em

Resenha: Mario Sports Mix

Plataforma: Nintendo Wii
Gênero: Esportes
Selo: Nintendo
Desenvolvedora: Square-Enix
Lançamento: 10 de Fevereiro de 2010

Um ano novo, e mais um título de esportes do Mario, desta vez desenvolvido pela Square-Enix, que vem mostrando todos os dias que sabe fazer outras coisas além de RPGs.  Do contrário da maioria dos títulos dessa linha,  Mario Sports Mix seguiu a inteligente idéia de cobrir quatro modalidades esportivas diferentes para alcançar um público maior e apresentar uma experiência mais variada.

Ou seja, quatro esportes completos na veia de Mario Tennis, pelo custo de apenas um! E é exatamente isso que você está recebendo. Esta não é uma coletânea de mini-jogos, embora haja também alguns desses incluídos no pacote, são versões totalmente completas do universo Mario destes esportes mundialmente reconhecidos, cada uma com três torneios, vários níveis de dificuldade e uma seleção de seus personagens favoritos.

A razão pela qual você está recebendo uma série de modalidades em um único jogo é por que, individualmente, eles não iriam embalar como um grande hit. Afinal, quem compraria um jogo de queimado pós-Kunio-kun? Onde está o apelo para o mercado de massas de um título de voleibol sem peitos e gostosas do Dead or Alive? Mesmo o basquete e o hóquei não são tão populares entre o público como eram há algum tempo, uma lição que a EA Sports e 2K aprenderam da maneira mais dura.

Sabe, às vezes, é reconfortante quando você sabe exatamente o que esperar de um videogame. Mario Sports Mix possui todos os torneios tradicionais: Mushroom, Flower e Star, repletos de itens aleatórios, quadras que não fazem absolutamente nenhum sentido (basquete em uma praia ou hóquei no gramado do castelo da Princesa Peach). Personagens da Nintendo com habilidades superficialmente diferentes e movimentos especiais…  Também marca presença a Square Enix, na forma de personagens desbloqueáveis como Moogle e Cactaur, que você pode ignorar, se não tiver dispostos a zerar as diversas modalidades para destravá-lo.

Jogabilidade

Os quatro esportes que aparecem neste jogo são: Basquete, Queimado, Vôlei e Hóquei. Todos eles feitos de forma muito acessível principalmente devido a sua natureza pick-up-and-play, são rápidos para aprender, mas também são todos  fáceis de dominar. Essa facilidade de acesso é muito bem-vinda, tudo é aprendido rapidamente, e os  controles passam uma sensação natural, a tal ponto que dentro de pouco tempo você estará descobrindo os efeitos de combinações de botão que não sabia até então. Usando o padrão Wii Remote e Nunchuk, arremessar a bola/bater/salvar a bola e outros comandos principais são atribuído a um waggle insolente, os demais botões são quase fixos para todos os esportes, tornando este game bem mais preciso que o Wii Sports.

A dificuldade é onde Mario Sports Mix perde a bola. O AI é ridiculamente pobre e completamente previsível, desde o primeiro torneio até o último na dificuldade normal, os adversários não oferecem resistência nenhuma, confiando nos mesmos métodos experimentados e testados em todas as partidas. No basquete, por exemplo, até o terceiro torneio, a equipe adversária não apresentou quase qualquer desafio, e  mesmo assim obtive uma vitória clara. As coisas até ficam mais interessantes quando os obstáculos ambientais são colocados em seu caminho, gols de hóquei bloqueados por cones que devem ser removidos do jogo por um tiro bem colocado,  para só depois, com uma tacada rápida mandar a moeda para o fundo da  rede, outro exemplo são redes intermitentemente levantando e abaixando no voleibol para mantê-lo atento. Estes  desafios acabam por adicionar uma grande quantidade de variação que não é normalmente encontrada no jogo médio de esportes – e que faz parte do  charme da Nintendo.


Esta questão é, naturalmente, contornada quando você tira o AI da jogada. Um jogo como esse pede para ser jogado em modo multiplayer, seja ele local ou online. É só quando você está  contra um adversário humano que suas habilidades são realmente testadas. Mario Sports Mix é um jogo bastante equilibrado e dois times de jogadores humanos são capazes de criar um partida muito mais tensa e uma experiência muito mais agradável.

O hóquei é uma das melhores modalidades, principalmente porque é quase tão rápido e violento como o esporte real. Jogando em equipas de dois ou três, o objetivo é simples – bater no disco em forma de moeda tentando vencer o goleiro Shy Guy e mandá-la ao gol com tanta força quanto possível.

Você pode carregar a sua tacada para tiros poderosos ou contar com a velocidade e a precisão, mas você não tem que pensar em nada muito difícil. Apesar do potencial de se fintar, esquivar-se e usar combos, você pode se sair muito bem apenas pressionando A para passar, dando o disco para alguém mais livre do seu time tentar a batida. Se você entrar em uma luta sobre o disco, você tem que sacudir o wiimote vigorosamente de forma mais rápida que o adversário.

O Basquetebol também é muito bem feito. É uma versão diminuída do último jogo do Mario da Square-Enix, Mario Hoops 3-on-3 para o Nintendo DS. Os controles são similares ao hóquei – O A passa ou rouba a bola, balance o wiimote para arremessar – mas o timimg é muito mais importante, especialmente na zona de três pontos. É também um jogo muito mais interessante na defesa, obrigando-lhe a proteger a sua cesta de enterradas e arremessos de longo alcance. Existe a possibilidade de fazer Lay-ups, rodeios e combo alley-oops , o que o torna o esporte mais complexo da seleção, mas, como no hóquei você pode contar com o básico.

Vôlei e Queimado são os mais fracos. Uma bolada não envia um jogador imediatamente para o fundo – em vez disso, todos tem uma barra de energia que vai se gastando, o que remove toda a tensão e a alta velocidade do jogo. A bola sobe através do ar em um ritmo tão vagaroso quando jogado que é realmente muito difícil obter sucesso no seu arremesso. O voleibol é lento demais – dois sets de 15 pontos demora séculos para ser concluído, mas é o único dos quatro esportes onde o AI parece capaz de enganá-lo, tornando-o o jogo mais difícil da seleção (o que não quer dizer que seja realmente difícil).

Existem alguns elementos aleatórios comuns a todos os quatro. Coletando moedas você acrescenta pontos à sua pontuação, algo capaz de mudar muito o ritmo da partida se você deixar o outro time ganhar uma fortuna em moedas, em geral um elemento interessante. Caixas  de item no chão da quadra da uma munição aos jogadores de cascas de banana, cogumelos e outros itens básicos de Mario, mas eles são misericordiosamente pouco freqüentes.

As diversas quadras estão cheias de truques e variações que vão desde o bonito até o monstruosamente irritante. Na mansão do Luigi, por exemplo, as luzes são apagadas a cada minuto, o que traz uma dupla de fantasmas para atrapalhar o jogo, uma quadra de hóquei em um autódromo coloca cones na frente do gol em vez de um goleiro, e etc…

Vôlei confia pesadamente em balançar o controle do Wii – é assim que você executa literalmente todos os movimentos -, mas os outros três esportes têm o equilíbrio certo de ações de botão e movimento. Mexendo o wiimote para baixo para enterrar uma bola de basquete ou sacudindo-a para dar uma porrada-bloqueio.

Vale mencionar também existe um Party Mode, que são mini-games bem diferentes e divertidos, que valem ser experimentados em grupo. Desde uma mistura de caixinha de música com Vôlei, até sobreviver a uma arena cheia de bombas. Estes minis são uma excelente quebra no gameplay tradicional do jogo e oferecem uma experiência que remete muito ao Mario Party, mas são apresentados aqui de forma mais elaborada.

Apresentação e Conclusões Finais

Os gráficos do jogo são simples, e lembram os demais esportes do Mario. As texturas são limpas e  brilhantes, animações são bem feitas e os cenários adoráveis. Apesar de ser musicalmente um pouco sem inspiração, há algumas interpretações decentes das obras do Mario. Vale mencionar, algumas músicas clássicas aparecem aqui em versão Punk Rock, algo verdadeiramente engraçado.

Apesar da Square-Enix ter percebido que nenhum desses esportes poderia sustentar todo um Título do Mario, ela soube aproveitar bem as características de cada um e os fez simples, rápidos e divertidos. Fora os problemas do AI ridiculamente ruim e ritmo lento do torneio, é o multiplayer o que realmente justifica a sua existência. Com quatro pessoas, no modo dois contra dois, o basquetebol e o hóquei são tão bons como qualquer outro esporte desde Mario Tennis ou Strikers. E se você for uma pessoa sozinha, também não se preocupe que as opções de conexão via internet também funcionam muito bem.

Os jogos de Mario Sports Mix, individualmente talvez não estejam completamente dentro  do padrão que você esperaria para esportes do Mario, mas certamente ele não prejudica a reputação da série. Como um pacote inteiro, o jogo certamente compensa e apresenta mais uma fantástica opção de diversão com os amigos no Wii.

Apresentação: 3.5/5
Design de Fases: 3.5/5
Jogabilidade: 3.5/5
Fator Replay: 4/5
[xrr rating=3.6/5]

2 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Avaliação boa do jogo, especialmente com relação ao basquete. Mas não concordo que o vôlei é o esporte mais difícil, muito pelo contrário. E quando você pega a manha, as partidas ficam bem mais rápidas. E no dodgeball, sinceramente, é muito fácil pontuar. Não acho que a bola é tão lenta no ar, e se você usar as técnicas de arremessar pulando e carregar o golpe da bola forte, o adversário nunca vai escapar.

  2. Eu já zerei as quatro modalidades, só falto os minigames. Se alguém conseguir, por favor, me diz como é que faz, porque eu tô louco de vontade de zerar esse jogo.

Participe com sua opinião!

Street Fighter

Publicado por Felipe Velloso

ColecionadorGibizeiroRepórterSuper-fãs

Bitscópio: International Superstar Soccer Deluxe

Antes do Oscar, o Cinema Brasileiro precisa de auto-estima