Em A literatura nazista na América, Roberto Bolaño traz, em suas palavras, “uma antologia vagamente enciclopédica da literatura nazista produzida na América entre 1930 e 2010”. Com a publicação desta coletânea de escritores fictícios e infames, o autor  chamou pela primeira vez a atenção da crítica, que o saudou por sua “originalidade e imaginação brilhante”.

Organizada como uma antologia de escritores simpáticos ao horror, esta engenhosa obra compila perfis dedicados à vida e aos livros de autores de um cânone fictício e delirante. Ao antecipar todas as temáticas que viriam a ser recorrentes na obra do autor. Publicada pela Companhia das Letras, com tradução de Rosa Freire D’Aguiar, A literatura nazista na América é um livro-chave e cada vez mais atual na sua reflexão sobre o mal e a violência.

As vidas imaginárias perfiladas neste livro — que pode ser lido como um volume de contos, mas, principalmente, como um romance, como queria seu autor — irão se converter numa paródia sombria (e atual) da história real da literatura e da política do continente.

Publicado por Cadorno Teles

Habitante das terras áridas dos vales, guerreiro aposentado que desgraçadamente foi jogado numa dimensão que ninguém acredita nele. Se tornou professor, e nos momentos livre aproveita para ler e levar livros pelo sertão. RPG, quadrinhos, literatura e cinema estão entre seus vícios, para esquecer ou mesmo lembrar de seu mundo originário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *