em

“Batman: A Cidade do Crime” – Uma narrativa sem igual de David Lapham

SINOPSE: Bruce Wayne é incapaz de perceber a chamada de socorro de uma jovem singular… Uma cadeia de eventos será desencadeada e alcançará proporções que o milionário não imaginaria. De uma maneira surreal, explode quando o Batman encontra seis jovens grávidas mortas que não puderam fugir de um incêndio em um prédio porque estavam sendo mantidas em cativeiro.

A mãe de uma jovem desaparecida vai a TV apelar desesperada para que sua filha seja encontrada e volte para casa com segurança. Um Batman atormentado promete encontrá-la e desce às profundezas do crime na cidade, em sua busca por justiça. Enfrenta alguns dos seus inimigos mais perigosos e descobre verdades terríveis sobre as mesmas pessoas que ele jurou proteger. Esta é Gotham City. Nem todos os vilões usam máscaras. Nem todas as vítimas são inocentes. E há segredos que devem permanecer enterrados.

145856_573774_3David Lapham faz de sua A Cidade do Crime, uma Gotham, já conhecida como um lugar de tragédias e infortúnios, só que bem mais retratada em toda sua imuncicíe, pobreza, corrupção e hipocrisia. E não é exagero. O criador de Balas Perdidas traz uma narrativa sobre um crime, mais um assassinato em Gotham, que levará o Homem-Morcego a uma investigação que vai desde os subterrâneos da cidade aos prédios mais altos, refletindo em cada uma das vidas que o crime afeta a cada dia. A vítima, por sua vez, não era um nome anônimo para Batman, um nome de seu banco de dados, mas uma jovem que seu alter ego, Bruce Wayne, teve a oportunidade de conhecer em uma festa da alta sociedade, pedindo ajuda. Contudo, o ambiente de superficialidade faz com que não perceba a gravidade do problema.

dca-ramonbachs-06bUma das característica que Lapham conduz a narrativa em uma enorme tapeçaria de nuances, e com as ilustrações tendendo ao cinza, sem nada de luzes e sombras. para mostrar uma Gotahm sem virtudes, um local áspero e duro, habitado por pessoas reais e seu reais segredos, segredos terríveis que podem rasgar Gotham.

E é nesse ponto que o autor consegue ser perfeito: sua imaginação cruel. E para alguns leitores pode até parecer confusa, mas a narrativa quer mostrar a rotina dramática dos moradores da cidade,como também dos criminosos da cidade e tudo após o mistério que envolve a jovem. Como uma ponta de um iceberg, o autor e Batman trazem o que ocorre por trás das fachadas e o protagonista coloca todos os meios à sua disposição para chegar a solução daquele mistério.

O drama humano, crime, conspirações  são combinados em uma história que termina com um colóquio, como se a história não fosse o suficiente. A cidade é facilmente convertida em suas mãos em um personagem, uma das histórias do Batman mais estranhas que já li, isso pode ser negativo, pelos elementos abordados, mas que merece uma atenção pela história hionótica desenvolvida.

bs1Acredito que merece uma reedição, pois as edições que saíram num arco de 13 números, já tem seus dez anos de publicação, não irei me atrelar a outras características, mas as colaborações de muitos artistas no desenvolvimento do arco como Bill Sienkiewicz, Ramon Bachs e Nathan Massengill foram importantes, pela forma que conduziram a arte e as cores. Batman: Cidade do Crime me fascinou por sua riqueza de nuances e caráter, por seu ambiente hipnótico e, por vezes desconfortável, mas o seu Bruce Wayne/Batman torturado é bastante retratado. Se você ainda não teve a oportunidade de lê-lo procure. Garanto que terão vertigens.

Opiniões

Participe com sua opinião!

Carregando

0