em

Trajetória da cineasta Ana Carolina ganha retrospectiva no IMS-RJ

Uma retrospectiva da trajetória de Ana Carolina Teixeira Soares, ou simplesmente Ana Carolina, será apresentada na Mostra Ana Carolina, até 11 de junho, no Instituto Moreira Salles, do Rio de Janeiro (IMS-RJ). A mostra traz as seguintes produções da cineasta brasileira: Getúlio Vargas (documentário), a trilogia Mar de RosasDas tripas coração e Sonho de Valsa, e outras ficções como Amélia e A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum, sua mais recente produção.

A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum

Considerada a mais autoral cineasta brasileira, Ana Carolina iniciou sua carreira nos anos 60 dirigindo curtas e documentários sobre temas históricos e problemas sociais brasileiros.  Com Getúlio Vargas o nome da cineasta ganhou destaque quando ela, através de material de arquivo, conseguiu compor um vigoroso retrato do político desde os anos 30 até o seu suicídio em 1953.
Só a partir de 1977 sua produção seguiu o rumo da ficção. Seu primeiro longa Mar de Rosas (muito bem elogiado pela crítica, sendo considerado por muitos até hoje a sua melhor produção) faz uma sátira feroz ao casamento pequeno burguês visto pelos olhos de uma adolescente.
Em seu segundo longa ficcional, Das Tripas Coração, Ana Carolina usou como cenário uma tradicional escola de moças para observar o poder da instituição e seus efeitos sobre os jovens com a sexualidade à flor da pele. Por este filme, Ana Carolina ganhou o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Gramado, em 1983.
A cineasta completou a sua trilogia com Sonho de Valsa (1988); o retrato da mulher de 30 anos em busca do homem de sua vida. Os três longas ganharam o mundo e obtiveram êxito no mercado internacional.
Após um período dirigindo peças para o teatro, Ana Carolina voltou ao cinema com Amélia (2000), filme que retrata a passagem da grande atriz Sarah Bernhardt em sua turnê pelo Rio de Janeiro em 1906. Em 2003, a cineasta dirige Gregório de Mattos, com uma visão muito pessoal sobre o poeta maldito.
A nova produção de Ana Carolina, intitulada A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum, com estreia marcada no Rio de Janeiro para esta quinta-feira (29/05/2014), pode ser explicada como uma obra dentro da obra. É um longa que revela as dificuldades e os questionamentos de uma equipe de filmagem que tenta recriar a paisagem da famosa tela A primeira missa. No elenco estão Alessandra Maestrini, Oscar Magrini, Dagoberto Feliz e Rosa Grobman, com participação especial de Fernanda Montenegro, Rita Lee e Arrigo Barnabé.  A produção foi rodada em estúdio, com câmeras digitais, a primeira incursão de Ana Carolina em um cinema sem película.
A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum

Programação:
27 DE MAIO | TERÇA
20h: Mar de rosas
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Norma Bengell, Otávio Augusto, Myrian
Muniz, Ary Fontoura, Cristina Pereira e Hugo Carvana (Brasil, 1978. 99‘)
 
28 DE MAIO | QUARTA
20h: Das tripas coração
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Dina Sfat, Antônio Fagundes, Christiane Torloni,
Ney Latorraca, Xuxa Lopes, Othon Bastos, Cristina Pereira. (Brasil, 1982. 100’)
 
30 DE MAIO | SEXTA
14h, 16h e 20h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
Direção e roteiro de Ana Carolina Teixeira Soares, com Alessandra Maestrini, Oscar
Magrini, Dagoberto Feliz, Wagner Molina, Xuxa Lopes, Marino Mattos, Marcantonio
del Castro e as participações especiais de Fernanda Montenegro, Arrigo Barnabé e
Rita Lee (Brasil, Portugal, 2013. 92’)
 
31 DE MAIO | SÁBADO
14h e 20h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
1 DE JUNHO | DOMINGO
20h: A primeira missa, ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
3 DE JUNHO | TERÇA
16h30: Sonho de valsa
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Xuxa Lopes, Arduino Colasanti, Daniel Dantas, Stella Freitas, Ney Matogrosso, Cristina Pereira. (Brasil, 1987. 96‘)
20h: A primeira missa, ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
4 DE JUNHO | QUARTA
16h: Amélia
de Ana Carolina Teixeira Soares com Marilia Pera, Beatrice Agenin, Camila Amado, Pedro Bismarck, Marcelia Cartaxo, Myriam Muniz, Betty Goffman, Alice Borges (Brasil. 1998. 130’)
20h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
5 DE JUNHO | QUINTA
18h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, Portugal, 2013. 92’)
 
6 DE JUNHO | SEXTA
18h: A primeira missa, ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, Portugal, 2013. 92’)
 
7 DE JUNHO | SÁBADO
18h30: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum 
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, Portugal, 2013. 92’)
 
8 DE JUNHO | DOMINGO
18h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum 
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, Portugal, 2013. 92’)
 
10 DE JUNHO | TERÇA
17h: Gregório de Mattos
de Ana Carolina Teixeira Soares com Waly Salomão, Ruth Escobar, Marília Gabriela, Guida Viana e Rodolfo Bottino (Brasil, 2003. 70‘)
 20h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
11 DE JUNHO | QUARTA
17h: Getúlio Vargas
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 1974. 76‘)
20h: A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
 
Sinopses:
Amélia
de Ana Carolina Teixeira Soares com Marilia Pera, Beatrice Agenin, Camila Amado, Pedro Bismarck, Marcelia Cartaxo, Myriam Muniz, Betty Goffman, Alice Borges (Brasil. 1998. 130’) Classificação indicativa: 12 anos
Filme de ficção inspirado na visita da atriz francesa Sarah Bernhardt ao Brasil, em 1906. A atriz, em crise profissional e pessoal, é induzida por sua camareira brasileira, Amélia (Marília Pêra), a apresentar-se no Rio de Janeiro. Entretanto, a partir do desembarque a atriz obrigada a conviver com as exóticas irmãs de sua auxiliar.
 Gregório de Mattos 
de Ana Carolina Teixeira Soares com Waly Salomão, Ruth Escobar, Marília Gabriela, Guida Viana e Rodolfo Bottino (Brasil, 2003. 70‘). Classificação indicativa: 10 anos
Em pleno século XVII surge na Bahia o poeta Gregório de Mattos que com sua obra e vida trágicas anuncia o perfil tenso e dividido do povo brasileiro. Com sua produção literária o poeta cria situações desconfortáveis aos poderosos da época, que passam a combatê-lo até transformar sua vida em um verdadeiro inferno.
Sonho de valsa
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Xuxa Lopes, Arduino Colasanti, Daniel Dantas, Stella Freitas, Ney Matogrosso, Cristina Pereira. (Brasil, 1987. 96‘)
Classificação indicativa: 16 anos
Esta é Tereza começando seu sonho de valsa. Uma linda mulher, seus 30 anos e suas fantasias. A cruz que carrega no peito tem a marca do pai, seu primeiro amor. E o desejo que esconde no peito a tinge a todos os homens. Entre eles Tereza caminha sentindo-se cada vez mais abandonada, cada vez mais sozinha. Tereza deseja o amor. Os homens desejam Tereza.
Das tripas coração
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Dina Sfat, Antônio Fagundes, Christiane Torloni,
Ney Latorraca, Xuxa Lopes, Othon Bastos, Cristina Pereira. (Brasil, 1982. 100’)
Classificação indicativa: 16 anos
Um colégio de meninas, de altíssimo nível social, por motivos administrativos e econômicos, sofre uma intervenção estadual que vai determinar o fim de suas atividades.
Mar de Rosas
de Ana Carolina Teixeira Soares, com Norma Bengell, Otávio Augusto, Myrian
Muniz, Ary Fontoura, Cristina Pereira e Hugo Carvana (Brasil, 1978. 99‘)
Classificação indicativa: 14 anos
Esta é a história de uma perseguição. Do tumulto de uma viagem. Três pessoas viajam para o Rio. Há uma briga de casal na frente da filha, Betinha. Uma discussão sobre o nada. Sérgio e Felicidade vão se perdendo na discussão: vão se separar sem saber sequer que não querem se separar. Quando ao rio, Felicidade tenta matar Sérgio dentro do banheiro do hotel. Corta o pescoço do marido com uma gilete. Depois, foge com Betinha, convencida de que Sérgio está morto e, já na estrada, percebe que um carro preto vem atrás do seu. No volante está Orlando Barde, capanga de Sérgio; e Felicidade se sente perseguida enquanto persegue a filha. Betinha usa sua imaginação diabólica para propor as mais absurdas situações, mas a narrativa não-linear de Mar de Rosas faz com que estas cenas tenham como contraponto os acontecimentos mais banais de uma outra família, do dentista e poeta falido Dr. Dirceu e sua mulher, D. Niobi. A tensão do filme se acelera pela vertigem da perseguição e pelas loucuras da casa de Dr. Dirceu. Betinha não desiste: é ela quem determina o rumo dos acontecimentos.
Getúlio Vargas
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 1974. 76‘)
Fatos que marcaram a trajetória de Getúlio Vargas, seu cotidiano, até seu suicídio.
A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum
de Ana Carolina Teixeira Soares (Brasil, 2013. 92‘)
Classificação indicativa:  16 anos
Costa da Bahia. Praia. Mata Atlântica. Seis da manhã. Temperatura amena.
Frei Henrique de Coimbra, acompanhado pelo sacristão e por alguns jesuítas ordena autoritário aos degredados da sua frota que mantenham silêncio e coloquem-se frente ao altar improvisado. Lentamente, obedecem. Solenes os navegadores entoam o Te Deum. A câmera afasta-se e, inesperadamente, surge uma equipe de cinema no meio da mata. Trata-se de um filme, uma produção com grande elenco e figuração. Na mata os pássaros embalam a natureza. Ao longe a silhueta das caravelas. O vento enfuna as velas estampadas com a Cruz de Malta enquanto os navegadores, índios e religiosos preparam-se para dar início à primeira missa. “Vamos rodar!”, grita o diretor: Câmera! Ação! No set, os produtores discutem o país hoje. Na cena, os “navegadores portugueses” discutem o país que surgirá a partir da missa.
Serviço:

  • Local: Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro
  • Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
  • Tel.: (21) 3284-7400
  • Site: http://ims.uol.com.br
  • Ingressos para o filme A primeira missa ou tristes tropeços, enganos e urucum:

Terça, Quarta e Quinta – R$22 (inteira) e R$10 (meia)
Sexta, Sábado e Domingo – R$26 (inteira) e R$12 (meia)
Demais sessões da mostra – R$8 (inteira) e R$4 (meia)

  • Passaporte: R$ 40,00 valido para 10 sessões das mostras (deve ser adquirido na recepção do IMS-RJ e se faz necessário retirar os ingressos em no máximo 30 minutos antes do início de cada sessão).
  • Venda de ingressos disponíveis também no site www.ingresso.com
  • Sessões para escolas e agendamento de cabines pelo telefone (21) 3284 7417
  • Disponibilidade de ingressos sujeita à lotação da sala.
  • Capacidade da sala: 113 lugares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *