em ,

Festival do Rio: "Love Film Festival" e os bastidores do amor romântico

O último filme concorrente da Premiere Brasil do Festival do Rio 2014 deixou a Mostra mais leve e apaixonante ao falar de tudo o que tem a ver com o próprio festival. Love Film Festival, é primeiro longa da diretora Manuela Dias, que imprime sua personalidade tanto na direção (epísódica de um mesmo relacionamento, co-dirigido por Vinícius Coimbra, Bruno Safadi e Juancho Cardona) quanto no roteiro, ambos de sua autoria.
Tendo quatro países como cenário, o filme acompanha a evolução do encontro entre a brasileira Lúcia (Leandra Leal, intensamente solar) e o colombiano Adrián (Manolo Cardona, ótimo), que se conhecem, em 2009, por causa de um Festival de cinema em Portugal, e vão se reencontrando (e se perdendo) ao longo de seis anos por outros festivais, no Rio de Janeiro, em Cartagena e em Chicago. A produção tem uma pegada bem documental, consonante com a ficcionalidade de sua trama a cerca da construção e desconstrução desse relacionamento, sob a fauna característica que povoa esses festivais.

love-filme-festival-2-770x406

Manuela, e seus diretores colaboradores, fazem um filme despretensioso no intuito de radiografar as humanidades que compõem a paixão e o que resulta disso depois do tempo e da distância. A fotografia intimista é uma denotação disso. Os elementos pertinentes estão todos ali: Love (o amor imperfeito e avassalador do casal), Film (o relacionamento ser permeado por seus ofícios cinematográficos) e Festival (a ambientação trazendo um arrojamento desses eventos à aparente previsibilidade do gênero). O roteiro sabe que romances parecem clamar por clichês, e por isso, desvencilha-se dessas armadilhas, investindo numa (boa) composição de seus personagens. Até a personagem de Nanda Costa, que entra no meio da história, claro, como um vértice do triângulo amoroso que se inicia, está ali para enriquecer a trajetória afetiva do casal, de maneira simples e inteligente.
A fotografia de Pablo Baião busca texturas e luzes dramáticas que personalizam as etapas dessa jornada emocional à dois. E demonstra que Manuela é uma diretora que pensa seu trabalho de forma bem azeitada. Love Film Festival é uma trajetória sobre o amor, mas como seu título bem anuncia, transita bem entre a busca pela propriedade como sentimento, sem perder de vista sua legitimidade como cinema.

Participe com sua opinião!