em

[Atualizado] Invasão Secreta: alguns pensamentos sobre a saga

[o artigo contém spoilers]

Como muitos sabem, a mega saga da Marvel deste ano chegou ao fim durante a semana que passou. O objetivo deste pequeno artigo é refletir um pouco a respeito da mesma, e expor as minhas opiniões quanto a este grande evento. É sempre bom avisar que haverão spoilers por todo o texto, pois segue o andamento das revistas originais americanas.

Não há dúvidas que Brian Michael Bendis junto de Mark Millar, se tornaram os maiores escritores da casa das idéias (Warren Ellis também fica em boa posição, já que sua trajetória por títulos como os Thunderbolts foi fantástica). É da mente destes dois que surgiram as maiores sagas dos últimos anos (Guerra Civil e Invasão Secreta) e histórias que uniam não só apelo comercial, como bons roteiros.

Quando a Marvel escolheu Bendis para escrever o título dos Vingadores, a revista estava em franca queda, as histórias eram pouco interessantes, o grupo tinha pouca química ou já parecia batido demais. A solução foi a destruição da equipe, no que ficou conhecida como “Vingadores: A Queda” (Avengers Disassembled). Nesta história o autor deu inicio a um grande processo que culminaria no atual Dark Reign (isso é que é ter visão) e em toda reformulação do universo Marvel, que passou por coisas como Dinastia M (House of M) e a Guerra Civil (Civil War).

Meu objetivo não é fazer um apanhado dos acontecimentos, tudo isso você encontra aqui, nesse excelente artigo do Victor, meu intuito é refletir sobre a mesma e sua conclusão. Sinceramente, ao contrário de Guerra Civil (na minha opinião o melhor grande crossover já realizado no Universo Marvel), Invasão Secreta não foi uma saga excepcional. Havia tanto tempo e tanta expectativa depositada ali, que acredito que a mesma ficou sufocada. Ela tem seus méritos, principalmente por causa de alguns tie ins bem legais, notoriamente, as duas revistas dos vingadores, escritas por bendis, que serviram para explicar a saga e vale a menção o título dos X-Men, por Mike Carey, que também foi bem legal (e tem um artista fantástico). O que faltou a Invasão Secreta?

Primeiramente dualidade, que foi a grande alavanca da Guerra Civil (De que lado você está?). Os Skrulls foram retratados como seres simplesmente maus e hediondos que queriam conquistar o planeta. Faltou por exemplo dizer que a Aniquilação havia destruído seus mundos e a terra representava a única esperança para os remanescentes do império. Os Skrulls poderiam ter se apresentado realmente como apareciam em suas propagandas para os terrestres (aceite a mudança, uma sacada muito legal com a campanha política do Obama). Eles realmente poderiam trazer a paz mundial e desejar compartilhar o planeta conosco, colocando a luta dos heróis em questionamento. Eu, em particular, detesto coisas vistas em preto e branco, e na Invasão Secreta, faltaram as variações de cinza. Uma cena muito boa pode ser vista na ocasião da morte do Capitão América Skrull, que realmente acreditava ser o original e morre chorando isso como um mantra. Faltaram mais Skrulls desse tipo na invasão.

Segundo problema, toda a parte boa da série estava nas revistas dos Vingadores, tudo que era apresentado rapidamente e com cortes abruptos no título principal, era depois explorado de forma decente nas revistas regulares de Bendis. Isso deu a impressão de que as edições se tratavam simplesmente de duas coisas, uma porradaria gigantesca e sacal, intercalada com dezenas de pequenas ações e revelações. Guerra Civil também tem esse problema, mas menos acentuado. Em Invasão Secreta a coisa saiu dos eixos.

Terceiro erro, se já esperaram cinco anos para fazer a saga, poderiam ter esperado mais um, depois da Guerra Civil, rapidamente tivemos de suportar meses da execrável Hulk Contra o Mundo (World War Hulk), pouco tempo depois se iniciava Invasão Secreta. O ideal seria dar mais tempo a este novo status do universo marvel, mais Tony Stark (com a maior e melhor mudança de caráter dos últimos anos, se tornando de muito longe um dos melhores personagens da Marvel), mais Iniciativa e mais S.H.I.E.L.D, pois assim, quando este status quo fosse destruído, o senso de perda e de invasão seria muito mais agravado. A sensação que tive foi um cambaleio por diversos eventos grandes, que quando colocados sob perspectiva, é capaz de dar náuseas a qualquer um (pelo menos é melhor do que as atuais “crises” da DC, que além de ruins em texto são ainda mais confusas).

No entanto, é importante ver também o que a saga trouxe de positivo:

O primeiro aspecto a ressaltar aqui é a clareza com que foi executada, durante cinco anos ocorreram diversas pontas soltas nas revistas dos Vingadores que foram subitamente esclarecidas. Tudo estava lá o tempo todo, da terra selvagem, a balsa, passando pela Jéssica Drew se sentindo mau no feitiço de confiança de Estranho. Todas as coisas se encaixaram bem, e nenhuma explicação me pareceu forçada. Este esforço, nós devemos parabenizar muito o senhor Bendis, pois deve ser muito difícil manter uma trama assim na cabeça.

Seguindo o mesmo principio, é legal ver como cada uma das maiores ameaças foi sendo subitamente desmantelada para a Invasão. Os mutantes sumiram, o Hulk voltou e perdeu para os esforços da iniciativa, a morte de Steve Rogers, a renúncia de Stephen Strange, o isolamento de Raio Negro de seu trono. Tudo isso, ilustra o quanto a Marvel vem pensando as coisas com antecedência, dando sentido as sagas que produz.

Outros dois pontos fortes para mim, foram os dois criadores. Ainda que cortada, a escrita de Bendis é memorável, e temos muitas falas que ficaram marcadas para sempre (quando os Skrulls se referem a deus e Nick Fury responde: My God Has Hammer ou o meu Deus usa um martelo). Da mesma forma o traço estilizado de Yu, faz bonito e deixa a saga belíssima. Lembro do corpo de Reed desfigurado no chão, logo no primeiro número, aquilo é sensacional.

Por fim, a conclusão da saga. A série foi morna para fraca nas últimas edições, mas o fechamento em si trouxe muitas coisas interessantes. O novo status quo é simplesmente excelente. Com a iniciativa tendo falhado e com o sucesso dos Thunderbolts e os grandes atos públicos de heroísmo de Norman Osborn, o mesmo passa a ocupar o antigo posto de Stark. A S.H.I.E.L.D foi desmantelada e algo novo está para surgir, os vingadores e toda a estrutura da antiga iniciativa está agora nas mãos do maior inimigo do Homem Aranha.

Mas como isso é possível? Já faz muito tempo que Osborn forjou provas mostrando que ele não tinha qualquer relação com o Duende Verde. Ganhando um perdão público da federação e muita influência política e midiática.  Aos poucos a mesma cresceu a tal ponto que passou a fazer parte do conselho da recém formada Iniciativa, ganhando direção sobre os novos Thunderbolts, trabalho que ele executou de forma excepcional. Depois de se tornar o maior herói da guerra contra os Skrulls, salvando Washington e matando a Imperatriz Skrull, nada mais natural do que ser escolhido como principal responsável pela segurança nacional.

Tony Stark, o Rei decaído, perdeu tudo, sua Starktech e sua posição política. Ainda por cima passa a ser caçado pelo Governo, quando se recusa a entregar a identidade dos heróis registardos, virando um foragido da justiça. Alguns afirmam que ele pode ser o misterioso Iron Patriot dos Dark Avengers, mas é mais provável que este manto seja assumido por Osborn. Somando a isso, temos ainda a reunião dos Dark illuminati, um grupo que mimetiza o objetivo do original, a união dos mais influentes personagens para debater e resolver as situações da forma como eles acreditam estar correta. Nessa nova formação encontramos Namor (Rei da Atlântida), Norman (líder da nova “iniciativa” o grupo H.A.M.M.E.R.), Emma (líder dos X-men), Destino (soberano da Latvéria), Loki (deus da trapaça) e Capuz (o novo rei do crime). Dark Reign, felizmente não será uma mega saga, e sim o nome do novo status quo do universo Marvel, ele é um período que se inicia com a ascensão de Osborn ao poder, e que provavelmente terminará quando descobrirem que já é tarde demais.

Os problemas da conclusão se dão no retorno da Harpia, uma furada, e em grande parte na volta de alguns personagens (faria bem a Elektra ter ficado morta). O segundo problema, é a completa e mágica solução à Invasão dos Skrulls, eles foram em grande parte: muito barulho por nada. Nenhuma grande cidade foi perdida, ou grande herói (do calibre do Capitão); Janet nunca foi uma heroína tão popular, mesmo sendo membro fundadora dos Vingadores. A impressão que fica é que para anos e anos de planejamento os Skrulls cairam rápido, no entanto, eu entendo que a Invasão Secreta tinha como pretexto abrir caminho para um novo e interessante cenário: o Dark Reign.

16 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Vou ser bastante honesto, eu leio a participação do bendis nos vingadores desde sua primeira edição, e muito rápido dá para ter noção de que esta saga foi construída. Muitas perguntas e questões de New Avengers n1 foram respondidas com precisão na Secret Invasion. Lembro inclusive que o Bendis declarou que o número 32, ou 36 da revista começaria a esclarecer as coisas, e eu pensei, cacete, ainda faltam uns 20 núemros para isso, e essa edição já foi escrita? E de fato ele cumpriu tudo o que prometeu nesse sentido. Como disse no artigo, não acredito que ele o tenha feito com perfeição, já que a saga foi muito morna e pouco excitante, mas o planejamento é bastante claro.
    Bendis diz a mesma coisa sobre ultime spider man, afirmando que depois do ultimatum já tem escrito pelo menos mais 30 números da revista. É a forma que ele parece trabalhar, e não vejo nada de inacreditável nisso. Sandman foi feito assim, não é uma idéia original, mas funciona bem.

  2. Quando o Bendis diz que planejou 5 anos adiante, ele quer dizer que tem um plano, um “esqueleto” básico que segue. É óbvio que ele não planejou para as mudanças que Guerra Civil ou a Iniciativa trouxeram, por exemplo. Provavelmente, na versão original de SI, teria o Capitão América vivo. =P Ele mesmo disse que, em todo encontro da Marvel em que decidem o próximo ano da editora, ele ficava vendo as idéias dos outros e pensando “Como os Skrulls se beneficiariam com isso” e adaptando sua história.
    Sim, ele planejou tudo. Não, ele não tinha a história pronta há 5 anos atrás. E sim, ele às vezes comete uma gafes feias de continuidade (vide Mighty Avengers vs. New Avengers, logo após a Guerra Civil). Mas no geral ele faz as coisas muito bem.
    Tiago José “Deicide” Galvão Moreira

  3. Eu li Vingadores a queda a poucas semanas e posso dizer que não existe nada de mais plantado lá Felipe, o Bendis só deixa um monte de pontas soltas e aproveita depois dizendo que já tinha planejado isso e aquilo e os fãs acreditam. Mas isso não é exclusividade dele pois a Marvel já faz isso há mais de 30 anos.

  4. Também não vejo nada demais no planejamento das histórias a longo prazo.
    Lógico que o Bendis não tem os roteiros já escritos nos mínimos detalhes, mas como o Deicide disse, certamente já tem um esqueleto pensado.

  5. Um exemplo é que o Bendis não sabia quem ia ser o vilão que ia dar inicio ao Dark Reign, nem como se alcançaria esse status quo. Ele tinha planejado que os vilões aproveitariam para ganhar poder, mas foi quando o Ellis reformulou os Thunderbolts que o Bendis decidiu que tinha que ser o Norman Osborn.
    Tiago José “Deicide” Galvão Moreira

  6. Bendis tinha pelo menos a idéia na cabeça há 5 anos! Se alguém ler uma edição de Alias, série que ele introduziu Jessica Jones, quando esta conversa com um falso Rick Jones este já falara de uma grande movimentação que os Skrulls estariam fazendo, sendo o maior sinal da invasão que viria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *