em

Prévia: DC Universe Online

O Ambrosia teve a chance de testar a versão beta do novo MMO da Sony, DC Universe Online, para PC e PS3. O Beta, apesar de não representar a versão final do jogo, nos pareceu muito completa, e por mais que MMOs sejam notórios por terem inícios cercados de bugs, este não parece ser o caso aqui, onde os diversos atrasos de lançamento parecem ter servido para alguma coisa.

A história não tem nada demais, mas a animação inicial tem grande qualidade, digna das introduções feitas pela Blizzard. Basicamente, em um futuro onde os vilões derrotaram todos os heróis, Lex Luthor é o último defensor da terra contra a Invasão de Brainiac, e falha ao impedi-lo. Reconhecendo seus erros do passado ele decide voltar a época dos heróis para dar uma nova chance de sobrevivência a Terra. Ao se reunir com os três líderes da Liga da Justiça, ele decide soltar os Exobytes na atmosfera do planeta, nano-máquinas capazes de dar poderes a pessoas comuns. Em uma nova Terra abarrotada de novos heróis, começa a história do jogo.

O Sistema de criação de personagens é muito legal, primeiro você escolhe de que lado você vai lutar, isto é, se o seu personagem será um herói ou um vilão. Em seguida você deve escolher um mentor, que é basicamente quem vai lhe dar suas missões e aonde você vai começar a jogar, as opções são os heróis Batman, Superman e Mulher-Maravilha, ou os vilões Lex Luthor, Coringa e Circe. Depois disso começa o processo de criação per se, com características físicas, poderes e uniformes.

Tudo é muito personalizável, e certamente criar o seu herói é uma das coisas mais legais a se fazer. Um dos problemas é batizar seu personagem, só pode haver um personagem com cada nome no jogo, e já no beta era bastante difícil encontrar um nome bom. O meu personagem, um humano meio demônio com poderes místicos, recebeu o nome Night Specter, já a vigilante com poderes sobre plantas foi batizada de Dark Tulip. O fato é, em pouco tempo, todos os personagens da cidade terão nomes muito ridículos ou terão números aleatórios somados ao fim do mesmo.

Um belo destaque vai pela escolha da forma de deslocamento: Vôo, acrobacia ou super velocidade, todos eles capazes de atingir os locais mais relevantes do jogo mas apresentando uma grande diversidade de jogabilidade. Vale dizer que existem diversas formas de melhorar a forma de deslocamento selecionada, inclusive aliando poderes mais combativos a esta, o que possibilita uma ampla gama de como explorar os poderes iniciais do jogo.

O gameplay do jogo é bem diferente de qualquer MMO que já jogamos, principalmente por que estamos testando a versão de PS3, que exige que o jogo tenha um foco maior em ação e rapidez de controles para torná-lo interessante para gamers de consoles. De fato, DC Universe é cheio de ação rápida e combates eletrizantes, e parece bastante promissor nesse sentido. Tivemos poucas chances de defrontar contra adversários humanos, mas elas foram todas interessantes e memoráveis.

Nossa conclusão é que por mais que pareça bom, o MMO da DC não parece ter o grau de profundidade tanto em suas mecânicas quanto em termos de cenário, do que outros MMOS populares, como WOW ou EVE Online. As quests são legais, mas não revelam tanto sobre o mundo, ou trazem elementos tão interessantes assim, certamente vão agradar os fãs da DC, mas não tenho certeza que o mesmo possa ser dito para o público de MMO em geral. O público do beta ainda não é grande o suficiente para julgarmos o que é realmente divertido nesse tipo de jogo, como invasões as “cidades” inimigas e “instances” com grupos ecléticos e poderosos.

O jogo promete, e é capaz de dar certo ao trazer uma nova forma de se pensar os MMOS.

4 opinaram!

Deixe sua opinião!

Deixe sua opinião

Publicado por Felipe Velloso

O que significa ‘zero pvs’

Serial Readers: Being Erica