Origens Estéticas de Sandman

Ambrosia Quadrinhos Origens Estéticas de Sandman

Nesse artigo eu tenho o prazer de apresentar a vocês a origem gráfica dos perpétuos, diretamente da onde Gaiman, Mckean, Dringenberg e os demais se inspiraram para desenvolver o visual de seus mais famosos personagens.

Destino

Destino, como poucos sabem, é o único dos Perpétuos que não foi concebido por Gaiman, sendo originalmente um personagem de Marv Wolfman nos anos 70, que aparecia de forma bastante esporádica nas histórias da DC. Ainda sim, ele já era naquela época um monge cinzento com um livro sobre o futuro. Infelizmente isso nos impossibilita traçar exatamente da onde veio a concepção visual do personagem, mas no local coloco belas ilustrações feitas por artistas fora dos arcos de Sandman.

Capa de Superman 352, muito antes de debutar em Sandman.
Capa de Superman 352, muito antes de debutar em Sandman.

Destino por Wolfie
Destino por Wolfie

Morte

Infelizmente aqui temos um segundo caso de falta de referência visual. Gaiman originalmente pensou que a morte deveria se parecer com a Nico, na capa de seu álbum “Chelsea Girl”. O desenhista Mike Dringenberg no entanto, tinha suas próprias idéias e a desenhou baseado em uma grande amiga sua chamada Cinnamon. Alguns dias depois, quando Mckean e Gaiman saíram para almoçar eles foram servidos por uma garçonete que era a própria morte. Uma garota jovem, pálida, magra, sorridente e gótica, com maquiagem pesada e um Ankh prateado no pescoço. Muito parecida com o que Dringenberg havia desenhado. Dave Mckean afirma que a capa de Sandman oito, que contêm a excelente história “The Sound of Her Wings” (O Som de Suas Asas), é na verdade um desenho da morte verdadeira. Aquela que teria servido café a eles.

"Chelsea Girl" Nico era a escolha original de Gaiman para a Morte
"Chelsea Girl" Nico era a escolha original de Gaiman para a Morte

Capa inspirada na Garçonete encontrada por Mckean e Gaiman
Capa inspirada na Garçonete encontrada por Mckean e Gaiman

Sonho

Só existe uma certeza sobre a aparência de Sonho, ele parece um Rock Star. Gaiman afirma que gostaria de dar ao personagem um visual de realeza, e que no final dos anos 80, Reis e Rainhas se vestiam e se portavam como pessoas normais. Ele acreditava que eram as celebridades, e mais especificamente os astros do rock, as verdadeiras caras da realeza contemporânea. Mike Dringenberg e Dave Mckean usaram o vocalista do Bauhaus como referência para Sonho, inclusive a primeira capa da série é baseada no rosto de Peter Murphy. Outra influência, ainda na fase de concepção, teria sido Bono, mais especificamente sua participação no clipe “In a lifetime” do Clannad. Apesar disso, Robert Smith sempre foi eleito pelos leitores como a pessoa que mais se pareceria com sonho, algo nunca comentado pelos autores.

Peter Murphy, inspiração para o Sandman
Peter Murphy, inspiração para o Sandman

Com o cabelo um pouco maior, Murphy seria igual a Morpheus
Com o cabelo um pouco maior, Murphy seria igual a Morpheus

Capa de Sandman número 1, Mckean baseou o rosto no vocalista do Bauhaus.
Capa de Sandman número 1, Mckean baseou o rosto no vocalista do Bauhaus.

Robert Smith ficou marcado como o Sandman em carne e osso.
Robert Smith ficou marcado como o Sandman em carne e osso.

Destruição

O pródigo foi completamente inspirado no excelente ator Brian Blessed, que dentre muitos papéis notáveis é reconhecido como um dos melhores intérpretes shakespereanos de seu tempo, e seu papel mais famoso foi o de Ricardo IV em “The Black Adder”. Ele é grande, divertido, adora rir e falar alto.

Brian Blessed um ator brilhante baseou um personagem exepcional
Brian Blessed um ator brilhante baseou um personagem exepcional

Blessed é idêntico ao Destruição antes de se aposentar
Blessed é idêntico ao Destruição antes de se aposentar

Brian como Rei Ricardo IV
Brian como Rei Ricardo IV

Desejo

Houveram duas grandes fontes de inspiração para a personagem Desejo. A primeira delas, que também influenciou o letrista Todd Klein, foram os diversos pôsteres de Patrick Nagel, com uma estética que lembra o Art noveau. A segunda grande influência foi Annie Lennox, a musa dos Eurythmics, banda que fez bastante sucesso durante os anos 80. Tirando pela cor do cabelo, é notável a semelhança da cantora em estilo e forma.

Postêr de Patrick Nagel
Pôster de Patrick Nagel

Todos os artitas de sandman parecem ter tirado o visual de Desejo de Nagel
Todos os artitas de sandman parecem ter tirado o visual de Desejo de Nagel

Ainda sim, a musa de Patrick Nagel era definitivamente uma mulher
A musa de Patrick Nagel era definitivamente uma mulher

A andrógina Annie Lennox, a outra metade de Desejo
A andrógina Annie Lennox, a outra metade de Desejo

Desespero

Existe uma única referência visual a Desespero, infelizmente, fui incapaz de encontra-la. Neil Gaiman afirma que ela é uma pessoa real com a qual ele se deparou em um livro de fotografias chamado “Modern Primitives” e a legenda da foto era “Mandy from Mars”, onde era retratado uma figura gorda, nua, grotescamente bizarra e de dentes tortos encarando o fotógrafo.

Um belo desenho de Desespero, infelizmente não encontrei sua referência.
Um belo desenho de Desespero, infelizmente não encontrei sua referência.

Delírio

Por fim, a mais nova dos perpétuos. Assim como o personagem, suas referências são um almágama de várias mulheres diferentes. A primeira delas é apenas mais uma fotografia que Gaiman encontrou: uma garota com cerca de 13 anos repleta de piercings e usando roupas rasgadas estranhamente sexys. O segundo momento foi trazido por Brian Hibbs, amigo pessoal de Neil, que sugeriu que ele incluísse um perpetuo chamado Deleite, junto com a sugestão, Brian lhe deu um papel com uma bela garota desenhada. Gaiman acabou por colocar essa sugestão no passado da personagem, sendo ela antes de enlouquecer e se tornar delírio. Outras três mulheres reais foram essenciais para a concepção de Delirium. A primeira delas foi Kathy Acker, que externamente possui um visual exatamente igual aquele da personagem em “Season of Mists” (Estação das Brumas). A segunda, da qual parte da personalidade foi inspirada (frases como “eu fiz ele só ver cores, mas eram cores bem bonitas”) era uma amiga de Gaiman, Tanaqui Weaver. Tori amos, cantora e outra grande amiga do autor, foi responsável também por pequenas influências na sua estética e personalidade, principalmente a partir do “Brief Lifes” (Vidas breves). Em último, mas talvez como maior importância esteja a desenhista Jill Thompson, que foi quem mais desenhou a personagem. Gaiman afirma que grande parte dos trejeitos e formas de Delírio são essencialmente um desenho autobiográfico de Jill.

Nesta foto, ela parece posar para a Delírio que conhecemos em Sandman 20
Nesta foto, ela parece posar para a Delírio que conhecemos em Sandman 20

Amy Acker, inspiração de Dringenberg?
Kathy Acker, inspiração de Dringenberg?

Taniqui Weavers: parte da personalidade de Delírio
Taniqui Weavers: parte da personalidade de Delírio

Tori Amos: outra inspiração para Delírio?
Tori Amos: outra inspiração para Delírio?

Jill Thompson: principal desenhista da personagem e criadora de seus trejeitos.
Jill Thompson: principal desenhista da personagem e criadora de seus trejeitos.

Os sete perpétuos encerram esse pequeno artigo sobre suas inspirações visuais. Os demais personagens da série também tiveram suas origens reveladas, e podemos debater aqueles que forem mais interessantes nos comentários a seguir.

#Novidades