Ambrosia Música Lado A/Lado B de Chico Buarque no Conversa de Botequim

Lado A/Lado B de Chico Buarque no Conversa de Botequim

No quadro “Conversa de Botequim” de hoje, eu e o Biofá falamos sobre Chico Buarque, que completou 75 anos de idade nessa semana.

Sobre Chico Buarque
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Francisco Buarque de Hollanda OMC, mais conhecido como Chico Buarque (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1944), é um músico, dramaturgo, escritor e ator brasileiro. É conhecido por ser um dos maiores nomes da música popular brasileira (MPB). Sua discografia conta com aproximadamente oitenta discos, entre eles discos-solo, em parceria com outros músicos e compactos.

Filho do historiador Sérgio Buarque de Hollanda e de Maria Amélia Cesário Alvim, escreveu seu primeiro conto aos 18 anos, ganhando destaque como cantor a partir de 1966, quando lançou seu primeiro álbum, Chico Buarque de Hollanda, e venceu o Festival de Música Popular Brasileira com a música A Banda. Autoexilou-se na Itália em 1969, devido à crescente repressão do regime militar do Brasil nos chamados “anos de chumbo”, tornando-se, ao retornar, em 1970, um dos artistas mais ativos na crítica política e na luta pela democratização no país. Na carreira literária, foi vencedor de três Prêmios Jabuti: o de melhor romance em 1992 com Estorvo e o de Livro do Ano, tanto pelo livro Budapeste, lançado em 2004, como por Leite Derramado, em 2010.

Foi casado por 33 anos (de 1966 a 1999) com a atriz Marieta Severo, com quem teve três filhas, Sílvia Buarque, Helena e Luísa. Chico é irmão das cantoras Miúcha, Ana de Hollanda e Cristina. Ao contrário da crença popular, o dicionarista Aurélio Buarque de Holanda era apenas um primo distante do pai de Chico.

Em 2 de dezembro de 2012, foi confirmado por Miguel Faria um documentário no qual apresentará um show de Chico organizado para a produção, mesclado com depoimentos dele e de outros nomes da música nacional, além de encenações com personagens das canções mais famosas do artista. O documentário foi lançado em 26 de novembro de 2015, com o nome Chico – Artista Brasileiro.

Em 21 de maio de 2019 Chico Buarque foi distinguido com o Prémio Camões.

27 Comentários

  1. … achei engraçadas as interpretações de algumas letras do Chico.
    Em ''Já Passou'' o sentido é outro – o amor não passou, ele fez uma ironia debochada.
    O 'já passou' é pura fachada.

    E em 'Mil Perdões' a personagem é uma mulher, e sempre será. Não há crueldade ou sadismo nenhuns. Essa mulher foi à forra 'nas suas demoras por aí, etc.'. A brutidão e a estupidez desse homem dela é que a levou a, SUPOSTAMENTE, trai-lo, etc..

    Na minha opinião há duas músicas do Chico que passam batidas, quanto aos textos/letras. São ''A Bela E A Fera'' e ''O Malandro 2''.

    Mesmo entre seus mais ferrenhos admiradores não vejo a interpretação correta dessa duas letras.

    A música mais triste do Chico, em minha opinião, é 'O Circo místico'.
    O meu lado A, com ou sem parceria:

    Corrente.
    A Mais Bonita.
    O Circo Místico.
    De Volta Ao Samba.
    Valsa Dos Clows.
    Passaredo.
    Não Sonho Mais.
    Futuros Amantes.

    Meu Lado B, com ou sem parceiros:

    Já Passou.
    Lua Cheia.
    Tango Do Covil.
    Doze Anos.
    Introdução Para A Turma Do Funil.
    Meu Refrão.
    O Velho Francisco.
    Noite Dos Mascarados.

    O problema é que quase todas as músicas do Chico são lado B – de tão pouco que as rádios as tocam.

  2. Meu compositor preferido da MPB! Não sei se o Chico assiste YouTube, mas acho que se visse o carinho que é dispensado a ele e sua obra no canal de vcs, toparia dar uma entrevista na hora. Seria épico né?? Quem sabe um dia? Abração!

  3. Eu tenho dos LP's do Chico e Caetano ao vivo. O 1° achei que estava com defeito, som estranho e tal, ai fui comprar outro e vi que continuava ruim do mesmo jeito. Conclusão: o disco era realmente mau gravado kkk

Participe com sua opinião

Por favor preencha o comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação