em

Plano B – Todas deveríamos ter um!

A maioria das mulheres tem um senso maternal, mesmo aquelas que juram de pé juntos que nunca terão filhos. Não adianta. Está gravado no nosso DNA. Toda mulher tem tendências maternais e isso é praticado desde criança, brincando de boneca e casinha. Dessa forma aprendemos a cuidar de bêbes (mesmo que ele seja de plástico!) e como se cuida de uma casa, cozinhar, passar, lavar… tudo parte do faz de conta claro.

O problema chega com a idade. Sim, porque diferente dos homens, nós temos um relógio biólogico que começa a bater mais rápido a cada aniversário. Esse tal relógio anuncia que a hora de ser mãe está chegando perto do fim. Já que passando dos 30 anos, a possibilidade de engravidar se torna mais difícil e a probabilidade de gerar uma criança saudável só diminui.
Plano B - Todas deveríamos ter um! | Filmes | Revista Ambrosia

Deixando a ciência de lado um pouco, vamos falar na prática! Para se gerar um filho é preciso do que? Um homem e uma mulher, certo? Nem sempre.

E é isso que Zoe (Jennifer Lopez) uma mulher madura que simplesmente cansou de esperar pelo sonho perfeito de namorar, casar e ter filhos faz. Ela decide então pular as duas primeiras etapas e vai direto para a terceira. Zoe recorre a um banco de espermas e opta pela inseminação artificial. Sua amiga meio maluca e mãe de 4 filhos, tenta faze-la desistir da idéia, mas seus esforços são totalmente em vão. Ela escolhe um doador ruivo e tem seus espermatozóides implantando em seu óvulo. Alguns minutos de pernas para cima e prontinho, pode ir para casa.

Zoe estava radiante. Assim que sai do consultório cai uma chuvarada daquelas e ela pula num táxi, mas outra pessoa entra também. Os dois discutem e ela sai do táxi, o homem vai atrás dela e após algumas palavras ela o deixa falando sozinho. Mas, ele fica encantado.

Vamos pular a parte que coincidências clichês acontecem e ele a convida para sair.

Plano B - Todas deveríamos ter um! | Filmes | Revista Ambrosia

Zoe está totalmente confusa pois não sabe se a inseminação deu certo, e se funcionou como é que ela vai contar pra ele?

O cara em questão é Stan (Alex O’Loughlin), um estudante de economia que tem uma fazenda e produz seus próprios queijos. Na noite que os dois saem para jantar, ela decide fazer o teste, mas seu cachorro engole justamente a parte importante e ela sai as cegas para o encontro. Quando volta, o cachorro regurgitou tudo e lá está o pedaço que continha o resultado: positivo.

Pronto e agora? Stan acabou de convida-la para conhecer sua fazenda, como é que ela vai fazer? Em meio a uma cena caliente no galpão de queijos, Zoe cria coragem para contar, se levanta e…. sai correndo, enfia a cabeça na pia e vomita. Stan não entende nada. Ainda recuperando o fôlego e limpando o suor ela fala toda a verdade. Stan fica completamente aturdido. Como é possível que ela esteja grávida? Não tem uma ordem essas coisas? Namorar, noivar, casar…

A noite passa e determinada a ir embora, Zoe sai de fininho pela manhã, mas ele ouve o barulho do carro e vai atrás dela.

Plano B é feito especialmente para as mulheres que estão naquele momento que descrevi lá no início e mostra que nem sempre o tal sonho perfeito serve para todo mundo, ou que seja necessário seguir a ordem exata das coisas para que tudo aconteça. Afinal, nos dias de hoje, a ordem de namorar, casar e ter filhos não é respeitada tem tempos. Há quem case e não tenha filhos. Há quem namore e não case. E por aí vai.

O filme tem ótimas cenas de comédia, destaco aqui o entrosamento de Jennifer Lopez com seu cachorro Nutsy e quando ela vai ao tal grupo de apoio.

Plano B - Todas deveríamos ter um! | Filmes | Revista Ambrosia

A química entre os dois atores é muito tranquila, e o elenco pequeno ajuda a manter o ritmo da comédia. E por ter passado pela situação de engravidar de gêmeos, ela consegue tirar de letra em nos mostrar o desconforto que realmente deve ser.

Concordo que a Jennifer Lopez não é boa atriz, mas eu gosto de todas as tentativas dela. Até mesmo quando tenta ser cantora.  Neste filme ela conseguiu mostrar um lado mais cômico que é diferente de todos os outros papéis que já fez. É um filme de comédia romântica, pura água com açúcar, um prato cheio para qualquer pessoa que curta o gênero ou mesmo queira assistir um filme descomplicado só para alegrar o dia.

Aos homens um lembrete: algumas coisas ditas e cenas mostradas talvez sejam um pouco forte demais para vocês. Abracem suas namoradas.

Já fica a dica para um programa de Dia dos Namorados.

Melissa.

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Melissa Andrade