“Duetos” chega a Maceió

Peça com Patricya Travassos e Eduardo Moscovis e direção de Ernesto Piccolo terá sessões no Teatro Deodoro

28
0
Patricya Travassos e Eduardo Moscovis - Crédito fotográfico Barbarah Queiroz

“Duetos”, peça do dramaturgo britânico Peter Quilter, com Patricya Travassos e Eduardo Moscovis, chega ao Teatro Deodoro, no Centro, com sessões nos dias 29 de junho, sábado, às 17h e 20h, e 30, domingo, às 19h. Com direção de Ernesto Piccolo, o espetáculo já foi assistido por mais de 100 mil pessoas e percorreu, com lotações esgotadas, as cidades do Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Niterói (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Teresina (PI), Recife (PE), Natal (RN), Salvador (BA) e João Pessoa (PB).

O texto de Quilter examina e retrata de forma cômica o mundo caótico dos relacionamentos modernos, onde a grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa, através de quatro histórias de uma mulher e um homem – não necessariamente casais – às voltas com seus próprios desejos e traumas em busca do amor, e enfrentando a solidão. A sua primeira montagem no Brasil é apresentada e patrocinada pela Brasilcap, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com produção geral e realização da Inova Brand.

As quatro histórias  

Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em "Encontro às Cegas" - Crédito fotográfico Barbarah Queiroz
Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em “Encontro às Cegas” – Crédito fotográfico Barbarah Queiroz

ENCONTRO ÀS CEGAS: Jonathan e Wanda marcam um encontro através de um aplicativo de relacionamento. Ambos se esmeram para agradar, mas nada sai como o esperado. Eles esperam desta vez acertar.

Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em "Quase Casados" - Crédito fotográfico Barbarah Queiroz
Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em “Quase Casados” – Crédito fotográfico Barbarah Queiroz

QUASE CASADOS: Jane prepara uma festa de aniversário para seu chefe, Ary. Ele não se interessa por mulheres, mas ela não vê isso como empecilho para um possível casamento. A esperança é a última que morre.

Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em "Divórcio Amigável" - Crédito fotográfico Barbarah Queiroz
Patricya Travassos e Eduardo Moscovis em “Divórcio Amigável” – Crédito fotográfico Barbarah Queiroz

DIVÓRCIO AMIGÁVEL: Shirley e Beto decidiram passar férias na Espanha para finalizar seu divórcio. Enquanto se afogam nos drinques, vão entendendo que estão longe de ser o ex-casal bem resolvido que pensavam.

Eduardo Moscovis e Patricya Travassos em "Mais uma Vez Noiva" - Crédito fotográfico Barbarah Queiroz
Eduardo Moscovis e Patricya Travassos em “Mais uma Vez Noiva” – Crédito fotográfico Barbarah Queiroz

MAIS UMA VEZ NOIVA: Angela está se casando pela terceira vez, para desgosto de seu irmão Tobias. Pouco antes da cerimônia, uma sucessão de incidentes a leva a crer em mau presságio. Confusa, não sabe mais se quer casar.

Sucesso em números

“Duetos” esteve em cartaz durante oito meses no Rio de Janeiro e seis meses em São Paulo, percorreu cidades no país como Curitiba, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza, sempre com casa lotada. São mais de 100 mil espectadores em 235 sessões, mais de 5 milhões de pessoas impactadas com a mídia espontânea e mais de 2 milhões de pessoas impactadas nas redes sociais. Mais de 20 mil ingressos foram vendidos com valor popular e mais de 10 mil ingressos distribuídos gratuitamente para ONGs e escolas. Em 05 de agosto de 2024, o espetáculo completará dois anos ininterruptos em cartaz, gerando mais de 50 empregos diretos e mais de 100 indiretos.      

 Duetos com Du Moscovis e Patricya Travassos lotando o Teatro Guaira, no Festival de Curitiba - Crédito Lina Sumizono
Duetos com Du Moscovis e Patricya Travassos lotando o Teatro Guaira, no Festival de Curitiba – Crédito Lina Sumizono

No “Festival de Teatro de Curitiba”, mais importante e prestigioso festival de teatro da América Latina, as duas apresentações, nos dias 3 e 4 de abril, aconteceram no Teatro Guaíra para mais de 4 mil espectadores. Os ingressos se esgotaram com mais de um mês de antecedência.

Reconhecimento no Brasil

O espetáculo foi indicado, em categoria especial, ao Prêmio Prio de Humor, criado por Fábio Porchat, pelos figurinos de Claudio Tovar. Além disso, ganhou o selo de qualidade “O Teatro Me Representa”, com quatro indicações do crítico teatral Gilberto Bartholo nas categorias “Melhor Comédia”, “Direção”, “Atriz” e “Figurino”.

“Fenômeno de público no teatro nacional. Em estado de graça, literal e metaforicamente, a dupla de atores está afinadíssima.” (Mauro Ferreira – Portal G1)

“Atuação e texto fazem de DUETOS uma comédia sofisticada.” (Jornal O Estado de São Paulo)

Reconhecimento internacional

“Esta comédia com mudanças rápidas é doce, repleta de emoção e charmosa sem fazer esforço, cada personagem é esboçado com inspiração e muita habilidade.”

(The Atlanta Journal Constitution)

“A compreensão de Quilter sobre os desejos e peculiaridades humanas está à mostra e é investigada de forma muito afetuosa… Uma exploração calorosa e divertida do amor e de outras confusões.”

(The Daily Telegraph)

“Cativante, denso, engraçado e variado… A linguagem é sempre lindamente representada, específica para cada personagem e emocionalmente satisfatória… Duets é uma peça para ser valorizada!”

(The Sydney Morning Herald)

Elenco e direção

Ernesto Piccolo é ator e diretor. Entre seus recentes trabalhos como diretor de teatro estão “D.P.A. – Detetives do Prédio Azul, A Peça”; “Divã”; “Doidas e Santas”; “A História de Nós Dois”; “Simples Assim”, de Martha Medeiros”; “O Ovo de Novo – Galinha Pintadinha”; “Andança – Beth Carvalho, o Musical”. Desde 2010 dirige o festival de diversidade cultural Tangolomango, que reúne grupos culturais populares, tradicionais e contemporâneos, de várias partes do Brasil e da América Latina.

– A peça, na sua essência, fala de solidão mesmo, e de uma forma muito divertida. Das relações mais diversas que o ser humano experimenta para tornar a solidão menos dolorosa. É uma lente de aumento, uma sátira dessas situações – conta o diretor.

Patricya Travassos é atriz, apresentadora, roteirista, escritora, diretora e compositora. Começou na década de 1970, no grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone, ao lado de Regina Casé, Luiz Fernando Guimarães, Perfeito Fortuna e Evandro Mesquita, criando e atuando nas peças “Trate-me Leão” e “Aquela Coisa Toda”. Na década de 1980, compôs canções, criou figurinos e dirigiu os espetáculos das bandas “Blitz” e “Sempre Livre”. Entrou na Rede Globo em 1984 e, durante quatro anos, criou e escreveu “Armação Ilimitada”, além de ter sido roteirista de “TV Pirata”, “Delegacia de Mulheres”, “Vida ao Vivo Show”, da minissérie “Sex Appeal” e da novela “Olho no Olho”. Como atriz, participou de novelas de sucesso como “Brega e Chique”, “Bebê a Bordo”, “Vamp”, “A Próxima Vítima”, “Vira Lata”, “As Filhas da Mãe”, “A Lua me Disse”. E nos canais Globo, em seriados como “Lili, a ex” (GNT), “A Secretária do Presidente”, “A Vila” e “Dono do Lar” (Multishow). No teatro, atuou em “A Partilha”, de Miguel Falabella; “Capital Estrangeiro”, de Silvio de Abreu; “No Escurinho do Cinema”, de Luís Carlos Góes; “5 X Comédia”; “Monstra” e “Área” (estas duas de sua autoria), entre outras. No cinema, colaborou em roteiros de filmes como “Lua de Cristal” (1990), de Tizuka Yamasaki; e atuou em “Lili, a Estrela do crime”, de Lui Farias; “A Hora Mágica”, de Guilherme de Almeida Prado; “Minha mãe é uma peça 2”; “Mulheres Alteradas”; “Minha mãe é uma peça 3”; “Esposa de Aluguel (Netflix), entre outros. Escreveu os livros “Esse Sexo é Feminino”, “Alternativas de A a Z” e “Monstra e Outras Crônicas”. Entre 1997 e 2013 apresentou o programa “Alternativa Saúde”, no GNT.

– Eu amo comédia. Adoro assistir e adoro fazer comédia. E ter quatro histórias na mão é muito divertido. Quatro personagens, quatro pensamentos, quatro carências, quatro caracterizações. Está sendo muito rico para mim. Estamos chegando a lugares muito divertidos e ao mesmo tempo muito profundos – apesar de engraçados, os personagens falam de emoções muito humanas. Precisamos rir, mais do que nunca. Precisamos ir ao teatro – afirma Patricya.

Ator e produtor, Eduardo Moscovis transita livremente entre as várias linguagens das artes cênicas, com atuação em teatro, cinema, telenovelas e séries de TV. A sua trajetória artística se inicia em 1989, quando fez “Os XII Trabalhos de Hércules”, “1789 – A Revolução” e “O Ateneu”, todos dirigidos por Carlos Wilson, o Damião. Convidado a participar da Oficina de Atores da Globo, foi chamado para um teste para a novela “Pedra Sobre Pedra” e, aprovado, iniciou sua trajetória na televisão. Integrou o elenco de diversas telenovelas, entre as quais destacam-se “Por Amor”, “A Regra do Jogo”, “Pecado Capital” e “O Cravo e a Rosa”, entre muitas outras; nas duas últimas assumiu o personagem protagonista. A sua atuação no teatro inclui “Norma”, de Dora Castellar e Tonio Carvalho, em que contracenou com a atriz Ana Lúcia Torre, espetáculo que também produziu. Atuou também em “Corte Seco”, de Christiane Jatahy, entre outros espetáculos. No cinema, tem participação frequente: “Veneza” e “Ela e Eu” são alguns dos títulos que contam com Moscovis no elenco. Recentemente, sua participação no streaming lhe rendeu muitos elogios e prêmios em “Bom Dia, Verônica”. Atualmente, é contratado da TV Globo e está no ar na nova novela das 18h, “No Rancho Fundo”.

– Peter Quilter é um ótimo autor inglês. Sua peça “End of the Rainbow”, sobre a vida de Judy Garland, foi adaptada para o filme vencedor do Oscar de 2020, “Judy”. A qualidade dramatúrgica de Duetos é impressionante. Ele retrata 4 situações de relacionamentos absolutamente hilárias e próximas às nossas vidas – destaca Moscovis.

Peter Quilter

Peter Quilter, nascido em Colchester, Inglaterra, é dramaturgo do West End londrino e da Broadway. Suas peças foram traduzidas para 30 idiomas e apresentadas em mais de 40 países. Atualmente, Quilter tem mais de 14 produções ativas acontecendo pelo mundo, totalizando mais de 30 espetáculos realizados.

Uma das produções de grande destaque é o espetáculo “End of the Rainbow” que foi adaptado para o filme vencedor do Oscar “Judy” (2019), estrelado por Renée Zellweger.  Ele também é autor da comédia “Glorious!”, de West End e Broadway, adaptada para o filme “Florence Foster Jenkins” (2016), dirigido por Stephen Frears e estrelado por Meryl Streep.

Ficha técnica:

Autor: Peter Quilter

Direção: Ernesto Piccolo

Elenco: Patricya Travassos e Eduardo Moscovis

Cenário: J.C. Serroni

Figurino: Claudio Tovar e Helena Araújo

Iluminação: Aurélio de Simoni

Trilha Sonora: Rodrigo Penna

Preparação Corporal: Daniella Visco

Tradução: João Polessa Dantas

Adaptação do Texto: Patricya Travassos e Ernesto Piccolo

Direção de Arte Gráfica, Foto e Vídeo: Mauricio Tavares

Assessoria de Imprensa: Carlos Pinho 

Registro Fotográfico: Barbarah Queiroz

Direção de Produção: Sérgio Lopes

Coordenador do Projeto: Mauricio Tavares

Coordenador de Produção: Filomena Mancuzo

Produção Administrativa: Marta Metzler

Produção Geral e Marketing: INOVA BRAND

Realização: INOVA BRAND, Ministério da Cultura, Governo Federal – BRASIL, União e Reconstrução.

Apresentado pelo Ministério da Cultura e Brasilcap

Patrocínio – Laboratório Cristália

Cia Aérea Oficial – Azul

Serviço:

Local: Teatro Deodoro – Rua Barão de Maceió, Centro, Maceió – Alagoas

Sessões: 29 de junho, sábado, às 17h e 20h, e 30 de junho, domingo, às 19h

Ingressos: de R$ 20 a R$ 150

Vendas e mais informações: https://bileto.sympla.com.br/event/94474/d/258425   

DURAÇÃO: 80 minutos  

CLASSIFICAÇÃO: livre

SITE OFICIAL DO ESPETÁCULO: www.duetosacomedia.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *