em ,

"A Morte te dá Parabéns 2" traz uma (bem-vinda) adição de ficção científica ao terror

Sucesso-surpresa de 2017, “A Morte te dá Parabéns” contava com uma trama que misturava os slasher movies, como os das franquias “Sexta-Feira 13” e “Pânico”, com a comédia “Feitiço do Tempo”, em que o personagem de Bill Murray se via preso no mesmo dia e tem a chance de mudar sua vida ao rever suas atitudes várias e várias vezes. A produção revelou a bela e carismática Jessica Rothe, que vive a protagonista Theresa “Tree” Gelbman e precisa descobrir como deixar de ser assassinada no dia do seu aniversário repetidamente, num thriller intrigante e muito divertido.

Com a boa bilheteria e os elogios da crítica, o pessoal da produtora Blumhouse (responsável pela franquias “Uma Noite de Crime” e “Atividade Paranormal”, além dos hits “Corra!”, “Fragmentado” e “Vidro”) resolveu que valia a pena investir numa continuação. Mas a questão que fica é: Como fazer com que um filme tão bem amarrado tenha uma sequência que consiga manter o interesse do público, sem parecer ser mais do mesmo?

A resposta veio com a inserção de outro gênero na fórmula que já contava com terror, suspense e humor: a ficção científica. E, felizmente, a nova mistura deu certo, já que “A Morte te dá Parabéns 2” (“Happy Death Day 2U”, 2019, EUA) prende a atenção, mesmo com menos sustos do que o filme original e não subestima a inteligência do espectador.

Na nova trama, que se passa um dia depois dos eventos da primeira parte, Tree (Jessica Rothe) se sente vitoriosa após finalmente desvendar quem tentou matá-la e, assim, pôde curtir o seu aniversário e o começo de um relacionamento promissor com Carter (Israel Broussad). Mas um projeto científico de Ryan (Phy Vu), companheiro de quarto de Carter, acaba levando Tree de volta ao passado.

A jovem não só revive tudo o que aconteceu no seu aniversário como também volta a ser perseguida por um misterioso assassino. Porém, logo ela percebe que alguma coisa está diferente em relação ao seu mundo e algumas situações não são mais as mesmas. Assim, para conseguir voltar ao seu universo, Tree perceber que terá que morrer de novo, e de novo, e de novo, até que encontre a resposta para o paradoxo temporal em que se encontra.

Da mesma forma que o primeiro filme está para “Feitiço do Tempo”, “A Morte te dá Parabéns 2” tem sua história nitidamente inspirada em “De Volta Para o Futuro Parte II”. E seus realizadores não escondem isso do espectador, colocando a segunda aventura de Marty McFly e Doc Brown sendo citada por um dos personagens no desenrolar da trama. Ponto para o diretor Christopher Landon, que também dirigiu a obra original e, dessa vez também é responsável pelo roteiro, a partir dos personagens criados por Scott Lobdell, que dessa vez ficou de fora.

O cineasta cria uma nova dinâmica para a sequência, em que desenvolve um interessante conflito para Tree, que não só precisa descobrir quem é o novo assassino mascarado que persegue também seus amigos, mas também tem que decidir se vale a pena ficar no novo mundo ou voltar para o antigo. Esse dilema realmente é bem desenvolvido e se torna um dos pontos positivos do filme.

O único porém é que a parte do terror e do suspense acaba ficando enfraquecida e aquele que for atrás de mais sustos ou de um mistério mais intrigante ficará realmente decepcionado, já que a proposta é enfatizar os elementos temporais, que não chegaram a ficar bem explicados no primeiro filme. Mas, pelo menos, as cenas envolvendo as mortes da protagonista são bem conduzidas e algumas são mesmo bastante divertidas.

Mais uma vez à frente de um elenco de atores pouco conhecidos do grande público, Jessica Rothe se destaca novamente ao tornar Tree uma personagem interessante, que faz o espectador torcer para que ela encontre a solução para o seu inusitado problema. Além disso, a atriz tem mais espaço para mostrar seu talento dramático em cenas mais emotivas, o que prova que ela merece ser aproveitada em outras e maiores produções.

Outro que aproveita mais a chance dada é Phy Vu , que vai um pouco além do alívio cômico como Ryan, ainda mais que parte do filme é centrada nele e, se ele não se mostrasse capaz, haveria um sério problema para aceitar a história. Quem também chama a atenção é Rachel Matthews, que interpreta novamente Daninelle, a fútil presidente da fraternidade de Tree e aqui ganha mais espaço. Os outros atores estão bem e não comprometem.

“A Morte te dá Parabéns 2” vale como uma divertida e intrigante sequência, o que já é muito se comparado a tantas continuações esdrúxulas que volta e meia aparecem nos cinemas apenas para ganhar mais dinheiro dos fãs. Pelo menos essa não foi pelo caminho fácil e só por isso merece créditos. Resta saber se, no caso de uma terceira parte, qual vai ser o filme em quem os realizadores vão se inspirar.

Ah, sim!!! Tem uma cena no meio dos créditos que pode apontar para onde essa franquia pode ir. Só o tempo dirá se a repetição vai cansar ou não.

"A Morte te dá Parabéns 2" traz uma (bem-vinda) adição de ficção científica ao terror
4 / 5 Reviewer
{{ reviewsOverall }} / 5 Users (0 votos)
Rating4
What people say... Leave your rating
Ordernar por:

Deixe sua nota e participe!

User Avatar User Avatar
Verificado
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Leave your rating

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Deixe sua opinião

A Mula – Making of

PC Engine – TurboGrafx-16 – 7 Jogos Indispensáveis