em

SDCC: Novidades para Fábulas

Quando Bill Willingham criou Fábulas não deve ter imaginado o gigantesco mundo que estava para surgir. Por enquanto, o título tem 11 arcos e alguns extras, mas a Comic-Con deste ano mostrou que isto não chega aos pés do programado para o futuro, não apenas com a continuação da série como com uma enorme variedade de histórias paralelas; nem todas criadas por Willingham e nem todas em formato de quadrinho.

O painel de Fábulas foi composto por Shelly Bond, editor, Mark Buckingham, ilustrador, Matthew Sturges, co-escritor, Andrew Pepoy e Steve Leialoha, arte-finalistas, Todd Klein, letrista, Chris Roberson, recém-anunciado escritor de Cinderela: Da Cidade das Fábulas com Amor (Cinderella: From Fabletown with Love) e, obviamente, Bill Willingham, escritor.

O primeiro assunto em pauta foi a nova mini-série de seis revistas da Cinderela. A novidade, que eu acredito que, se der certo, pode crescer a ponto de se tornar um novo Jack of Fables, será escrita por um novato no mundo dos quadrinhos, Chris Roberson, desenhada por Shawn McManus e capas por Chrissie Zullo.

Sobre a história não foram passadas informações muito específicas, porém Roberson deixou claro que seu objetivo será mostrar o lado espião da Cinderela, incluindo até mesmo suas excursões para dentro das terras do Adversário. Porém, toda boa fábula merece um conto de amor, e este caso não é diferente. Mas ainda que a presença de um par para Cinderela esteja certa, não sabemos quem será este, porém até o momento o principal candidato ao peter_maxcargo seria Aladim, designado como o espião das fábulas orientais.

O segundo ponto a ser tratado na mesa foi Peter & Max, temática central do painel e a primeira história em prosa do mundo de Fábulas. Sobre esta, não houve nenhuma informação nova revelada, os artistas apenas proveitaram para fazer um pouco de propaganda. Ainda sim, esta foi a parte mais importante do evento para um dos fãs de Fábulas, pois apesar do título apenas sair no final do ano, alguns volumes já haviam sido impressos para ser enviados para a imprensa, e Willingham decidiu dar um exemplar para o fã que conseguisse falar o nome dar três irmãs da Rainha da Neve. Um rapaz, depois de diversas tentativas, acertou e levou (após assinar alguns termos) seu novíssimo exemplar. Infelizmente, todos os outros — especialmente nós que moramos há dois continentes de distância — deverão se contentar com as informações prévias da história (aqui e aqui).

fabulas87A seguir, foi lançada a capa do Fábulas #87, volume no qual se iniciará o novo arco chamado Bruxas (Witches). Nele, os objetos que encontravam-se presos no escritório da Cidade das Fábulas são soltos, o que inclui seres altamente poderosos e raivosos, como Baba Yaga e o Djinn, e apenas Bufkin encontra-se no local, cabendo a ele a tarefa de tentar deter estes seres. A capa, ao lado, mostra o pequeno macaco-voador, e a idéia seria de que cada uma das cinco capas do arco (sim, ele será bastante curto) mostre o protagonista de sua revista.

Por enquanto, além do número 87, denominado Bufkin, sabemos apenas que a revista seguinte a esta terá o título de Frau Totenkinder, e nela poderemos obvervar o retorno de sua casa de gengibre. A finalidade deste acontecimento, porém, permanece um mistério, e Willingham não ajuda ao solucioná-lo ao utilizar frases como: “Todo o ponto da casa de gengibre não era enganar crianças para depois abatê-las, matá-las e possivelmente transformá-las em um quiche muito gostoso? Hmmm. Eu realmente estava buscando redenção para ela [Frau Totenkinder], que ela se transformaria em um dos bonzinhos. Bom, acontece…”

Como se tanto suspense não fosse o suficiente, Willingham também anunciou a produção de uma outra mini-série: Fábulas: Lobisomens do Coração da Terra (Fables: Werewolves of the Heartland). Porém as únicas informações que temos é que esta será lançada em 2010, com um total de 144 páginas e contará com o trabalho do desenhista Jim Fern e o arte-finalista Craig Hamilton.

Outra promessa para 2010 foi o lançamento de novos produtos da franquia pela DC Direct, incluindo mini-bustos da Branca de Neve e do Bigby, que aparentemente serão os dois primeiros de uma série de mini-bustos.

A próxima novidade está relacionada à revista número 100. Como Willingham lembra bem, tanto no número 50 quanto no 75 houveram acontecimentos marcantes (um casamento e uma guerra, respectivamente), e aparentemente isto transformou-se em tradição. A idéia para comemorar a chegada à centésima revista ainda é um mistério, mas Willingham afirmou que independente de seu conteúdo, os leitores receberão em mãos um trabalho com, ao todo, 100 páginas, incluindo rascunhos do capista João Ruas e do desenhista Mark Buckingham e outros extras.

Porém, para dar uma dica sobre o que poderia ser esperado para esta edição comemorativa, Willingham distribuiu pela platéia uma historinha de uma página (abaixo), que acaba trazendo muito mais dúvidas do que respostas. O prefácio porém, mostra nitidamente o desejo do autor de continuar a escrever Fábulas a partir desta nova geração.

paginaPara finalizar, a mesa trouxe a tona mais um projeto, este com um tom mais jocoso. A idéia é a produção de uma história na qual Willingham faça a arte. O escritor, porém, brinca que ele até consegue desenhar, mas nem de longe tem a habilidade de fazer o que seus companheiros de trabalho fazem: “Vocês estão apenas se torturando. Como artista, eu dou um ótimo encanador. A questão é: eu de fato gostaria de desenhar, mas meus talentos não são nada comparado aos artistas de Fábulas. Eu não conseguiria um trabalho como desenhista de Fábulas se não tivesse o talento como escritor!”. Mas apesar das auto-depreciações de Willingham, a idéia seguiu em frente e transformou-se em uma inversão de papeis, tendo o Buckingham como escritor. E, como brinca o desenhista: “você me fez produzir o número 75 com nada além de páginas duplas tomada por batalhas intensas. Tem um pouco de vingança se contorcendo dentro de mim.”

8 opinaram!

Deixe sua opinião!
    • Só espero que o excesso de títulos de Fábulas (que tem capas lindas e histórias ótimas) não descambe para uma Síndrome de X-Men Anos 90…

    • Pois é, esse é um dos problemas, em um dos artigos sobre Petar & Max (o link está no texto), o Willingham afirmou que pretende continuar a escrever Fábulas até morrer ou as vendas cairem. Uma pena porque em primeiro lugar não tem como manter o nível por tanto tempo (os fãs de O Príncipe Valente que me perdoem) e segundo ele poderia usar a capacidade criativa para produzir um material novo, diferente, mas não vai acabar não tendo tempo para fazê-lo…

  1. Fables é excelente.

    Se o cara pretende escrever até morrer, já me preparo pra decadência, ou não. Pode ser que ele alterne altos e baixos a a partir de agora.
    A história inicial da guerra para recuperar as terras deles foi muito boa, mas não estou sentindo muita fé neste momento pós-guerra.

    Também não vejo com bons olhos mais títulos paralelos. O do Jack eu não acho graça e no último arco de histórias houve o crossover que incomodou. Outros títulos independentes e com outros escritores tende a degringolar a coisa toda.

    Lembro de Sandman que teve as fracas HQs paralelas com outros personagens secundários do mundo dos sonhos. Ao menos eram histórias que nada significavam para a trama principal.

    • Concordo com sua opinião sobre o mundo de Fábulas, mas apesar de Jack of Fables ser fraco e de achar que Willingham falha ao sair do caminho principal da trama com besteiras (acho o melhor exemplo quando ele passa meio arco mostrando a vida do Jack em Hollywood sem acrescentar absolutamente nada para a trama, apenas acrescentando um interlúdio extremamente bobo e demasiadamente longo), 1001 Noites é um arco muito bom, que traz um quê a mais ao mundo de fábulas, ainda que nenhuma informação que seja impressindível para a compreenção da trama.

      É isto que estou esperando de Peter & Max e do novo arco da Cinderela (especialmente porque este terá um novo nome escrevendo, o que pode trazer algo de diferente), mas acredito que isto será o máximo que lerei de Fábulas por enquanto. Mas quem sabe? Li todos os 11 arcos de uma vez, recentemente. Talvez daqui a 10 anos eu faça o mesmo..

  2. Ah sim, essa história “One Summer Afternoon” poderia ser uma dica do Willingham que Fábulas deverá avançar suas histórias para uma próxima geração. Algo que seria uma revolução no universo da série, mas que ao mesmo tempo dá mais fôlego para novas histórias por muito tempo.

Participe com sua opinião!

Street Fighter

Publicado por Diana

VerificadoEscritorGamerColecionadorGibizeiroSuper-fãs

Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller

Pathfinder se torna um bestseller e já está esgotado