em

Mostra “20 Anos de Takashi Miike” no CCBB SP/RJ

A maioria dos diretores de cinema conhecidos internacionalmente cresceu querendo estudar alguma das artes, história, arquitetura ou até filosofia. Takashi Miike era um entusiasta de motocicletas, queria ser piloto de corridas e entrou na faculdade de cinema de Yokohama (dirigida pelo cineasta Shohei Imamura), pelo simples fato de não existir teste de admissão. Como diz o bom texto de apresentação da mostra, Miike, sem querer, começou a dirigir filmes direto para video (em VHS, a partir de 1991) que nada mais eram do que filmes de ação focados na máfia japonêsa – a Yakuza – mas que sempre tinham um toque todo particular do diretor.

20 anos depois de seu filme de estréia, Toppuu! Minipato tai, Miike tem uma obra absurdamente prolífica – mais de 70 filmes e vários trabalhos para a televisão – e um público fiel ao redor do globo, entre eles cineastas como Quentin Tarantino e Guillermo del Toro. Seu visual arrojado, o senso de humor incomum sempre presente e a vontade de contar histórias que nem sempre tomam o caminho esperado são sua marca registrada, além do uso exagerado de sangue e membros decepados, quando ele bem achar necessário. E essa filmografia passeia por todos os gêneros imagináveis. Thrillers sobre a Yakuza, filmes infantis, histórias de samurais, musicais, comédias dramáticas, lendas do folclore japonês, comédias bobas, adaptações de mangás/animes, horror/gore e até westerns. A influência dos mangás, aliás, tanto na composição de cenas quanto na atmosfera de seus filmes é bem perceptível.

É claro que ninguém consegue ser tão prolífico e manter sua obra intacta. Apesar de deixar uma marca pessoal forte em cada projeto, Miike é um diretor contratado, raramente escreve os roteiros que dirige e parece nunca recusar trabalho, o que resulta em alguns filmes esquecíveis, feitos de maneira rápida e barata (como o diretor gosta de trabalhar) para consumo do mercado interno. Essa maneira rápida e barata também leva a um ponto que pode fazer o espectador brasileiro torcer um pouco o nariz. Seus efeitos especiais não são nada de última geração, mas isso é mais uma característica do mercado cinematográfico japonês do que escolha do diretor. Passado esse estranhamento, principalmente em seus filmes dos anos 90 e início de 00, é só entrar no clima e ver qual a loucura da vez.

É por isso que, por um lado, é muito feliz a decisão da Tokyo Filmes em trazer “apenas” 20 filmes do diretor e criar uma introdução ao trabalho de Miike com filmes selecionados, mostrando um pouco de cada faceta do diretor. Por outro lado, ficamos sem ver na tela grande obras bastante interessantes como o hermético Gozu, o maluco Full Metal Yakuza, Blues Harp, Visitor Q e sua elogiada adapatação para os cinemas do mangá infantil de comédia Nintama Rantarô.

Dentre os 20 filmes selecionados para a mostra, com cópias em 35mm, que estão em exibição em São Paulo desde o dia 17 de agosto e chegam ao Rio de Janeiro no dia 30 de agosto, o Ambrosia comenta os maiores destaques.

Dead or Alive é o filme que, junto com sanguinolento Audition (ambos de 1999), apresentou Miike para os fãs de filmes violentos do mundo todo, uma boa parte de sua base de admiradores. Apesar de ser mais uma história sobre a Yakuza em sua filmografia, DOA tem um dos inícios mais alucinados que já vi no cinema. A história de um policial que tenta impedir uma gangue de chineses que quer tomar conta do bairro de Shunjuku, em Toquio, não é tão energética quanto seus primeiros 10 minutos podem dar a impressão, mas tem um dos finais mais bizarros possíveis. Boa diversão.

The Bird People in China, de 1998, é um filme bastante incomum na filmografia de Miike. Um belíssimo road-movie cômico com tons dramáticos que une o funcionário de uma joalheria japonesa (Masahiro Motoki, estrela do recente A Partida, Oscar de Melhor Filme Estrangeiro) de e um mafioso que está na sua cola para cobrar uma dívida de seus patrões (o frequente colaborador Renji Ishibasi) numa viagem até os confins da China, em busca de um vilarejo afastado de tudo onde se encontra uma possível mina de jade. Depois da exaustiva viagem, conhecem no vilarejo uma garota que tenta passar a diante os ensinamentos de seu avô sobre como voar, motivo de piada na região. Um dos melhores filmes asiáticos dos anos 90.

Ichi The Killer talvez seja o seu filme mais famoso. Lançado em 2001 e baseado no mangá homônimo, Miike traz o melhor de suas histórias de Yakuza e o melhor de seus filmes de horror com muito sangue para contar a história de uma gangue que, de tão brutal, gera a ira dos chefões da máfia. É quando o psicopata Kakihara (o excelente Tadanobu Asano) procura os serviços do pertubador assassino Ichi.

Sukiyaki Western Django tem um pouco de Tarantino na sua alma. Além de uma ponta do diretor norte-americano, fã assumido de Miike, esse Western parece um sonho concretizado de Quentin. Uma história típica do velho oeste que se passa num japão de samurais, misturando armas de fogo com espadas e, pra variar, um pouco de yakuza. Fazendo referências a inúmeros filmes, mas principalmente ao italiano Django, de Sergio Corbucci, o filme tem uma boa história e um excelente visual, mas a decisão de fazer os atores japoneses falarem seus diálogos em inglês matou qualquer chance de boas atuações na tela. Diversão passageira que não chega a ser ruim, mas não passa de uma curiosidade. Na mostra, será exibida a versão japonesa com 121 minutos, ao contrário da versão de 98 minutos que chegou ao ocidente – e está na programação da TV paga brasileira.

13 Assassins, de 2010, é a refilmagem de um clássico nipônico de 1963 dirigido por Eiichi Kudo. A história se passa em tempos de paz num Japão que parece não mais precisar de samurais. Mas quando um dos lordes da corte do shogun se mostra um sádico psicopata, matando quem bem entender pela frente, um antigo samurai (o ótimo Koji Yakusho) é encarregado de reunir um bando de samurais para uma emboscada contra o lorde. Apesar de ser um dos filmes mais tradicionais e menos violentos de sua filmografia, sendo laureado em vários festivais de cinema, 13 Assassins termina com uma sequência de 45 de luta de espadas. Um dos filmes mais recomendados da mostra.

Por último e, talvez, o grande destaque, seja a exibição em 3D do mais recente trabalho do diretor, o filme Ichimei (refilmagem do clássico de Masaki Kobayashi, lançado internacionalmente como Hara-Kiri: Death of a Samurai), que teve sua grande estreia no Festival de Cannes, onde dividiu as opiniões de público e crítica.

SÃO PAULO

Programação completa
17 a 28 DE AGOSTO

Quarta, 17 de agosto.
15h - The Happiness of the Katakuris - 113min - 35mm - 16 anos
17h30 - Young Thugs: Nostalgia - 94min - 35mm - 16 anos
19h30 - Audition - 115min - 35mm - 18 anos

Quinta, 18 de agosto.
15h - Izo - 128min - 35mm -18 anos
17h30 - Fudoh: The New Generation - 98min - 35mm - 18 anos
19h30 - The Bird People in China - 118min - 35mm - 14 anos

Sexta, 19 de agosto.
15h - The City of Lost Souls - 103min - 35mm -16 anos
17h30 - Imprint - 63min - Beta - 18 anos
19h30 - Ichi The Killer - 129min - 35mm -18 anos

Sábado, 20 de agosto.
13h - Young Thugs: Nostalgia - 94min - 35mm - 16 anos
15h - The Happiness of the Katakuris - 113min - 35mm - 16 anos
17h30 - 13 assassins - 120min - 35mm -16 anos
20h - Big Bang Love, Juvenile A - 85min - 35mm - 16 anos

Domingo, 21 de agosto.
13h - Fudoh: The New Generation -98min - 35mm - 18 anos
15h - The Bird People in China - 118min - 35mm - 14 anos
17h30 - The City of Lost Souls - 103min - 35mm -16 anos
19h30 - Imprint - 63min - Beta - 18 anos

Quarta, 24 de agosto.
15h - The Great Yokai War - 124min - 35mm - 12 anos
17h30 - Shinjuku Triad Society - 100min - 35mm - 18 anos
19h30 - Ichi The Killer - 129min - 35mm -18 anos

Quinta, 25 de agosto.
14h30 - Agitator - 150min - 35mm - 18 anos
17h30 - Rainy Dog - 95min - 35mm - 16 anos
19h30 - Dead or Alive - 105min - 35mm - 18 anos

Sexta, 26 de agosto.
15h - Shangri-la - 105min - 35mm - 14 anos
17h30 - Ley Lines - 105min - 35mm - 18 anos
19h30 - Sukiyaki Western Django - 120min - 35mm - 18 anos

Sábado, 27 de agosto.
12h30 - Izo - 128min - 35mm -18 anos
15h - 13 assassins - 120min - 35mm -16 anos
17h30 - Sukiyaki Western Django - 120min - 35mm - 18 anos
20h -  Ichimei - 126min - 3D - 16 anos (sessão com debate ao vivo via skype com Takashi Miike)

Domingo, 28 de agosto.
17h - Audition - 115min - 35mm - 18 anos
19h30 - Big Bang Love, Juvenile A - 85min - 35mm - 16 anos

RIO DE JANEIRO

Programação completa
30 DE AGOSTO a 11 DE SETEMBRO

Terça, 30 de agosto.
15h - The Happiness of the Katakuris - 113min - 35mm - 16 anos
17h - Young Thugs: Nostalgia - 94min - 35mm - 16 anos
19h - Ichi The Killer - 129min - 35mm - 18 anos

Quarta, 31 de agosto.
14h30 - Izo - 128min - 35mm -18 anos
17h - Fudoh: The New Generation - 98min - 35mm - 18 anos
19h - The Bird People in China - 118min - 35mm - 14 anos

Quinta, 01 de setembro.
15h - The City of Lost Souls - 103min - 35mm -16 anos
17h - Big Bang Love, Juvenile A - 85min - 35mm - 16 anos
19h - 13 assassins - 120min - 35mm -16 anos

Sexta, 02 de setembro.
15h - Fudoh: The New Generation -98min - 35mm - 18 anos
17h - Shangri-la - 105min - 35mm - 14 anos
19h - Audition - 115min - 35mm - 18 anos

Sábado, 03 de setembro.
15h - Sukiyaki Western Django - 120min - 35mm - 18 anos
17h - Imprint - 63min - Beta - 18 anos
19h - Dead or Alive - 105min - 35mm - 18 anos

Domingo, 04 de setembro.
16h30 - The Great Yokai War - 124min - 35mm - 12 anos
19h - Nostalgia - 94min - 35mm - 16 anos
Terça, 06 de setembro.
14h - Agitator - 150min - 35mm - 18 anos
17h - Shinjuku Triad Society - 100min - 35mm - 18 anos
19h - Audition - 115min - 35mm - 18 anos

Quarta, 07 de setembro.
15h - Big Bang Love, Juvenile A - 85min - 35mm - 16 anos
17h - Rainy Dog - 95min - 35mm - 16 anos
19h - Ichi The Killer - 129min - 35mm - 18 anos

Quinta, 08 de setembro.
13h - The City of Lost Souls - 103min - 35mm -16 anos
15h - Imprint - 63min - Beta - 18 anos
17h - Ley Lines - 105min - 35mm - 18 anos
20h -  Ichimei - 126min - 3D - 16 anos (sessão com debate ao vivo, curadoria e crítico)

Sexta, 09 de setembro.
14h30 - Izo - 128min - 35mm - 18 anos
17h - The Bird People in China - 118min - 35mm - 14 anos
19h - 13 assassins - 120min - 35mm -16 anos

Sábado, 10 de setembro.
14h - The Happiness of the Katakuris - 113min - 35mm - 16 anos
20h - Sukiyaki Western Django - 120min - 35mm - 18 anos

Domingo, 11 de setembro.
14h - Dead or Alive - 105min - 35mm - 18 anos
18h - The Great Yokai War - 124min - 35mm - 12 anos

alguém opinou!

Deixe sua opinião!

Participe com sua opinião!

Navegante

Publicado por Henrique Amud

Bunsen

Professora Sem Classe