em

"É preciso transver o mundo", com água e sabão, por que não?

Magma, seiva, esperma, vida microscópica, o universo cósmico, a superfície de um planeta que pode existir dentro de você… A série Soap Films, da fotógrafa Jane Thomas, nos remete a uma energia fluida e nos agita: “é tão bonito!”
soapfilm1
O impressionante é que a obra de Jane não seja pintura ou arte digital mas simplesmente fotografias macro de sabão e água. A artista faz bolhas de sabão e esse resultado alucinante que vemos são os zooms que ela dá no líquido que fica naquele suporte de fazer bolha de sabão.
soapfilm10
soapfilm2
Essa série me ressalta, me faz perceber que a Arte pode tudo. Qualquer banalidade quando “transvista” pelos olhos de alguém (a Jane Thomas, eu, você, a Tarsila do Amaral ou um desconhecido) nos traz a brisa fresca de uma criação de Arte.
soapfilm5
soapfilm9

soapfilm8
Ora, o mundo está aí, por que brincamos tão pouco com ele? Por que experimentamos tão pouco com coisas tão simples? Manoel de Barros estava atento e nos aconselhou:
[…]É preciso desformar o mundo:
Tirar da natureza as naturalidades.
Fazer cavalo verde, por exemplo […]

 
soapfilm4

Participe com sua opinião!