em , ,

Kursk, resenha do filme novo de Thomas Vinterberg

Kursk traz para o cinema a história trágica do acidente com um submarino russo que mobilizou o mundo em 2000

Neste episódio de Impertinências da Raquel, faço a resenha de Kursk, longa mais recente do diretor dinamarquês Thomas Vinterberg.

Kursk relata a história real de um acidente que aconteceu no ano 2000 com um dos submarinos russos durante uma missão de teste de armamentos, embarcações e torpedos. Ao longo de 7 dias 23 homens que sobreviveram às explosões que ocorreram devido ao mal funcionamento de um dos torpedos esperam serem socorridos.

Thomas Vinterberg consegue criar um ambiente de constante tensão, e ainda desenvolver seus personagens com caráter bastante humano e sensível, porém, sucumbe aos trejeitos e mecanismos das grandes narrativas hollywoodianas no processo.

Kursk é um filme bem sucedido naquilo que se propõe e trata de uma história importante de nossa história recente. Mas, para quem conhece e aprecia o trabalho do diretor, que vem se afastando cada vez mais de seu manifesto utópico Dogma 95, criado juntamente com Lars Von Trier, acho que acaba deixando a desejar…

Publicado por Raquel Gandra

Raquel é uma menina de muitos interesses. Dessas de olhos grandes e pés flutuantes. Na vida burocrática do dia a dia, trabalha com edição de vídeo e fotografia. Seu sonho é conhecer todas as pessoas divertidas do mundo e aprender um pouco com cada uma delas em paisagens diferentes como panos de fundo. E também fazer filmes que encham as pessoas de calor ou confusão interna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *