa Salvador se eu sou uma pessoa de bom senso e não fico satisfeito com pouco. Se você acha legal uma coisa que custou milhões ser pior que a obra original, problema é seu, eu acho desperdício de dinheiro e tempo.

      Com essa grana poderia está fazendo algo de útil pelo menos.

    • Não é isso não Lam. Você é o tipo de fanboy chato que gosta que copiem exatamente tudo como nos quadrinhos. Você reclama dos minimos detalhes das adaptações e ainda não entendeu que um filme baseado numa obra em quadrinhos não é para ser uma simples transposição da ilutstração para a película.

    • Fanboy sou, mas não xiita.

      Eu tenho bom senso do que pode ser adaptado ou não. Eu não gostaria de ver Império Sh’iar em um X-3, nem Guerras Secretas para explicar o Venom em um Homem-Aranha 3, e nem Guerra do Vietnã no Homem-de-Ferro.

      E até agora não vejo motivos para as mudanças já que a proposta do diretor era manter TUDO! Se o leigo não vai entender, que coloque um narrador explicando, isso pode ser feito.

      Duvido muito que você achou legal as mudanças em A Lenda de Chun-Li e Dragon Ball Evolution, fala aí, um Campeonato Clandestino de Luta feito por um Ditador e um Garoto Divertido com Poderes Misteriosos em busca de 7 Objetos Mágicos são difíceis de adaptar com fidelidade, né?

  10. Sinceramente discordo completamente desta crítica, achei os argumentos totalmente chatos como o filme ficaria se o Snyder não tivesse acrescentado com brilhantismo a música e as cenas de ação. Não quer ir no cinema lê o quadrinho e pronto… não faz sentido ir no cinema e esperar ver a obra do Moore com todos detalhes, aliás quem esperava isso?

    As pessoas que reclamam do Watchmen são as mesmas que reclamam da falta do tom bombadil no senhor dos aneis… isso não é uma questão de não entender cinema, é uma questão de não entender quadrinhos nos cinemas.

    • Parece que você não leu a resenha.. eu não quero detalhes e fidelidade máxima, eu quero uma história que seja densa e me toque como a original, não precisa seguir o caminho igual para isso. O filme é a hq com menos tudo que ela tinha de bom e um acréscimo imbecil de porrada e sanguinolência desnecessária, exatamente como 300.

    • Felipe você está entrando em contradição aqui, primeiro você disse no seu texto

      “Ainda não sei responder se Watchmen é um bom filme… É possível que sim, mas na cabeça de alguém que já releu a minissérie tantas vezes fica bastante difícil de tirar uma conclusão mais precisa.”

      agora você escreve:

      “O filme é a hq com menos tudo que ela tinha de bom e um acréscimo imbecil de porrada e sanguinolência desnecessária, exatamente como 300.”

      Melhor você se decidir primeiro…

    • Se eu tivesse dito isso no corpo do texto de fato seria uma contradição, pois de fato na sexta a feira a noite eu estava em dúvida se mesmo com a minha completa má impressão do filme ele seria assim ruim, afinal a hq é boa demais e não denego que isso poderia estar atrapalhando minha visão do todo. Depois de dois dias onde passei boa parte do tempo debatendo esse filme com meus pares (e até influenciado pela interessante opinião do JR) cheguei a conclusão que o filme é sim bastante fraco….

  11. O que me deixa mais triste é você reclamando de uma crítica de fã que tem todo o direito de reclamar. Afinal conhece sobre a obra e tem argumentos para está criticando.

    Não vejo motivos algum para elogiar o filme só porque ele é legal, “massa véio”, elegante e etc, enquanto seu conteúdo sequer foi passado para o público.

    Infelizmente Adaptações de Quadrinhos viraram Distorções de Quadrinhos.

    • Para quem não entende que são duas mídias diferentes pode parecer mesmo. Lam você é mais “massa véio” do tudo que você reclama ser, reclamar das mudanças estéticas e narrativas e se prender no conceito chapado e na idéia de que tudo deve ser copiado é muito mais “massa véio” que buscar compreender as mudanças e soluções empregadas na obtenção do resultado.

    • Não estou comparando Dragon Ball e Street Fighter com Watchmen, mas estou entrando na questão adaptação.

      Dá para fazer algo fiel e bom ao mesmo tempo, que agrade leigo e fãs, O Senhor dos Anéis está aí para isso. Sin City e 300 idem. Homem-de-Ferro.

      Essa é a questão. O filme mudou todo a visão de Watchmen. Enfim, quarta-feira eu volto a comentar.

  12. Outra coisa importante, não dá para acusar o filme Watchmen de ter violência demais quando os quadrinhos também têm as mesmas cenas de luta. A cena de luta do Comediante é exatamente igual a dos quadrinhos, a cena do assalto da Spectral com o Coruja também está presente nos quadrinhos e assim por diante.

    Claro que no cinema há mais ação. Um filme de três horas de falação iria se tornar chato. Não somente as cenas de ação foram bem encaixadas na adaptação do roteiro para nova realidade dos super-heróis dentro do filme como a inserção das músicas também evitaram que o filme se tornasse cansativo.

    • Po camino, mais uma vez, leia o que eu escrevi… fiz a resenha com a hq na mão… A violência não se compara, a cena da prisão só tem UM soco desferido pelo coruja e a espectral… eles invadem a coisa na encolha… a fuga do rocharch não tem nenhuma porradinha se quer…. o filme exagerou todas as cenas de luta e as extendeu para cacete.. Desde quando um filme de três horas de falação é chato… posso te dar milhares de exemplos de bem… os melhores filme que eu já vi não costumam a ter algum tipo de soco….

      Cara eles cerram o braço do maluco a troco de que?????? Por que raios o comediante atira e bate nas pessoas? Nada disso era necessário a história… Não defendo que eles sigam a HQ quadro por quadro, mas sou contra ficar desperdiçando tempo de filme com socos inúteis….

    • Novamente você continua se contradizendo, você quer que o filme seja literal ou não? Ou então ele pode ser independente somente naquilo que VOCÊ considera correto?

      Ou você aceita uma visão ou não aceita, não é legal ficar encima do muro como quando escreveu a resenha e depois mudar a favor do vento. Não entendo uma coisa simples, como alguém pode ir para o cinema sabendo que o filme tinha essa linha e depois ficar criticando isso? Isso é sadismo, ficassem todos com a HQ ou com a versão motion comics.

    • “Não defendo que eles sigam a HQ quadro por quadro, mas sou contra ficar desperdiçando tempo de filme com socos inúteis….”

      Obviamente você não está a fim de discutir de verdade e fica meramente instigando um mesmo loping de argumentos não importa o quanto eu explicite meus pontos…

      “então ele pode ser independente somente naquilo que VOCÊ considera correto?”
      Claro, é uma resenha crítica eu discordo do diretor baseado na minha visão correto… Sim, se ele for independente em um ponto que eu considero lixo, para mim é lixo…. Ninguém merece o Snyder encher o saco de todo mundo dizendo que tentou fazer uma adaptação quadro a quadro quando chega nas cenas de ação e ele as exagera sobermamente… ele sim se contradiz nisso, não eu… Sou contra o quadro a quadro e odeio ação sem próposito, para mim é tempo que poderia ter sido gasta desenvolvendo os personagens…

      Mas enfim, não dá mais para discutir… ambos já nos fizemos claros e sabemos que não vamos convencer um ao outro de nossos argumentos… respeito que vc tenha gostado, beleza, não tem problema com isso. Eu repetindo minha última frase da resenha, acho que foi uma versão fraca da obra prima das hqs…

    • Ai que tá Felipe, você só pensa em você e na meia duzia de fanboys que leram os quadrinhos e acham que o filme deveria ter sido feito apenas para agradar vocês. É o mesmo tipo de argumento que cansei de ouvir dos fãs xiitas do Senhor dos Anéis.

      Essa visão de mundo ingênua chega a ser preconceituosa, pois esse tipo de atitude afasta mais pessoas de ter a chance de vislumbrar o prisma multiluzente da obra completa. Mas é como eu disse, não entende ou não quer entender ficasse em casa no lugar de dar dinheiro para uma forma de expressão que você reprova por não ser a idealizada “pelos seus pares”. Pelo menos iria me poupar.

  13. Também acho que não dá para esquecer que muitas da obra de quadrinhos Watchmen funciona somente para o público de quadrinhos acostumado com esse tipo de personagens. Um leigo em quadrinhos que leia Watchmen vai gostar claro, mas sem dúvida alguma vai passar longe de tudo que a obra oferece para um leitor de HQs.

  14. A grande maioria de nos leu Watchmen.
    Eu não acho que o filme deveria ser julgado só por quem leu os quadrinhos. Muito mais por quem leu bilhões de vezes.
    A extrema fidelidade do filme para com os quadrinhos faz com que o filme fique extremamente previsível e um pouco cansativo. Afinal quem já leu sabe o que vai acontecer e não se surpreende com o final.
    Assim que sai do filme eu perguntei a dois amigo meu que lêem quadrinhos, porem não leram Watchmen, se o mesmo era melhor que o DK, um não soube responder e outro disse que tirando a atuação do coringa Watchmen era melhor.
    Isso para mim conta muito. Quando vi o Cavaleiro das Trevas eu achei foda era uma coisa nova e muito bem feita. O filme tinha o efeito surpresa. No Watchmen não tinha essa surpresa porque eu ja tinha lido o quadrinho, porem o filme era muito bom, com um roteiro muito legal.
    Eu acho que criticar o filme e dizer que não sabe se ele é bom porque é muito parecido com o Original, porem não tem as “melhores coisas” é concordar com o que falava o senhor, que vive nas cavernas, Allan Moore.
    Não gosto muito da idéia não ser capaz de transformar um filme quadrinhos clássicos. São mídias diferentes, porem eu acredito que elas possam “trabalhar juntas”. Se eu ficar pensando que não dá para transpassar dos quadrinhos para o cinema então vai ter muita coisa que eu não quer ver na tela grande a ex: o Cavaleiro das Trevas de Frank Millar, eu não quero que mudem o roteiro eu quero ver o Batman dando uma surra no Super-homem e é isso ai.

    Umas opiniões sobre o filme.
    – Trilha sonora – 10 (se encaixa perfeitamente nos momentos e da mais agilidade ao filme)
    – cenas do Rorscharch – 9.9 (o cara é a veia cômica do filme)
    – cenas de lutas – 9.5 (podem reclamar que foram muitas que no quadrinho não tem tanto e bla bla bla, mas sem elas o filme seria extremamente menos dinâmico e possivelmente mais cansativo.)
    – Os corte do filme – 9.4 (a não ser que você quisesse ver um filme em duas partes esse cortes eram essenciais e para sem bem sincero eu nunca me preocupei com os moradores de NY).
    – Atuações – 9.0 (não atrapalham nem revolucionam)

    Felipe: “Mas enfim, Watchmen é um filme bom? Não sei, realmente não fez diferença para mim, pois na minha opinião é apenas uma versão bem mais fraca da obra prima dos quadrinhos.”

    É assim que eu me sinto sempre que vejo um filme baseado num livro que eu já tenha visto, a literatura é quase sempre melhor que o filme. Isso não quer dizer que o filme seja ruim. Ele só não faz diferença para você porque ali estava algo que você já leu dezenas de vezes. Mas eu imagino que vá fazer diferença para um monte de gente que não leu os quadrinhos.

    PS: Eu tenho a teoria de que esse filme pode vir a concorrer ao Oscar de melhor filme.

  15. Felipe, ótima crítica, realmente o aumento da violência em detrimento da construção psicológica dos personagens é o que mais sinto falta no filme. Analisando ele como alguém que não leu a HQ poderia até dizer que o filme é manero, mas como eu li, não tem como sentir uma certa perda, pois o filme poderia ser bem melhor. Felizmente, não foi tão ruim quanto eu pensava…

  16. Olhem isso aqui, seus fanboys marrentos! =P
    http://www.interney.net/blogs/melhoresdomundo/2009/03/08/watchmen_o_filme_por_change/

    Acho que o Change mata a pau quando diz:

    Assim como Peter Jackson, Zack Snyder fez um excelente trabalho.

    Assim como Peter Jackson, Zack Snyder fez um trabalho superficial mas, em minha opinião, não tinha como ser diferente disso.

    Assim como Peter Jackson, Zack Snyder fez um filme divertido pra caralho. Fez um filme muito foda.

    E, assim como eu não fiquei satisfeito com os filmes de SDA, eu entendo a putidez dos fãs de Watchmen.

    Entendo, pois nós, os fãs fervorosos, NUNCA estaremos satisfeitos com nada.

    E sabe por que nunca estaremos satisfeitos com nada? Porque sempre queremos o impossível: queremos toda a complexidade de uma obra original traduzida em um filme de duas horas voltado ao grande público leigo.

    • Me inclua fora dessa.

      Na minha humilde opinião, Peter Jackson além de fazer um trabalho soberbo trazendo SDA pro cinema, ainda resolveu os maiores problemas da obra de Tolkien pro público atual, que era a falta de ritmo, Snyder foi exatamente pro lado contrário, em vez de imprimir um ritmo de cinema, excluindo coisas desnecessárias (como o relacionamento esquisito de Silk mãe e filha), resolveu contar histórias paralelas demais e esqueceu de passar a mensagem principal do filme (exatamente o que Cavaleiro das Trevas fez, por exemplo).

      Ele fez um filme bonito, de argumento fraco e personagens que não chamam a atenção (tirando Roscharch, claro), até Ozymandias ficou sem graça.

      E por favor, não vamos comparar alhos com bugalhos, Peter Jackson fez a melhor adaptação de um livro da história do Cinema, Snyder fez um otimo trabalho com 300, mas nessa ele passou longe do alvo.

    • Fanboy é uma coisa foda. XD

      Se for seguir essa mesma linha de raciocínio, PJ também cagou muita coisa de SDA, transformando muitos personagens, esquecendo de outros e dando “cagadas” (Legolas? Arwen? opa…). Então se é pra usar frases feitas: dois pesos duas medidas.

      Eu particularmente acho que Senhor dos Anéis é melhor que o livro (e ainda bem que não é uma adaptação perfeita), e obviamente acho que o filme de Watchmen perde com força em relação ao quadrinho, mas 1) achei um ótimo filme e 2) acredito que jamais daria pra passar toda essa carga psicológica que os fãs ficam de mimimi pra um filme que precisa de grana.

    • Eu acredito que daria pra passar sim, tanto dá que, mais uma vez, Cavaleiro das Trevas fez isso de forma magistral.

      CdT tanto agradou ao grande público, estourando as bilheterias mundo a fora, como também agradou os “fanboys”. Tem lutas emocionantes e diálogos acachapantes, com cenas que são tão tensas que você tem vontade de sair do cinema, como a cena dos dois barcos. Em momento nenhum eu me senti assim assistindo Watchmen e isso foi realmente horrivel, porque a revista faz muito bem esse papel.

    • Camino, são fatos bem simples, Cavaleiro das Trevas, sendo ou não um roteiro original convence bem mais que Watchmen, é um filme melhor em todos os aspectos. São dois filmes sobre super heróis, que passam uma mensagem parecida, que é a humanidade dos “supers” e a decadência que eles mesmos sofrem por estarem largando de suas vidas pra “lutar” contra o crime.

      Se Watchmen não conseguiu fazer o mesmo que Batman, é uma falha da execução por parte da sua equipe, não botem a culpa na revista ou no Allan Moore porque ele não tem nadas haver com isso não. O fracasso do filme como adaptaçao (diferentemente do sucesso de senhor dos anéis) é uma demonstração de que o trabalho não foi bem feito, simples assim.

      Se isso “não lhe convence”, paciência, não estou aqui pra convencer ninguém, estou apenas demonstrando fatos e a minha opinião, se você não compactua com ela, fique com a sua e todos serão felizes para sempre, só aprenda a respeitar outras pessoas e evitar agredir os outros quando ninguém lhe agrediu, porque isso só diminui a importância do que você fala.

    • Linhares sinceramente acho que você não entendeu Batman para dizer que a mensagem é a mesma do Watchmen. Você pode até encontrar similaridades, mas a mensagem é bem diferente.

      Ninguém está aqui para convencer ninguém cara, estamos aqui discutindo o filme apenas. Melhor você rever isso também :p

    • Cara eu sou um completo apaixonado por SDA, mesmo com muita coisa modificada, ainda acho os filmes excelentes, eu fiquei tenso… Eu me empolgo toda vez que vejo o Boromir em seu last breath lutando com os orcs… enfim, foda-se o tom bombadill (ainda que eu o adore), o filme apesar dos seus defeitos é maravilhoso….

      Watchmen não me passou nada…. Não me senti excitado, triste, surpreso… nada… ok, talvez desapontamento….

    • Olha, eu não queria o impossível não…só queria que as escolhas dele tivessem sido mais felizes.
      Pensa bem, ele tinha dois caminhos, fazer um filme mais voltado pro lado humano ou um filme com mais apelo visual. Ele escolheu o segundo, simples assim.

  17. Diário de Lam, 11 de março de 2009.

    Folheio a ora original, leio uma história sobre conspiração, política e homens fantasiados. Assisto o filme, vejo uma história sobre super-heróis, slow motion e kung-fu.

    Coruja, um herói mané que mal sabe lutar, vira um super-herói artista marcial no melhor estilo Batman, com direito a capa voadora. Rorschach ainda mantém sua agressividade e seriedade no filme, mas se perde as vezes quando usa bugigangas, novamente a lá Batman, e seu estilo de luta bruto transforma-se num kung-fu coreografado. Ouço a narrativa do investigador mascarado, lembro mais uma vez do Batman, Dan Dreiberg volta a usar seu uniforme, sua capa balançando ao vente em frente a nave, uma trilha sonora surge ao fundo, lembro novamente do Batman, estarei eu na sala certa do cinema?

    Ozymandias o homem mais inteligente do mundo, deixa o código secreto do projeto mais importante do mundo, bem na sua mesa de escritório, quando 2 homens fantasiados o invadem, sem ter uma câmera de segurança sequer.

    Saio do cinema, e penso comigo: “Se eu fosse um leigo, me perguntaria de onde saiu aquele maldito lince mutante.”

    Pronto!