em

2012, a grande catástrofe é o trabalho de Roland Emmerich

2012O filme 2012 é de chorar, chorar de raiva! Num mundo açoitado por crises, mortes, terrorismo, somos presenteados com mais um filme clichê de catástrofe.

O filme de Roland Emmerich é baseado na possibilidade de o mundo acabar no final do ano de 2012, por ser o último ano do calendário maia. O filme começa em 2009, onde um cientista chamado Adrian Helmsley (Chiwetel Ejiofor) descobre que grandes eventos catastróficos estão para acontecer, devido uma enorme explosão no Sol. Em 2012, Jackson Curtis (John Cusack) é um pai divorciado que trabalha como motorista de limusine e escritor, sua ex-mulher Kate Curtis (Amanda Peet) e seus filhos convivem com seu novo namorado, Gordon (Thomas McCarthy). Jackson começa a pesquisar sobre o fim do mundo e passa a acreditar que ele ocorrerá no final de 2012. Quando finalmente chega a data prevista para o apocalipse, 21 de Dezembro de 2012, grandes catástrofes em várias partes do mundo começam a acontecer resultando em uma mudança drástica em todo o planeta.

Aonde você já viu isso? Ah sim, foi em O Dia Depois de Amanhã, que por sinal é do mesmo diretor, só que em 2012 temos o elemento explosão solar. O filme todo é uma sucessão de clichês baratos, como a família desajustada onde o pai é ausente, o filho que tem problemas com o pai, a mulher que dorme com outro mas é apaixonada pelo ex, a filha que tem um problema pessoal a ser superado, o presidente americano com frases de efeito e por aí vai.

Nada surpreende no filme e a única coisa que impressiona são as cenas de destruição extremamente bem feitas, no entanto,  a cena onde John Cusack corre das cinzas do vulcão ficou bastante mal feita. Sem mencionar que Emmerich está estimagtizado como aquele que só faz filmes de destruição sem apresentar conteúdo algum.

Confesso que o trailer me  impressionou, principalmente a imagem do Corcovado sendo destruído. Pesquisei sobre a profecia maia na internet mas, após ver o filme, percebi que Emmerich simplesmente fez chacota da profecia.

A única catástrofe é o trabalho de Roland Emmerich, que se não fosse pela qualidade das cenas de destruição, poderia ser considerado medíocre.

10 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Catástrofe é esperar alguma coisa de um filme desses além do típico carnaval de efeitos especiais e computação gráfica. Assisti ontem no cinema e fiquei satisfeito, pois o filme me entregou o que eu esperava, nem mais nem menos.

  2. eu tinha a pretensão de ver lua nova ontem sexta feira,mais stava tudi esgotado e eu e meus amigos entramos para ver 2012…tirando os efeitos especias e as cenas de destruição o filme foi um lixo,o jackson o principal escapou de tudo usando um carro e depois um aviãozinho monomotor….que lixooo

  3. não levei não,o shopping inteiro tava lotado de meninas bonitas e todas tavam indo ver lua nova,na sala do 2012 só uns tiozão e umas velhas horriveis,se pelo menos o filme tivesse valido a pena…

  4. Esse filme é o que eu chamo de Pornô Catástrofe. Depois do Pornô com Robôs que foi Exterminador 4, nada melhor que um pornô catástrofe pra acabar com o ano.

  5. po mais o que vcs queriam de transformers,todo mundo sabia que ia ser efeito especial atras de efeito especial….transformers nunca teve história,eu fui ver transformers no cinema sabendo que tava indo ver um filme de efeitos especiais lutas absurdas e sem nenhuma história.

  6. Vi o filme e gostei bastante, mostrou tudo quem um filme do genero mostraria e com bastante qualidade, as criticas que fazem do filme é de pessoas que foram ver o filme pensando q era de comedia ou romance e algo do tipo ai quando viu destruição e ação ficaram decepcionadas.

Deixe sua opinião