em

John Constantine Hellblazer – Pecados Originais

Visitar as primeiras aventuras de John Constantine por Jamie Delano é reencontrar um grande amigo depois de um longo tempo ausente e ver que ele continua o mesmo bastardo de sempre.

Mais ainda, após tantos anos sendo interpretado por grandes escritos, como Garth Ennis e Warren Ellis, acompanhar os primeiros passos de Constantine e do selo Vertigo é um passeio pelo grande momento que os quadrinhos viviam no final dos anos 80, quando os também ingleses Allan Moore e Neil Gaiman mastigavam o gênero para cuspir todo potencial que os comics iriam oferecer nas décadas seguintes.

Jamie Delano “ganhou” a série Hellblazer de Allan Moore, que após criar o personagens nas páginas de Monstro do Pântano, indicou seu amigo para o novo título. Porém nada de nepotismo, logo nas primeiras páginas de “Fome” podemos ver que Delano é o homem certo para o trabalho. Sem poupar palavras, no melhor estilo de ficção policial, Delano ambienta o mago inglês em sua narrativa, destilando poesia da sua prosa em quadrinhos que, aliada ao traço sujo de John Ridgway, cria a atmosfera condizente com os passos tortos de Constantine.

Detalhar as histórias apresentadas em “Constantine Hellblazer – Origens volume 1 – Pecados Originais” não acrescentaria valor para este artigo. Mas se você é marinheiro de primeira viagem no universo de John Constantine, deve saber que o intrépido mago inglês irá enfrentar grandes perigos, que vão desde uma possessão demoníaca vinda da África para Nova Iorque à soldados fantasmas do Vietnam, invocados por uma seita religiosa que ameaça inclusive a família de Constantine. E como não poderia deixar de ser, até mesmo uma visita ao inferno faz parte das cartas do anti-herói.

A edição da Panini Comics possui 180 páginas, contemplando as histórias publicadas de Hellblazer 1 a 6 pela Vertigo, e preço camarada (em média 20 reais) – outro motivo para qualquer leitor deixar de lado a maioria das porcarias que são publicadas hoje em dia e aproveitar do grande momento vivido pelos quadrinhos com a invasão britânica na época.

Que venham muitas outras edições como esta!

[xrr rating=4/5]

Só senti falta na revista das incríveis capas de Dave McKean, mas para contornar esse lapso segue abaixo uma galeria com as capas originais da edição.

Bônus: Confira aqui uma prévia da série, cortesia Panini Comics.

 

 

alguém opinou!

Deixe sua opinião!

Deixe sua opinião

Publicado por Salvador Camino

Fantagraphics lançará livro com sketches de Guantánamo

A grandeza lúcida de “As Sessões”