em ,

TopTop CurtiCurti EitaEita

Indie Heroes of Hammerwatch traz masmorras e mais cenários em uma progressão incrível

Para quem gosta de jogos indie, se lembra de Hammerwatch, um jogo de 2013 em que vagamos por masmorras estilo Diablo. Ganhou boa popularidade e de uma comunidade dedicada de fãs que aguardavam ansiosamente a já anunciada segunda parte. Enquanto não chegava; a mesma equipe de desenvolvimento oferece um spin-off que pega muitos de seus elementos e dá a eles um toque muito interessante. É o que encontramos em Heroes of Hammerwatch.

Não é um jogo novo. Já foi lançado para PC e Linux em 2018. Essa versão chegou recentemente para Nintendo Switch e Xbox One. Além de ter uma jogabilidade adequada para consoles, inclui todos os Caracteres DLC e configurações que os jogadores de PC tiveram que comprar separadamente.

Análise

Podemos dizer que não temos uma simples aventura de exploração de masmorras como seu antecessor, mas um roguelike. Mesmo repetível, é um jogo cheio de surpresas. Mas, antes de tratar do jogo em si, temos que explicar algo que provavelmente nem todos os nossos leitores sabem.

O que é um roguelike? Em termos gerais, são jogos com ‘permadeath’ (morte permanente) em que vários elementos são gerados aleatoriamente. Cada vez que perdemos, temos que recomeçar do início e os mapas, inimigos e objetos que encontramos não serão sempre os mesmos.

Em Heroes of Hammerwatch, temos que passar pela Torre Proibida. Desse lugar visitaremos todos os locais do jogo. E não importa o quanto tenhamos avançado, se cairmos na batalha, devemos começar novamente do primeiro andar.

Pode parece frustrante, mas há uma outra mecânica que faz esse sistema aparentemente repetitivo funcionar. Ao longo de nossas jornadas encontramos muitas recompensas e o que coletamos podemos enviar para a cidade, se acharmos um elevador. Ou seja, não vamos perder nossas coisas se morrermos. Assim, podemos gastar com melhorias de armas, armaduras, aprender habilidades e renovar os edifícios da cidade que nos dão acesso a novos e numerosos sistemas, o que tornará as viagens constantes mais interessantes.

A maioria das vantagens adquiridas não desaparecem com a morte, então aos poucos nos tornamos mais poderosos e será mais fácil alcançar novos níveis. Derrotar chefões pela primeira vez permite que os portais que encontraremos no primeiro andar de cada área cheguem ao seguinte depois de enfrentar algumas ondas de inimigos. Isso nos convém porque, além de nos poupar tempo, nos dão muitos objetos. O problema é que podemos perder tudo explorando andar por andar.

Para entrar na torre podemos escolher uma das cinco classes: Paladin, Sorcerer, Explorer, Warlock e Witch Hunter. Ao jogar, podemos desbloquear outros quatro: Thief, Priest, Wizard e Gladiator. Cada um tem suas próprias habilidades e é jogado de forma muito diferente dos outros.

Infelizmente, não existe um modo multijogador local. Entendemos que a ideia dos desenvolvedores é que cada membro do grupo possa explorar cada andar da torre à vontade sem ser limitado pelos outros, mas seria legal poder jogar com outra pessoa no mesmo console.

Jogabilidade

Heroes of Hammerwatch tem um foco absoluto na progressão. É um jogo perfeito para quem quer criar um personagem e melhorá-lo aos poucos, até que seja capaz de derrubar uma horda de inimigos ao apertar um único botão. É realmente gratificante ver todos os edifícios renovados e sentir que temos um personagem poderoso depois de tantas horas de esforço.

A jogabilidade tem uns probleminhas, o controle do personagem é meio impreciso e para se acostumar, levamos algumas mortes injustas. Devido ao dois análogos no joystick, um problema que não existe na versão para PC, que usa teclado e mouse.

A ação na tela também pode ser tão intensa que acaba confundindo o jogador. E é no cenário que temos pixel art lindos, coloridos e relativamente detalhados, mas existem hordas de dezenas de inimigos diferentes que, combinados com os personagens, os efeitos de seus ataques e detalhes das cenas, podem fazer qualquer um perder e não sabe o que está acontecendo.

Narrativa

Outros elementos do jogo não são tão bem elaborados, como no caso de sua narrativa. Sim, há um enredo neste título, mas é relegado aos menus. São detalhes de alguns cenários e chefe de níveis/fases que nos passam uma ideia do que está acontecendo. Mas não é interessante e nem original. Lógico que o jogo não foi feito para atrair jogadores contando uma grande história. Em suma,  o cenario de Heroes of Hammerwatch é bastante genérico.

Vale a pena jogar Heroes of Hammerwatch ?

È uma boa alternativa à saga do RPG hack and slash dungeon crawler Diablo. Se os jogos da Blizzard já esgotaram para você e procura algo semelhante este jogo indie pode deixá-lo bastante satisfeito. Claro, para quem procura uma boa história é melhor procurar outras opções.

Heroes of Hammerwatch nos oferece a possibilidade de criar um personagem-heroi do zero, para poder aprimorá-lo detalhe por detalhe. Um jogo que oferece ação intensa em meio ao aumento  como aumentar o número de danos e defesa, sem deixar para trás a ação intensa e o modo multiplayer online. Há aspectos que o impedem de se destacar como um grande jogo do gênero, mas vale pelos desafios e sistema apresentados.

Nota: Bom – 3 de 5

Indie Heroes of Hammerwatch traz masmorras e mais cenários em uma progressão incrível
3 / 5 Crítico
Avaliação
Publico (0 notas) {{ reviewsOverall }} / 5
Reviews Deixei sua nota!
Order by:

Be the first to leave a review.

User Avatar User Avatar
Verificado
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

This review has no replies yet.

Avatar
Show more
Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixei sua nota!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *