em ,

Caminhos sonoros da América Latina no novo álbum da banda Sendeiros

Sendeiros, palavra aportuguesada do castelhano que significa trilhas, caminhos, foi a escolhida para nomear uma banda formada pelo músico latino brasileiro Arthus Fochi e alguns amigos no ano de 2007. Eles tinham como objetivo criar uma espécie de laboratório musical de ritmos latino-americanos.

Sendeiros era Pedro Pajé na bateria, Miguel Fortunato no baixo e violão 7 cordas, eu no violão / viola caipira e vocal, e Ziza Sales flauta transversal, pífano e vocais. A primeira formação também tinha Stella Maiques no violão, Thiago Amaral na flauta transversal e Fernando Pozzobon no violão. Éramos quatro violões, dentro de uma proposta de orquestra típica cisplatina de violões. Tocamos no circuito universitário do Rio de Janeiro, vários centros culturais e eventos de rua da cidade”, comenta Arthus Fochi.

O álbum homônimo, começou a ser produzido e gravado em 2011, com a banda ainda na ativa, mas só no final de 2020 foi concluído, com o projeto numa pausa desde o final de 2015. A Sendeiros atualmente conta com os mesmos vocalistas Arthus Fochi e Ziza Sales, ambos trabalhando na pré-produção de um novo disco.

O álbum teve a produção fonográfica de Marcelo Oiticica e foi totalmente gravado no Estúdio Artista 70 (Vila Isabel / Tijuca). Na época, a produção musical foi dividida entre Arthus Fochi, Marcelo Oiticica e a banda.

Com 12 canções, o trabalho mistura os mais diversos ritmos brasileiros e da América Latina. Um exemplo é o single já lançado “Puerto Montt Está Temblando”, canção que mistura o ritmo de “cueca chilena”, influências do jazz e do boi do Maranhão, e conta com a participação da cantora chilena Tita Parra. Outra canção é “Seu Você”, composta durante uma viagem pela América do Sul, fala sobre esperança e se utiliza do samba carioca para tal, demonstrando a pluralidade sonora do trabalho. “Educação Samurai” é um tango criado por Bruno Penna Firme, que fez parte do grupo no período de 2011. “Cena”, montada como um blues / jazz rock é uma canção de Ziza Sales que mostra um casal discutindo a relação. Ou seja, estamos falando de um álbum eclético, que irá agradar o ouvido de quem der uma chance para escutar.

O registro conta com a participação especial de grandes músicos da cena carioca como Ayran Nicodemo ( (Membro da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal RJ), Felipe Chernicharo (AfroJazz, Sexteto sucupira), Aline Gonçalves (Egberto Gismont, Hermeto Pascoal), além da participação em duas canções de Tita Parra, neta da icônica artista e compositora chilena Violeta Parra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *