Literatura e Futebol: uma relação cada vez mais estreita

Ambrosia Literatura Literatura e Futebol: uma relação cada vez mais estreita

A publicação de livros sobre futebol parece estar se tornando uma realidade corriqueira. Não há, hoje, grande conquista que não seja contada se não em prosa e verso, ao menos em prosa. Ligado nesta tendência, Júlio César, responsável pelo Blog da Fuzarca,  hospedado no site Globo Esporte, está escrevendo um livro sobre a queda e a recuperação do Gigante da Colina e concedeu a seguinte entrevista à jornalista Bárbara Freitas, em que demonstra que futebol e literatura podem não ser coisas tão distantes quanto parecem:

Bárbara Freitas: A parte introdutória do livro trata da queda. Até que ponto é importante para o torcedor vascaíno conhecer os motivos que levaram o Vasco ao descenso?

Júlio César Júlio César: A queda do Vasco em 2008 não pode ser atribuída somente aos erros da atual gestão ou da anterior. O rebaixamento foi um processo, que teve seu início bem antes do ano passado. Quando a situação e a oposição deixaram o Vasco em segundo plano e começaram a se preocupar mais com sua guerra política pelo poder, isso ainda quando a eleição de novembro de 2006 foi anulada, tudo piorou consideravelmente. A importância dos vascaínos saberem os fatores que levaram nosso clube à Série B é para que não deixemos que eles se repitam. Sabendo como a política do clube pode acabar por prejudicá-lo, mas torcedores se esforçarão para se associar e fazer parte do processo eleitoral do Vasco. Só com o voto o torcedor pode influir diretamente no futuro do Vasco.

B.F: Alguns analistas esportivos dizem que talvez essa tenha sido a maior virada da história do Vasco. Como você analisa essa questão?

J.C:As viradas fazem parte da história vascaína. Ainda no começo do século passado, quando quiseram impedir o Vasco de disputar o campeonato carioca porque não tínhamos um estádio, a torcida se uniu e protagonizou uma virada contra a intransigência do futebol carioca, construindo São Januário, o maior da América Latina à época, apenas com suas doações. Essa é uma virada, para mim, maior que a de 2009.

Mas o retorno à Série A também tem um aspecto de “virada” muito importante. O Vasco sempre foi um gigante do futebol nacional, mas quase todos, incluindo aí parte da sua imensa torcida, esqueceram disso. O ano de 2009 resgatou a imagem do clube para o Brasil. Essa virada também será inesquecível.

B.F: Durante o campeonato a torcida do Vasco teve um papel fundamental, ao ponto de ter um dos maiores públicos do ano. Essa paixão avassaladora é explicada no livro?

J.C: Vou tentar expor isso no livro, claro. Mas o sentimento que a torcida demonstrou ao longo desse ano é indescritível. Só quem é vascaíno e passou , junto do time, por tudo que passamos, pode ter a real compreensão dessa paixão.

B.F: Têm sido lançados muitos livros sobre futebol. Como você vê uma aproximação entre o esporte e a literatura?

J.C: Acho importantíssimo e ainda é pouco. O Brasil precisa fazer da leitura um hábito mais frequente e nada melhor que surgir mais livros sobre a maior paixão nacional. No exterior, os lançamentos sobre futebol são muito mais recorrentes. E o país do futebol precisa de mais livros, que registrem para sempre a história do esporte.

B.F: Como é o seu método de trabalho como escritor? É muito diferente do blog?

J.C: É completamente diferente. Um blog tem um caráter mais imediato, falamos da rotina do clube, do noticiário geral do Vasco. Um livro demanda mais reflexão e pesquisa, um cuidado maior ao escrever. Até agora, me parece bem mais complicado fazer um livro, mas estou me adaptando.

B.F: O último capítulo trata do futuro do Vasco. Qual a perspectiva para os próximos anos?

J.C: A minha esperança, e acredito que de toda torcida, é que a diretoria do Vasco siga fazendo o bom trabalho realizado esse ano e siga com o processo de recuperação da imagem do clube. Todos queremos um Vasco forte, que entre em qualquer campeonato para ser campeão e não mais se contente com um papel figurativo. Esperamos que isso fique no passado e que nunca mais se repita. O Vasco sempre foi um clube campeão e não serão os equívocos das últimas gestões que farão nossa história secular mudar.

O livro será lançado no primeiro semestre de 2010, pela Editora Flâneur. Julio Cesar é publicitário e escreve no Blog do Torcedor do Vasco no Globoesporte.com e também no blog Os 4 Grandes.

#Novidades