em ,

Clássicos Cinemark: “Grease” (1978)

Você já os viu em algum lugar. No seriado Glee, em programas com números de dança, em paródias e homenagens diversas. Eles são de mundos completamente diferentes, mas se amam e sofrem por isso. Não, não são Romeu e Julieta, até porque no final não há tragédia: ela apenas faz um permanente, veste leggings de couro e se entrega ao amor. Bem-vindo aos tempos da brilhantina!
Danny (John Travolta) e Sandy (Olivia Newton-John) se conhecem nas férias de verão e é amor à primeira vista. A separação é inevitável com o fim das férias, mas para a surpresa de ambos eles descobrem, no primeiro dia de aula, que estudam na mesma sala. Mas os problemas estão longe de acabar: Sandy é toda certinha, e Danny precisa manter sua fama de valentão.
The Fantastic Soundtrack Band
Sim, o enredo do filme é ridículo. Mas, como na maioria dos musicais, a história é o que menos importa: ela só existe para introduzir as canções. Tudo bem, há alguns pontos interessantes, como a história de Rizzo (Stockard Channing), que vive as consequências de uma suposta gravidez na adolescência (o tema é tratado com muita, muita discrição… e uma música). Rizzo é a prova viva de que os mocinhos podem ter charme, carisma e afinação, mas os vilões são os personagens mais complexos e fascinantes.
Este foi o filme que consolidou o sucesso de John Travolta, que desde o ano anterior bebia o doce néctar da fama com “Nos Embalos de Sábado à Noite”. Isso foi na época em que Travolta ainda tinha cabelo e Olivia Newton-John não cantava a música de duplo sentido “Let’s Get Physical”. Eram tempos mais simples, e o filme faz referência a uma época ainda mais distante, da juventude transviada de James Dean contrastando com a pureza de Sandra Dee. Há até o bailinho saudoso e muito dançante!
grease1
“Grease” foi a terceira maior bilheteria dos anos 70, perdendo apenas para “Star Wars” e “Tubarão”. Multicolorido, animado, despretensioso: sem querer dar lição de moral ou provar alguma coisa, “Grease” conquistou uma geração graças à mais velha fórmula de sucesso dos musicais do Hollywood: o que importa é tirar por algumas horas o espectador do seu mundo.
“Grease – Nos Tempos da Brilhantina” é a atração das salas Cinemark nos dias 20 e 21 de dezembro.
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *