em ,

Bitscópio: GTA – Vice City

A franquia Grand Theft Auto chega ao Bitscópio não com seu jogo mais antigo, mas com seu mais clássico e lembrado pelos fãs. Afinal, quantos de nós, jogadores viciados, não nos sentimos bem entrando na pele de um típico mafioso dos anos 80, com uma das melhores trilhas da franquia e momentos que foram eternizados na mente dos jogadores? Bem vindos à Vice City.

Aproveitando que o site de jogos Steam está com uma ótima promoção dos cinco primeiros jogos da franquia por apenas US$ 8,00 (exceto pro Brasil) e, somando-se ao fato de que este jogo completou 8 anos semana passada, é bem interessante de se analisar a importância deste game para a indústria como um todo.

A História

Tudo começa em 1986 com o jogador na pele de Tommy Vercetti (dublado fantásticamente pelo ator Ray Liotta), que após 15 anos preso em Liberty City, volta as ruas sob o comando de seu antigo chefe, Sonny Forelli, que teme que a presença dele na cidade atraia as atenções erradas. Ele então o remete para Vice City para ser o intermediador de uma negociação de cocaína. Porém, ela não dá certo, e Tommy perde tanto a droga quanto o dinheiro, enfurecendo Sonny. Ele promete recuperar dinheiro, as drogas e matar os responsáveis pelo ataque que atrapalhou a negociação. Daí em diante é uma montanha russa de violência, xingamentos e basicamente tudo que se pode fazer em uma cidade como Vice City nos anos 80.

A Cidade

Vice City é uma versão quase perfeita da Miami mostrada no seriado dos anos 80 Miami Vice e nos filmes Scarface e O Pagamento Final. Temos uma grande cidade dividida em bairros com avenidas a beira-mar, coqueiros e neon, uma das marcas da época. Tudo tem luzes em tons pastéis, basicamente em azul e rosa, marcas registradas da cidade também.

A liberdade de ir aonde se quiser é restrita no começo apenas por um aviso de tempestade que fecha as pontes entre as ilhas da cidade. Isso facilita o conhecimento do território e das ruas, facilitando as fases de perseguição e fuga, sem contar que, para se chegar em certos locais, sempre há um atalho.

As localidades remetem tanto aos filmes quanto ao seriado, especialmente relacionando claramente alguns fatos destes durante a história. Os pedestres do jogo são um show à parte, citando falas dos filmes, bem como algumas outras mais desconexas, mas engraçadas da mesma forma. Afinal, Vice City é uma cidade viva e cheia de detalhes que nunca antes foi tão bem feita em um jogo.

Jogabilidade

Tommy pode correr, atirar, dirigir veículos, bater em pessoas, explodir coisas. Este tipo de jogo que usa o sistema de liberdade chamado carinhosamente de Sandbox (Caixa de Areia) é uma das maiores vantagens de GTA em relação aos outros jogos de sua época. Fazer o que bem entender, sem necessáriamente ficar preso às missões, é bem divertido e faz os jogadores casuais ficarem presos ao game, já que há tanta coisa a se fazer que as missões principais acabam se tornando quase um bônus ou um meio de liberar novas coisas na cidade.

Os gráficos do PS2 foram muito bem utilizados, renderizando a cidade em tempo real – tudo bem, havia horas em que a cidade não renderizava, mas era mais por causa do excesso de camadas e detalhes do que por falha do jogo em si -, possibilitando telas de carregamento ligeiramente rápidas, especialmente quando se passava de uma ilha para outra.

Os tipos de missões principais e secundárias eram das mais variadas, desde matar bandidos a roubar um tanque de guerra de um comboio do exército, causando um dos maiores caos já vistos na história dos games. Ainda, o sistema de perseguição das forças da lei ganhou algumas adições interessantes, como policiais disfarçados usando Cheetahs (carros esportivos que lembram Ferraris) bem como os já clássicos furgões da SWAT (todos coloridos em branco e verde) e o exército que chega com tanques, transportes de tropas e helicópteros.

Os Dubladores

Um time de grandes nomes compôs o grupo de dubladores do jogo. Além de Ray Liotta como Tommy, tínhamos Tom Sizemore fazendo Sonny, William Fichtner (o Alexander Mahone de Prison Break e o gerente de banco no começo de Batman – Dark Knight) como o advogado Ken, e Philip Michael Thomas, ator do seriado Miami Vice que interpreta Lance Vance, uma versão dos games de si mesmo. Ainda tínhamos Burt Reynolds, Danny Trejo, Kevin McKidd, Dennis Hopper, Lee Majors (do seriado Duro na Queda), Gary Busey, Fairuza Balk, a atriz pornô Jenna Jameson e a vocalista do Blondie, Debbie Harry.

Os dubladores fizeram um trabalho exemplar em trazer à vida estes personagens fantásticos e seus trejeitos, todos muito bem criados pela Rockstar. Isso porque eu não falei dos DJs das rádios de Vice City.

Trilha Sonora

Imagine 90 dos maiores clássicos dos anos 80. Agora, os divida em 8 rádios e uma pública com bate papos e avisos assistenciais, com 9 dos DJs mais engraçados e sem nexo da história. Os mais engraçados são sem dúvida alguma Lazlow, da V-Rock, um desses punks de rua que se tornou DJ vai saber porque e resolveu usar a rádio para mostrar o quanto seu gosto musical é melhor do que o dos outros. O outro é Fernando Martinez, da radio Emotion, dedicada inteiramente a músicas melosas para a hora do vamo ver, e ele é um latin lover de mão cheia.

Até uma banda fictícia foi criada para o jogo, chamada “Love Fist”, composta por escoceses bissexuais cheios de trejeitos e frescuras, que cantam rock pesado com vocais afeminados.

Ainda nas rádios, nos intervalos das músicas, há algumas propagandas de cultos religiosos e filmes clássicos sendo zoados na cara dura, como Rambo e alguns seriados e lojas fictícias da cidade. Tudo é uma desculpa para zoar e, porque não dizer, fazer uma homenagem aos anos 80, a famosa década do exagero.

A Controvérsia

GTA deve ter sido uma daquelas franquias que mais gerou controvérsia no mundo todo. Isso porque o jogo permite que as amarras do bom senso de cada um sejas rasgadas, permitindo e impondo ao jogador que ele cometa crimes sem parar. Porém, a discussão ganhou uma abrangência mais específica com os imigrantes haitianos e cubanos de Miami, que acusaram o jogo de incitar as pessoas a matarem os membros destas etnias.

Porém, nenhuma destas acusações foi levada adiante, com o título apenas recebendo censura prévia em alguns países, como a Austrália e Brasil, onde ele chegou a ser banido juntamente de outros títulos da série. No final das contas, quem quis aparecer na mídia apareceu, os jogos proibidos continuaram sendo vendidos no mercado informal e a franquia continua sendo jogada com toda força no mundo todo.

Jogos como GTA são violentos por natureza, mas não menos que a grande maioria dos shooters que existem por aí. As escolhas morais feitas no jogo sempre foram demonstradas de forma negativa, criando a imagem pouco lisonjeira de quem as faz. Nunca houve incitação ou apologia ao crime, mas sim um game em que é permitido ao jogador fazer o que bem entende, sem as amarras da sociedade que se diz pudica, porém ainda assim clama figuras públicas por seus escândalos e nudez.

MODs

GTA Vice City foi um dos jogos que mais sofreu alterações ou MODificações em seu software quando chegou aos PCs e seu código foi destravado. Desde a criação da possibilidade de se voar pelo jogo sem qualquer veículo até a inserção de veículos novos e personagens entre os jogadores e pedestres, alguns são até curiosos de se ver já que demonstram a qualidade daqueles que criaram tais MODs.

Deixe sua opinião