em

Festival do Rio – Première Brasil: “Os Amigos” se prende a divagações…

E o primeiro concorrente da Première Brasil do Festival do Rio 2013 já começou decepcionando. “Os Amigos”, filme da diretora Lina Chamie, a mesma que em 2007 foi parar no Festival de Cannes com seu “A Via Láctea”, pretende falar sobre os desígnios temporais do afeto. A própria diretora reforçou isso ao apresentar seu longa antes da exibição. Marco Ricca – ótimo – dá vida a Théo, um arquiteto que revê sua vida após a morte de um amigo de infância. Essa revisão o coloca em confronto com sua infância e a relação que estabelece com seu meio. Mantém uma aproximação afetiva com a amiga vivida por Dira Paes, e por consequência, seus filhos. Lina quer falar sobre revisão, mas imbui-se da persona de Terence Mallick e sacraliza metáforas para pontuar seu discurso. A diretora constrói imagens soltas que vão pontuando seu decorrer, como que para ilustrar o implícito. O filme vai se revelando desconexo até como alegoria de um estado de espírito. Apesar de contar com alguns bons diálogos, Os Amigos nada mais é do que um devaneio que não tem fôlego dentro de sua tentativa de dramaturgia.

[xrr rating=2.5/5]

Participe com sua opinião!

Ativista

Publicado por Renan de Andrade

VerificadoEscritorPromotor(a)CinéfiloMusicólogoFanáticos por SériesSuper-fãs

Festival do Rio – Première Brasil: “O Homem das Multidões” e a banalização do silêncio

Festival do Rio 2013 – Só Deus Perdoa