“Eu não sei se vou ter que falar tudo de novo” será exibido no CCBB

Curta-metragem de Thassilo Weber e Vitória Fallavena será exibido no Festival Rio LGBTQIA+

27
0

Primeiro filme do duo de diretores Thassilo Weber e Vitória Fallavena, “Eu não sei se vou ter que falar tudo de novo” foi criado a partir de suas próprias experiências e vivências e integra a programação do Festival Rio LGBTQIA+ – Festival Internacional de Cinema, que acontece de 4 a 10 de julho, no CCBB, no Centro, onde terá sua estreia mundial.

O curta-metragem de 14 minutos deixa a conclusão por conta da interpretação do espectador. O roteiro narra a história de Fernando (Raphael Vianna), que encontra sua mãe semanalmente em um café. Nos encontros, ele sempre diz a ela que é gay, mas nesse dia, ele dá um passo além, revelando que vai se casar com Raphael (Matheus Dias). Ana (Angela Rebello), que apresenta sintomas iniciais do processo de Alzheimer, tem dificuldade de lembrar a sexualidade do filho, mas fica a dúvida: será que ela realmente esquece ou simplesmente não quer lembrar?

O curta concorre na Mostra Competitiva de Ficção do Festival, que, em sua 13ª edição, celebra a diversidade e inclusão através de mais de 90 filmes brasileiros e internacionais. Os filmes escolhidos pelo público e pelo júri serão premiados pela Naymovie e pelo CTAv – Centro Técnico Audiovisual. A cerimônia de premiação será no dia 10 de junho, às 19h30, no Instituto Cervantes, em Botafogo.

A ideia do curta, nas palavras da dupla de diretores Thassilo Weber e Vitória Fallavena

“Nosso filme explora as relações humanas e suas subjetividades e complexidades. Nossa ideia surgiu da vontade de fazer um filme intimista e contar uma história delicada, em particular, sobre a relação entre uma mãe e um filho. Começamos nosso processo criativo encontrando uma ideia que ambos precisávamos expressar, a partir de nossas próprias experiências e vivências.

Vitória, como mulher LGBT, teve que contar inúmeras vezes à mãe sobre sua sexualidade, que insistia em ignorar -ou convenientemente esquecer- esse fato, por conta de preconceito. Thassilo tinha uma avó que desaprovava seus gostos e hábitos quando criança. Ele lutou para se conectar verdadeiramente com ela, o que se tornou ainda mais difícil após o diagnóstico de Alzheimer. Ambos sentíamos a necessidade de comunicar quem éramos aos nossos familiares mais próximos, ao mesmo tempo que esperávamos compreensão e aceitação. ‘Eu não sei se vou ter que falar tudo de novo‘ aborda a comunicação e as relações, principalmente com aqueles de quem gostamos. É sobre tudo que está dentro e entre os relacionamentos, os medos, as barreiras geracionais e culturais, expectativas e compreensão familiar. Fala sobre aceitação, cuidado, amor e também amor próprio. Acreditamos no poder do diálogo e da comunicação afetuosa como forma de construir pontes para relações com mais escuta e compreensão, sem que tenhamos que negar a nossa existência”.

Ficha técnica

Direção e roteiro: Thassilo Weber e Vitória Fallavena

Assistente de Direção: Catherine Beranger

Direção de Fotografia: Rodrigo Graciosa

Direção de Arte: Bea Palma

Elenco: Angela Rebello, Raphael Vianna, Matheus Dias, Mariana Cabral, André Mello

Produção: Alina Lyra

Produção Executiva: Joana D’Aguiar

Trilha Sonora Original: Paulo Francisco Paes

Montagem: José Eduardo Lins

Figurino: Clara Diegues

Assessoria de imprensa: BriefCom (Bia Sampaio)

Serviço

“Eu não sei se vou ter que falar tudo de novo”

Direção: Thassilo Weber e Vitória Fallavena

Duração: 14 minutos

Festival Rio LGBTQIA+

Exibição no dia 8 de junho, segunda-feira, às 17h

Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Cinema 1)

Assessoria de imprensa: BriefCom Assessoria de Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *