em

As Vantagens de Ser Invisível

As Vantagens de Ser Invisível | Literatura | Revista AmbrosiaAs Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower no original) é uma narrativa contada através de cartas que Charlie, um nome fictício, escreve para alguém do qual ele nunca se refere. Nas cartas iniciadas em Agosto de 1991, Charlie é um adolescente de 15 anos que tem alguns problemas de estima e precisa participar mais da própria vida.

O livro começa com Charlie descrevendo uma reunião na escola, onde um terapeuta tenta conversar com um grupo de alunos sobre suicídio. Pouco mais a frente descobre-se que um colega de classe se matou e era o melhor amigo de Charlie. Com isso ele decide que talvez seja hora de sair um pouco da zona de conforto e aproveitar mais os anos escolares. É quando ele vai a um jogo de futebol da escola e conhece Sam e Patrick. Os dois são meio-irmãos e um ano mais velhos que Charlie e responsáveis por apresentá-lo a um mundo completamente diferente, regado a bebida, drogas e festas.

Nesse novo mundo, Charlie tem a chance de poder ser um adolescente normal, mas ele não sabe bem como deve se portar e continua “invisível” preferindo apenas observar todos ao seu redor.
Com muito esforço ele passa a se fazer mais presente na família e participativo, mas algumas lembranças do passado ainda o perseguem fazendo com que vez ou outra ele sofra picos de tristeza, misturado a picos de euforia e até alguns apagões onde não se lembra do que aconteceu ou como foi parar em determinado local.
Seus pais estão tão confusos quanto o filho, mas decidem não deixar transparecer. Já Charlie está cada vez mais perto do limite emocional.

A escolha do autor, Chbosky, em usar cartas como narrativa deixa tudo ainda mais emotivo, pois não existe nada tão pessoal quanto uma carta escrita a próprio punho. Não se sabe quem é o remetente de todas elas, ao menos não no livro, pois só se percebe quem é quando terminamos a última página.

Há muitos pontos fortes na história, assim como os seus personagens e em como eles vão influenciar na vida de Charlie. Cada um tem uma função em específico, e vai fazer com que ele aos poucos se torne outra pessoa. Sua família são os que o trazem de volta a realidade, que o protegem, já Sam e Patrick, são os novos amigos e conselheiros, seu professor Bill, que o educa e testa sua capacidade intelectual.
Um outro personagem muito importante também é a cultura pop muito citada pelos personagens. Charlie não cansa de ouvir The Smiths e Billie Holliday. Sam e Patrick curtem U2, David Bowie e Fleetwood Mac. A cada carta ou parágrafo, uma música e citada e se você a conhecer, vai saber exatamente em que atmosfera aquela parte da história está se passando.

Seu professor de inglês Bill, nota que mesmo socialmente distante, Charlie possui um olhar e inteligência apurados e lhe passa livros extras para ler e depois fazer um resumo sobre o que ele leu e entendeu. A lista contém alguns clássicos da literatura americana como Apanhador no Campo de Centeio, O Sol é Para Todos, Hamlet, O Grande Gatsby entre muitos outros.

É uma leitura simples, cativante e muito boa. Impossível não se identificar com o sofrimento e confusão de Charlie, ou se irritar com a sua falta de tato algumas vezes.

O livro foi lançado pela Editora Rocco e tem um filme com lançamento previsto para Novembro com Logan Lerman no papel de Charlie, Emma Watson como Sam e Ezra Miller como Patrick.

“nós somos infinitos.” 

[xrr rating= 5/5]

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Melissa Andrade