em

Meu Malvado Favorito – Um doce maléfico

Imaginem um mundo em que ser um supervilão é nada mais corriqueiro do que ser um empresário. Agora, imaginem que nesse mundo exista um vilão das antigas que se vê ultrapassado por um rival mais novo e mais estúpido – no sentido nerd idiota da palavra. Alguma coisa deve ser feita, alguma maldade enorme, algo para ser lembrado para sempre, como, por exemplo, roubar a Lua!

Esta é basicamente a ótica adotada para a criação do caráter de Gru, nosso vilão principal. Gru vive em sua casa assustadora, com seu carro assustador, jeito assustador – mas comedido – e seu exército de servos. Sua vida é simples, cometendo algumas maldades aqui e ali, mas já não tendo aquela fome pela destruição em massa. Até que um novo vilão, Vetor, surge e rouba uma das pirâmides do Egito. Agora, por questão de honra, Gru terá de fazer algo ainda maior, só que para isso ele vai precisar de um empréstimo no Banco do Mal.

Porém, o empréstimo só irá sair se Gru conseguir um tal raio encolhedor, que ele não tem. E é aí que entram nossas pequenas e adoráveis orfãs Margo, Agnes e Edith. Para invadir a fortaleza de Vector, que roubou o raio encolhedor de Gru, ele adota as três meninas e as usa para seus planos. Porém, a bondade das três acaba cativando Gru de tal forma que seu coração começa a amolecer.

Esta fantasia dirigida por Pierre Coffin e Chris Renaud para a Dreamworks tem tudo para satisfazer os fãs de animação, pois mesmo você lendo toda essa sinopse que eu escrevi ali em cima, ainda assim vai ver que meras palavras não podem explicar algumas das cenas do filme. O trio de meninas é basicamente uma analogia ao raciocínio lógico, ao instinto e a inocência. Cada uma das três representa isso bem claramente e é esta combinação que irá fazer o espectador adorar esse desenho.

Agnes, a mais nova, é uma gracinha, perfeitamente criada para ser adorável em todos os sentidos e faz o espectador sentir isso a cada vez que ela entra em cena. Gru é uma espécie de bonachão, às vezes sendo altivo, outras sendo um completo fracasso perante seus servos/súditos. Estes, por sua vez, irão fazer todas as grandes piadas do filme, especialmente com sua linguagem estranha, misturando grunhidos com palavras desconexas e ações totalmente erráticas , criando até um certo constrangimento.

Para os adultos que forem assistir o filme, este ainda vale a pena, pois em diversos momentos as piadas são feitas para os eles, especialmente as de humor negro envolvendo Gru e seu cachorro. Algumas piadas dos servos de Gru também são assim, e uma nota em especial vale para a capa do filme que está lá no começo. Repararam algo de diferente nela? Talvez um ar meio Hitchcockano?

Alfred Hitchcok era famoso por seus filmes de suspense, e ao que parece, a equipe de Meu Malvado Favorito fez uma homenagem ao diretor, querendo ou não, com a capa do filme, mostrando apenas a silhueta de Gru. Essa mesma imagem pode ser vista no final do trailer da animação. É só uma tiradinha para os fãs de cinema ficarem com água na boca. Há ainda uma pequena série de homenagens a outros filmes escondidos nos cenários, especialmente na casa de Gru e na roupa de uma das meninas, mas ficar se prendendo a isso é perder alguns grandes momentos de diversão, que irão soar parecidos com outros filmes, porém, de uma forma renovada.

3 opinaram!

Deixe sua opinião!

Deixe sua opinião