Samba Esquema Russo Credito Victor Vasconcellos

Samba Esquema Russo lança single “Cazuza Já Morreu”

A estreia da banda carioca Samba Esquema Russo é uma declaração de ironia, não-conformidade e muita personalidade. O single “Cazuza Já Morreu” é um convite a colorir fora das linhas, ultrapassar limites e subverter expectativas. Entre as guitarras distorcidas, surge a urgência de um desabafo quase gritado. A faixa ganha um clipe, já disponível no canal do grupo.

https://youtu.be/Fjb4Fct8Xng

Samba Esquema Russo não se constrói por rótulos, gêneros ou tags. “‘Cazuza já morreu’ é um rockzin que não é uma crítica social foda, não é uma homenagem póstuma, não é continuação, não é ruptura, não é tradição e muito menos vanguarda”, declar a banda.

O clipe é uma leitura visual dessa declaração de existência do Samba Esquema Russo, uma estreia barulhenta que une as raízes dos integrantes Maria Steinbruck (voz), Vinícius Gusmão (guitarra) e Gabriel Gorini (guitarra), entre o Rio de Janeiro solar e as paisagens idílicas da chuvosa Serra dos Órgãos. 

“Às fontes que bebemos, a reverência. Entre o turbilhão de imagens, pessoas, acontecimentos brutais e momentos sublimes, habita a vista enevoada e ao mesmo tempo certa do que vê. Esteja atento: sob neblina use luz baixa”, alertam.

Embora separados por uma curta distância no espaço, Rio e serra se afastam pela inconformidade no tempo, nas cores, tons, ritmos e sons. O “esquema russo” da banda é uma união ou mistura dessas realidades. “Não só pela ambição, mas pela necessidade primeira de sermos o que sempre fomos”, completa o músico.

Samba Esquema Russo busca sentido nas palavras e nos sons tendo como ponto de partida a travessia. Na Serra dos Órgãos, o marcante trecho entre a pedra do Açu e a do Sino é um dos mais procurados pela beleza natural. Porém, o deslocamento entre esses dois castelos requer preparo, familiaridade com o terreno, sede de exploração. Foi pensando nesse ínterim, entre um ponto e outro, que o grupo se encontrou: uma constante caminhada até o destino, sem ter medo da jornada.

“Na sua travessia pelo ar, o som nos dá a experiência de uma relação profunda entre o singular e o plural. Atravessar pode ter o sentido de resistir, mas também de ser afetado. Samba Esquema Russo nasceu no atravessamento dessas diversas trilhas, escutando as reverberações da palavra que nasce. Primeiro veio o novo, depois o noise e agora o russo”, concluem.

“Cazuza Já Morreu” já está disponível nas principais plataformas de música.

Ficha técnica

Maria Steinbruck – Voz

Gabriel Gorini – Guitarra

Vinicius Gusmão – Guitarra

Baixo – Gustavo Muniz

Bateria – Tutuka

Produção musical: Fafá Oliveira, Gabriel Gorini e Vinicius Gusmão

Produção Executiva: Gabriel Gorini e Vinicius Gusmão

Arte gráfica: Murilo DoMeio

Estúdio

 

Clipe

 

Montagem: Gabriel Gorini e Vinícius Gusmão

Filmagem e finalização: Thiago Lessa

Imagens adicionais: Vitor Faria

Arte gráfica – Murilo DoMeio

 

Letra

Gabriel Gorini 

 

São dois olhinhos que brincam no mar

Duas esferas que brilham 

São dois olhinhos que brincam no mar

O gosto o cheiro forte do bolor 

 

Alta tecnologia 

E o preço do ventilador

Me tiram o sono

Me deixam doente

O gosto o cheiro forte do bolor

 

Ah! Como dói, quando o horizonte desaba

Como dói, todo esse céu azul 

A bola de futebol 

À prova dágua

À prova dágua

 

São dois olhinhos que brincam no mar

Duas esferas que brilham 

São dois olhinhos que brincam no mar

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ant.
Moisés Cleyton lança álbum que celebra os seus 25 anos de carreira
CAPA scaled

Moisés Cleyton lança álbum que celebra os seus 25 anos de carreira

Moisés Cleyton lança a versão da música “Coração de Guerreiro”, composição de

Próxima
Caravana Literária do Ecomuseu de Santa Cruz leva cultura, informação e entretenimento para os moradores da Zona Oeste do Rio de Janeiro
Luiz Antonio Simas Divulgacao

Caravana Literária do Ecomuseu de Santa Cruz leva cultura, informação e entretenimento para os moradores da Zona Oeste do Rio de Janeiro

Entre os dias 6 de maio e 23 de junho, a Zona Oeste do Rio de Janeiro recebe

Você pode gostar