em

Dez anos da Nova Trilogia de Star Wars

star_wars_episode_one_the_phantom_menace_ver22Pois é, sintam-se velhos, há exatamente dez anos atrás estreiava por aqui o primeiro episódio da nova trilogia de Star Wars (lá fora no dia 19 de maio), na época um fenômeno nunca visto nos cinemas, com pessoas acampando por dois meses na fila dos cinemas. É de se imaginar se elas fariam de novo tendo consciência da qualidade cinematográfica do primeiro episódio da saga.

É importante darmos atenção a imensa dificuldade que é estabelecer uma nova trilogia do que é em grande parte a mais amada franquia dos cinemas, a coisa se torna ainda pior quando esta nova trilogia se passa em um período anterior, o que coloca sobre ela uma série de requerimentos em termos de roteiro e mina completamente com boa parte do suspense. George Lucas foi corajoso em assumir esse trabalho, principalmente quando sua incapacidade como diretor é um conhecimento geral até entre os fãs (alguém aí não prefere “o império contra-ataca” de Irving Keshner?).

Com a nova trilogia, tivemos filmes bastante díspares, que variaram do fraco episódio I, um mediano “Ataque dos Clones” e um terceiro filme excelente (mesmo mantendo alguns problemas pertinentes a versão moderna de Star Wars). Vale lembrar também que apesar das críticas, os novos episódios serviram de plataforma para as gerações mais jovens conhecerem três clássicos que marcaram completamente o cinema do século XX.

Para comemorar os dez anos que a “Ameaça Fantasma” acaba de completar (sempre achei o título “The Phantom Menance” o melhor da série, ainda que o filme não consiga fazer jus a ele), o Ambrosia preparou duas pequenas listas onde discutimos o que aconteceu de melhor (e de pior) na nova trilogia de Star Wars:

As dez piores coisas na nova trilogia:

10 – Darth Maul era apenas um dublê:

star-wars-darth-maulOk, vamos lá, nós sabemos que o visual dele é fantástico, assim como o seu sabre duplo e suas cenas de luta, mas o resto é simplesmente bobo. Ao que parece George Lucas queria fazer aqui um novo Boba Fett, ou seja, um vilão que faz o tipo calado e misterioso. Isso funcionou com o mercenário na trilogia clássica por que ele cumpria um papel secundário. Não dá para colocarmos um sujeito assim como vilão principal. Não só Darth Maul só tem uma fala no filme inteiro, como ele é derrotado pelo Padawan Obi-Wan Kenobi. Sabemos que o fato dele ser interpretado por Ray Park, um dublê sem habilidades interpretativas já nos faz não esperar muito do personagem, que tem mais falas no trailer (por algum motivo bizarro o trailer apresenta uma narração em off do Darth Maul) do que no filme. Lucas deveria se lembrar que em um filme que tem como personagem mais famoso e importante Darth Vader, era no mínimo necessário ter um vilão melhor (já que Palpatine era apenas uma ameaça fantasma no episódio I).

9 – Jar Jar Binks, o Pateta:

Não dá nem para escrever muito sobre esse ponto que já não seja óbvio, Jar Jar Binks foi uma escolha infeliz do diretor. O personagem além de irritante é um insulto a inteligência do espectador (com os seus “acidentes” que ajudam os mocinhos). Felizmente, George Lucas mostrou ser capaz de ouvir aos fãs e acabou com o personagem, que teve cerca de três falas no episódio II e nenhuma na “Vingança dos Siths”.

8 – A força é um resfriado?

virus_bigOutro ponto que foi ignorado por George Lucas e pelo universo expandido depois que foi rejeitado pelo público. Midichlorians. Ninguém precisava ouvir uma explicação pseudo-científica do uso da força. Estava todo mundo muito feliz quando ela era apenas um conceito panteísta do misticismo oriental, felizmente ela acabou voltando a ser isso nos demais episódios. Não existe explicação melhor para a força do que aquelas dadas por Yoda e Obi-Wan na trilogia clássica, poesia pura.

7 – CGI demais:

Temos que admitir que a nova trilogia é muito bonita visualmente (até entrou na lista das melhores coisas), mas alguns efeitos ficaram artificiais demais. Sets quase 100% digitais (ok a nova trilogia praticamente inventou o cinema digital que é cânone hoje em dia, o que é bem legal) resultaram para muitas cenas em um aspecto de artificialidade que incomoda. Muitos dos efeitos parecem realmente terem sido feitos por comodismo, pois poderiam facilmente ter ganhado replicas reais ao invés de efeitos de computador. Na nova trilogia inteira ninguém usou um uniforme sequer de Clone Trooper, eram todos feitos de animação.

6 – A Guerra dos bons contra os maus:

sw-ep2-image5

George Lucas perdeu uma ótima oportunidade de adicionar ambigüidade aqui. Quando Obi-Wan é capturado pelo excelente Conde Dooku, líder do movimento separatista, ele tenta convencer o jovem jedi que a república estaria sendo corrompida por um Sith e que em seu movimento está a única chance de paz da galáxia. Sabemos nesse momento que Dooku está falando a verdade, mas descobrimos depois que ele é de fato mau e que segue diretamente as ordens de Darth Sidious. Não seria muito mais interessante se ele tivesse sido manipulado por Palpatine e verdadeiramente acreditasse em seus ideais? Teríamos uma guerra dos clones onde os dois lados estão lutando pelo que acreditam, e pior ainda, o lado da república é onde repousa o verdadeiro mau (o que de fato aconteceu). Acho que uma camada de cinza não faz mal a ninguém.

5 – Andamento de Cenas:

Todos os três filmes (o terceiro um pouco menos) parecem sofrer com um mau andamento de cenas. No primeiro temos uma ação repetitiva e pouco inteligente que permeia os quarenta minutos iniciais. As cenas sem ação já soam arrastadas demais e se fazem tão cansativas quantos os pulos. A história dos filmes é boa, todos sabemos que Lucas tem idéias fantásticas em termos plot e narrativa, mas sua atuação como diretor falha miseravelmente por aqui também. Como, por exemplo, a total destruição do clímax do episódio II ao vermos o Yoda usando um sabre de luz de forma ridícula.

4 – Anakin Skywalker é um exterminador???

swanakin_skywalker-anakinskywalkerEle não é o Gorvenator, ou o escolhido (até é, mas não é a porcaria do Keannu Reaves daquele lixo de Trilogia), mas atua tão mal quanto. Não importa a idade do personagem, tanto o pequeno Jake Llyod quanto Hayden Christensen, não conseguiram fazer jus ao papel que interpretaram. Christensen até tem alguns poucos momentos de brilho, como quando confessa ter matado todos os Tusken raiders, ou quando vira o Darth Vader (sem armadura) no meio do episódio III, mas no geral sua atuação com o personagem chega a ser irritante.

3 – Personagens Rasos:

Muitos personagens da nova trilogia acabaram ficando mal desenvolvidos. Não é possível enxergar neles profundidade emocional, anseios, trejeitos e etc… E isso permeia inclusive alguns dos principais como Amidala. O problema é crítico no episódio I (onde todos os personagens menos Quin-Gon Jinn sofrem desse mal), mas permeia em menor instância os demais episódios da saga. Veja bem, os personagens novos não são ruins, pelo contrário até, eles são excelentes, mas deveriam ter sido mais bem aprofundados.

2 – Romance brega e sem química:

swaotc_anakin_padme_lg13Mais um dos problemas de se fazer uma história anterior aos demais filmes. O romance entre Anakin e Padmé tinha que acontecer. A coisa toda não foi bem desenvolvida e o casal de atores não possui muita química juntos. As cenas de amor beiram do forçado ao completamente ridículo. Mesmo já tendo provado que é um bom escritor, Lucas não sabe escrever diálogos românticos que visivelmente estão em um nível muito abaixo de todas as outras falas da saga. Se não fossem algumas dessas linhas de diálogo bregas no episódio III o filme seria quase perfeito (quero dizer, na altura de um episódio V).

1 – Má direção de atores:

Por fim, o maior problema da nova trilogia, a má direção de atores. Não tenho muito que dizer aqui, assista o filme e comprove. Veja uma atriz brilhante como Natalie Portman atuar no mesmo nível de um Hamster com apendicite, ou Ewan McGregor, outro dos melhores de sua geração, ser completamente ignorável (problema exclusivo do episódio I pelo menos). Com uma maior preocupação com os atores, a nova trilogia seria certamente muito melhor.

É interessante pensar que a maior parte dos problemas se concentra efetivamente no primeiro episódio da Saga, ainda que um dos grandes erros (isto é o Romance) é um problema exclusivo dos dois episódios finais.

Mas não somente de coisas ruins são feitos estes filmes, portanto sem mais delongas, as dez melhores coisas da nova trilogia:

10 – Ewan é Obi-Wan Kenobi:

obi-wan-kenobi-02-largeSem dúvidas um dos trabalhos de atuação mais brilhantes de Ewan McGregor foi criar um personagem que é sem dúvidas Sir Alec Guiness mais jovem. O ator conseguiu colocar em sua versão do personagem todos os trejeitos e maneirismos do imortal cavaleiro inglês. Do jeito de falar até as expressões e tiradas babacas (“o que eu falei era verdade de um certo ponto de vista”), Obi Wan teve uma participação fantástica e digna na nova trilogia (ainda que tenha ficado apagado no episódio I).

9 – Ascensão e queda da ordem Jedi:

Sem dúvidas uma das coisas mais legais dos novos episódios é ver a ordem Jedi funcionando em um período antes de sua queda. Não só vemos a instituição em termos físicos e sócio-culturais como é perfeitamente possível compreender por que eles caíram. Havia sim uma arrogância inata e uma posição de se olhar o mundo de um olhar acima, em quase todos os jedis, mesmo dentro de seu ideal de altruísmo. A ordem 66 é uma das coisas mais legais da nova trilogia, e as cenas são realmente chocantes e dolorosas (principalmente a morte do cerean Ki-adi Mundi).

8 – Planetas e ambientações:

Os filmes têm coisas muito bonitas. O que é o planeta Naboo e as belíssimas construções em Theed? Ou o impressionante planeta cidade Coruscant? Acredito que ainda que existam certos exageros no CGI, de forma algum eles estão nas belas paisagens da Nova Trilogia, que apresenta lugares bem mais bonitos e diferentes do que aqueles que apareciam nos filmes clássicos.

7 – Conceitos:

toydarianDe forma semelhante ao item anterior, a nova trilogia é riquíssima no que concerne os novos conceitos apresentados, isto é, novas naves, alienígenas, objetos e vestimentas. Todos os três episódios trazem acréscimos significativos nesse sentido, desde as belas naboo starfighters e os toydarianos do primeiro filme até o planeta Utapau e seus habitantes em “A Vingança dos Siths”. Do sabre duplo até o pontiagudo Jedi Starfighter. Mesmo o desfile de moda desnecessário da Rainha de Naboo é visualmente interessante.

6 – Os novos personagens:

star-wars-mace-windu-confidenceNão há como negar, muitos dos personagens novos são excelentes e emblemáticos. Para citar apenas os melhores: temos Mace Windu, o motherfucker mestre Jedi interpretado por Samuel Jackson, Conde Dooku, do sempre excelente Christopher Lee, o sábio e impetuoso Qui-gon Jinn de Liam Neeson, até personagens menores como o Senador Bail Organa de Jimmy Smits, ou o vendedor de ferro velho Watto. A ausência de personagens bons e interessantes definitivamente não foi o problema da nova saga.

5 – John Willians é sempre foda:

Não há discrepância aqui. A qualidade musical da nova trilogia está no mesmo nível da antiga. Dez anos se passaram desde que ele compôs a já clássica “Duel of fates” e até hoje não consigo imaginar uma música melhor para um duelo épico (junto com Excalibur do Vangelis). Os tons do Maestro Willians ao lado da sinfônica londrina são sempre perfeitos e continuam sendo na nova trilogia.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=dRxZBKH9zdY[/youtube]

4 – Duelos:

sw__lightsaber_lA nova trilogia é onde repousam os melhores (ok, os piores também) duelos de Star Wars. Ainda que ela tenha dado frutos a coisas ridículas como Yoda perereca contra Dooku ou o cansativo e exagerado duelo final entre Obi-Wan e Anakin (que cruza a fronteira do ridículo), temos também outros muito bons. O melhor deles sem dúvida está no episódio I, Obi e Qui-Gon contra Darth Maul. A luta é fantástica e muito bem coreografada, muito melhor do que você vai encontrar em qualquer filme chinês de luta. Quando perguntam para mim o que é um embate épico, eu mostro essa cena, todos os elementos estão lá.

3 – O sentido de história:

As trilogias são magistralmente conectadas, não há espaço para furos cronológicos. Não só a história é única e linear, como podemos perceber até mesmo a evolução da tecnologia. Dos capacetes de clone troopers até a lenta transformação dos caças jedis em Tie Fighters, tudo ganha um senso de progresso e evolução. Os sets da casa de Schimi Skywalker em Tatooine no episódio II são idênticos aqueles vistos em “a nova esperança”, o mesmo vale para a nave Tantive IV de Bail Organa, invadida por Darth Vader nos primeiros minutos da trilogia clássica. O sentido de continuidade entre a nova trilogia e a velha é perfeito.

stormtrooperevolution

2 – O grande Imperador:

young-palpatineSe existe um personagem que rouba completamente a cena na nova trilogia este é Palpatine, interpretado de forma magistral por Ian MacDiarmid. Ele é perfeito como o grande vilão de toda a saga, vivendo a altura de sua fama. Palpatine é o maior Sith de todos e a grande mente por trás da criação do Império. Sua interpretação jocosa e sarcástica é de longe um dos pontos altos da nova Trilogia.

1 – O grande plano:

Só tem uma coisa mais legal que o Palpatine na nova trilogia, o seu plano político, algo tão legal que supera inclusive a trilogia clássica (que não tinha algo tão bem orquestrado em nenhum dos episódios). Tudo começa com a identidade dupla de Darth Sidious e Palpatine, na época Senador de Naboo, um planeta irrelevante politicamente. Como lorde Sith, ele convence a Federação de Comércio a ir contra o seu planeta natal, colocando-o em evidência e chamando atenção para si no senado galático. Seu alter-ego ataca Naboo, trazendo com isso o questionamento da capacidade de júri do Chanceler da República, o que abre a vaga ao cargo para o próprio Senador Palpatine, que teria sofrido com a inadimplência de seu antecessor. O então líder da República usa sua outra identidade para unir os descontentes com seu governo e forma uma confederação de planetas independentes que acaba por declarar guerra à República. Dada a situação de emergência, Palpatine ganha poderes tirânicos temporários para diminuir a burocracia no efetivo de Guerra. E por aí vai… O plano do Imperador é excelente, e só assistir ao desenrolar do mesmo já vale o ingresso (ou o aluguel dos dvds) do filme. Este é para mim, o aspecto mais legal dos novos filmes, desenvolvido de forma magistral.

Com qualidades ou defeitos, são dez anos do início da nova trilogia, vinte e três anos depois do primeiro filme da série. Resta agora esperar que com o impressionante avanço da técnica de captura de movimentos e modelagem 3D, agente possa assistir a uma nova trilogia, com a volta de Luke e seus companheiros. Não custa nada sonhar, afinal, mesmo que seja ruim, isso não vai estragar os filmes que eu já amo.

26 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Concordo com as listas, especialmente a crítica ao romance hahaha

    Enfim, eu gosto muito do episódio I e do resto da trilogia, ainda que ela tenha furos (acho o pior deles a abordagem científica da força, totalmente desnecessária e ridícula) e, sinceramente, não tenho nada contra o fato do Maul ser um dublê, ele atuou tão bem quanto o Lucas esperava, talvez se o diretor exigisse mais e desse um espaço maior do que “fica parado ali no canto e faz cara de mal”, ele encaixaria melhor no filme, mas não foi o caso.

    Muito bom o artigo 🙂

  2. Sabe pq ele não escreve diálogo romantico bom? Pq ele sempre foi nerd, e todo mundo sabe que nerd (aqueles bem evoluidos) se não for mulher toma penalidade em romance. hehehe

  3. Sensacional esse post
    O que me lembra uma grande questão quando assisti o I que só foi ter alguma resposta no III
    Quem diabos é o pai de Anakin Skywalker?
    Se na primeira saga a paternidade foi um tema que moveu dois dos 3 filmes, porque ela some quase completamente na saga “anterior” ?
    Concepção espontânea via Força/Midichlorians ? Virgem que dá a luz? Porque Shmi Skywalker, escrava do inóspito planeta Tatoine? O que torna ela especial? Porque ela? Porque uma mulher daquele planeta?

    Em uma das melhores cenas de sedução para o lado negro da força no episodio III, Palpatine conta a lenda de Darth Plagueous o Sábio que tinha o poder de influenciar os Midichlorians para criar vida. E que ensinou antes de morrer a seu aprendiz dele TUDO QUE ELE SABIA.
    A cena é tão boa na minha opnião que vc saca na hora que Palpatine é o aprendiz. http://www.youtube.com/watch?v=R09jFWQVrE0&feature=related pra quem não lembra.
    A partir dessa cena podemos ter algumas conclusões, mas a principal é essa: Anakin foi gerado em sua mãe por influencia de um Sith!!!!!!!!!!
    Se for verdade, resta saber se foi gerado por Plageuos ou Sidious e com que propósito. Voltam as questões porque Shmi e Tatoine… Li em algum lugar que Plageous teria feito isso sem o conhecimento de Sidious, o que explicaria muita coisa, mas não resolvem as questões básicas.
    Enfim, acho que o Lucas não foi feliz em seu argumento. Tentou se valer de um item mitologico mas ficou meio mal encaixado, uma vez que nenhum Jedi resolveu investigar isso, ainda mais se ele realmente era o escolhido pra trazer equilibrio á galáxia.

  4. Me desculpe, mas eu discordo veementemente. Pra mim a nova trilogia é uma das coisas que eu gostaria que nunca tivesse acontecido. Eu acho ela um lixo supremo do começo ao fim. A única coisa boa nela é que ela terminou.

    No meu blog antigo, onde eu falava bastante sobre cinema, escrevi um post falando sobre essa bela porcaria que o Lucas criou: http://fabneme.blogspot.com/2007/04/porque-nova-trilogia-de-star-wars-fede.html

    Ah, e só pra constar: o Episódio III tem um furo sim. A Padme mal tem contato com os gêmeos, só dá nome a eles e já despacha por SEDEX 10. No Retorno de Jedi, a Léia comenta que tinha lembranças da mãe, envolvendo sensações, tristeza. Ela adquiriu todas essas memórias em 5 segundos?

    • Essas lembranças dela são sobre a mãe adotiva, a esposa de bail organa que aparece no final do episódio III ela morreu quando a léia ainda era muito pequena, e sobre esta que ela se refere…

      Outra boa explicação é que léia é uma das pessoas mais poderosas com a força, e entre os seus poderes está a capacidade de ter visões, sejam do futuro ou do passado. ela podia muito bem ver padmé de forma involuntária quando era criança…

  5. Esse artigo só é bom na primeira parte, quando falam das piores coisas. O resto do artigo é coisa de fã da série querendo justificar.

    Para começar, quando você precisa justificar demais algo sem dúvida não presta. Essa segunda trilogia foi só para tirar dinheiro dos fanboys. Tanto que depois vieram as séries de TV.

    • Não estou tentando justificar nada, estou dizendo o que eu gosto nos filmes e não dizendo que eles são bons (o único filme que eu realmente acho bom é o terceiro).

  6. A única coisa boa da Trilogia Nova é que podemos ignora-la.

    Não sei aonde tem bons personagens nessa porcaria. Até o ewoks tiveram um melhor desempenho do que o Wookies (maior decepção).

    Fora que fiquei esperando uma batalha épica dos Jedis contra o pré-Império, e o que aconteceu? Tudo resumido a TIROS NAS COSTAS!

    • Muito mais interessante eles teriam morrido dessa forma….

      Tem muitos personagens legais sim, como os que eu citei no artigo.

      Não acho de forma alguma que a nova trilogia se aproxima da qualidade da clássica, mas acho que existem pontos positivos sim…

    • Conde Dokan, Mace Windu e Qui-Gon são personagens que acrescentam nada ao universo Star Wars.

      Podiam ter feito o Dokan como um cara que acha que o Lado Negro é o correto ao inves de ser apenas mal.

      Mace Windu tem carisma algum, só mais o Lando Calrissian.

      Qui-Gon outro inutil, deviam ter colcoado o Obi-Wan apenas, Qui-Gon é encheção de linguiça, para mim ele foi o FDP que pronunciou pela primeria vez a palavra idiota Midichlorians.

      Você falou da cronologia não haver erros. Primeiro que a Leia chegou a conhecer a mãe biologica, pois ela diz no Retorno de Jedi que lembrava do rosto dela.

      Darth Vader está MUITO mais velho na Trilogia Clássica.

      Yoda e o Imperador são Usuarios da Força, eles não usam Sabre de Luz, eles estão acima disso. Fora que o Yoda Boneco foi muito melhor do que o Yoda 3D, o Yoda Boneco sempre terá mais vida e muito mais presença do que o Yoda 3D.

      R2D2 NÃO VOA E TENHO DITO!

      Han Solo, Princesa Leia, Luke Skywalker e etc (até o Wicket) são personagens muito mais carismaticos, interessantes, bem elaborados do que qualquer um criado nos filmes novos.

      E os duelos são totalmente idiotas, ficam se preocupando em girar Sabre de Luz nas costas e ficar dando piruetas do que na luta em si. Nenhuma dessas coreografias “massa véio” se compara a tensão e genialidade do duelo épico entre Luke vs. Vader e sem falar do dramatico embate Vader vs. Ben Kenobi.

      Enfim, Trilogia Nova foi feito pelo Dinheiro e não pela Paixão ao Universo Star Wars, isso foi o grande erro.

  7. Boa lista. Concordo com muitas coisas discordo de outras. Mas o texto foi muito divertido de ler. Realmente a nova saga foi uma maneira de quem é novo ter contato com Star Wars e ver o desenrolar da trama nos cinemas (os filmes originais resmaterizados também foram lançados na época, mas não contam). Interessante.

    Uma dúvida: aquele lance de desaparecer (se tornar parte da força) quando um jedi morre. Qui-Gon morre pela espada. Como ele o fez? post mortem? E Vader? Como obteve este conhecimento?

    Um abraço a todos e parabéns pela matéria.

  8. Patesi, meu camarada….acho que quanto ao Vader, em o Retorno de Jedi fica bem claro que é inerente àquele que tem a escala moral pendendo para o lado da luz automaticamente ter esse poder. E o Vader se redimiu ao salvar Luke, matando o Imperador. Mas ainda tem um abacaxi brabo, porque no fim do episodio 3 o Yoda insinua que o seria necessario um treinamento a Obi-Wan para se comunicar com a forma fantasma de Qui-Gon em Tattoine. Acho que aí sim, foi uma falha de continuidade em relaçao ao episodio 6, contrariando tudo que ja vimos antes. E acho que so nao vimos Qui-Gon fantasma no fim do ep 1 porque George Lucas nao queria fazer um revival do final da trilogia original.

  9. E Lam, amigao (como vai, tudo bom? rs) a nova trilogia teve momentos fuderaços e nao foi feita so pela grana nao..Tio George tem mais dinheiro do que vc imagina…rs…dindim [e bom, mas acredite, ele nao é um necessitado..rs.

    Quanto as lutas da primeira trilogia, elas eram toscas porque nao havia tecnologia pra fazer coisas mais legais. As novas lutas sao muito mais fodas, em especial como disse o autor do post, a do Darth Maul no gran-finale do ep.1.
    Agora…dizer que aquele boneco tosco e com trejeitos de retardado ( po, na hora entao que ele rouba a comida do Luke em Dagobah ele parece um daqueles bichos ridiculos e burroides da cantina de Mos Eisley, totalmente irracional e NADA condicente com o sabio que vemos nos 3 novos episodios, a nao ser DEPOIS apenas que ele se revela como sendo o Yoda…aí sim..mas antes? Tudo bem que queria enganar o Luke, mas pqp…naop precisava ser um retardado) era bem melhor é sacanagem. Ainda acho a trilogia original muito mais foda, mas a nova realmente teve seus momentos sim. Nao da pra ser purista com Uncle George….so quanto a sua forma tosca de dirigir.

  10. Eu entendi tudo sobre o Yoda Boneco, mas não é um preconceito com a marionete (nao nasci nos anos 90..rs). Apenas nao gostei dele ate a parte em que ele se revela como Yoda. Daí em diante ele arrebenta.

  11. Po..mas a do Maul com os dois jedis nao tem simbolismo? É o bem contra o mal com força total ali…inclusive com todos os momentos dramáticos de Qui-Gon sintonizando com a Força entre os intervalos do modulador de fase do reator..pqp…muito boa a luta. Logico que nao se pode esperar dialogos memoraveis entre o Maul e os dois, como entre Vader e Obi-Wan velhote..mas sinceramente essa luta dispensa palavras. E muito honestamente nao engulo essa de o jedi ser atingido por um lightsaber e se desmaterializar…aff…era pura falta de recursos…alem de pegar pesado demais para um filme em que os produtores estavam aterrorizados por ter empatado grana (veja o dvd de extras da primeira versao do box da trilogia original) , pois eles JAMAIS permitiriam que lucas mostrasse nosso amigo Obi cortado ao meio, como o braço arrancado do bandido em Mos Eisley. Nao se mostrava naquela epoca, como hj, que um dos principais artifices do bem e da esperança (Obi-Wan), poderia ser brutalmente eviscerado pelo simbolo do mal. Se fosse assim, Qui-Gon tinha se desmaterializado tb. E nao, nao foi erro de continuidade. Uma sabrada laser mutila, rasga em dois e fura pessoas. Evaporar era algo que cabia pra explicar censura e falta de recursos.

    • De longe ele é mais interessante do que o Conde do Cu. Mesmo sem falas. Maul nao foi feito pra falar. So pra executar.

  12. Bom ou não, descobri recentemente o trabalho de um jovem chamado Thiago S. Aranha que compilou diversas coisas do antigo RPG da West End Games com conversões dos RPGs da Wizards. Gerando PDFs bastante completos e úteis. Se você clicarem no meu link para meu perfil do “Bom é Jogar RPG” vão encontrar lá os arquivos.

  13. Eu acho que cada pessoa adquiri sua opinião a partir o genero de filme que gosta,sendo assim,as pessoas que gostam de ficção e admiram o contexto do filme,além dos erros de fala e quaisquer outros,gostam do filme.
    Eu,sinceramente,acho um filme legal,mesmo com suas falhas,mas não posso tentar forçar as pessoas que não gostam à serem fãs.

Deixe sua opinião