em ,

Topscore: as mais engraçadas músicas dos games

Bem vindos a mais um Topscore, um top 10 que não se leva a sério e que você também não deveria levar! Desta vez decidimos nos focar nas mais engraçadas músicas dos games, e é importante frisar, eu disse ENGRAÇADAS e não MELHORES, portanto não queremos ouvir mimimi do porquê Ocarina of Time não está aqui ou choro semelhante.

10 – Samba de Janeiro (Sega Allstar Racing: PS3, Xbox 360, Wii)

Nosso décimo colocado definitivamente não se trata de uma boa música. Nunca gostei muito o joguinho do Samba de Amigo, sempre me incomodou muito esse estereótipo de que todo mundo embaixo da fronteira dos Estados Unidos é igual (por exemplo, o próprio protagonista Amigo, macaquinho supostamente sambista e carioca, mas que usa duas maracas e um sombreiro). Então sempre ignorei completamente esta série (até porque ignorei completamente o Dreamcast, como quase o mundo inteiro).

Entretanto, tentando oferecer uma experiência similar aquela de Mario Kart para os consoles em HD, a Sega lançou a sua cópiazinha com seus personagens (sempre achei idiota a idéia de o Sonic usar um carro de corrida) e entre eles estava o macaco Amigo. A pista deste personagem se chama cidade do carnaval, nada se assemelha a qualquer paisagem brasileira, parecendo na verdade uma cidade mexicana com Cactus dançantes com maracas!!! Sério! Fora trechos em arco-íris com uma cabeça gigante do tal macaco mexendo as maracas (para que tanta maraca????). Mas o que isso tem haver com esse Topscore? Bem, a música é uma das coisas mais sem sentido que eu já ouvi. Ela se chama “Samba de Janeiro” e é cantada em português, a letra além de ficar repetindo o título o tempo todo ainda gosta de combiná-lo com trechos meio axé dizendo “encima, encima, encima. Embaixo, embaixo, embaixo”. Sério, esta música é tão estranha e desconcertante, e a pista tão bizarra e não brasileira (ainda que a música seja) que só pode te levar inevitavelmente ao riso ou ao choro. Ok… essa aqui é mais bizarra que engraçada, mas também, o que vocês esperavam do décimo lugar?

9 – Rusty Anchor (Grim Fandango: PC)

Que jogaço era este point-and-click do final dos anos 90, sua posição entre os melhores games já produzidos dificilmente é contestada. Situado em um mundo de Dia de los Muertos mexicano, Grim Fandango está sempre recheado de um humor bem ácido para a época. Apesar das dezenas de belas peças musicais, ficamos com esta mais bobinha e engraçada, onde o bêbado e viciado em apostas, Glotti, entretém Manny Cavalera com seu piano.

8 – Always (Robot Unicorn Attack: PC/Mac)

Essa é engraçada pelo contexto. Vocês já jogaram este bizarro jogo em flash? Não?  Pois joguem e aí me digam se esta música meio brega/ultra-romântica/pop sendo tocada enquanto um robô unicórnio é decapitado não é engraçado? Não? Bem é o meu Topscore e não importa que eu tenha probleminhas ao achar engraçado o unicórnio robô colorido morrer com som de música brega ao fundo.

7 – Sailor Song (Black and White: PC)

Black and White era muito legal porque alimentava o nosso ego deixando agente jogar como um deus de verdade. E olha, até que eu era um deus muito razoável que quase não maltratava os adoradores. Estes marinheiro não me mereciam, os caras queriam fugir do seu domínio indo navegar para longe, até aí, tudo bem, eles até poderiam fazer isso sem eu levar a justiça divina a estes infiéis marinheiros. No entanto, além de traidores do único Deus verdadeiro os caras ainda eram preguiçosos e queriam que eu, o poderoso senhor de todas as coisas vivas e mortas, os ajudasse a recolher madeira para o seu navio.

Tomado pelo amor de um pai caridoso, e como a música que eles cantavam era engraçadinha, eu decidi ajudá-los a ir embora. Não contava que isto iria deixá-los ainda mais preguiçosos, já que uma vez construído o barco, os infiéis queriam agora que eu lhes trouxesse comida. Como deus que se preze não é bobo duas vezes, sem pestanejar eu peguei cada um deles e os lancei feito pedrinhas de quicar no oceano. Basta dizer que a força foi tamanha que no último quique só havia restado um esqueleto. Mas a música até que era meio cachty, me forçando a cantarolá-la até hoje.

6 – A Zerg, a shotgun and you (Starcraft 2: PC/Mac)

A jukebox do demo localizada na cantina da nave de Jim Raynor possuía muitas pérolas do nosso mundo, esta não é uma delas. A canção, um country satírico que envolve o universo do próprio jogo, era uma das mais divertidas e inusitadas de se ouvir, e confesso, ganharia meu voto só pelo título, mas a letra também é muito boa.

5 – Klogg is Dead (Skullmonkeys: PSone)

Eu “fui” um fanboy da Nintendo durante minha infância e adolescência, portanto, estava normalmente ocupado demais jogando Ocarina of Time para dar atenção aos jogos do Playstation original. Obviamente haviam dezenas de grandes jogos no console da Sony e Skullmonkeys era um desses digno de atenção, um game todo produzido a partir de animações em stopmotion. Era o mais perto que poderíamos chegar de ter um jogo do Estranho Mundo de Jack na época (junto com Clayfighter) e as músicas eram sempre excelentes, como esta aqui, que aparecia quando você derrotava o chefão!

4 – Death’s Song (DiscWorld II: PC)

Eu só vim a jogar este jogo muitos anos depois que ele foi lançado, e devo dizer, Terry Prachett é engraçado em qualquer mídia que ele apareça. Essa música, no entanto é um grande combo do humor, porque além de ter sido escrita pelo bonachão da literatura fantástica ela ainda é cantada pelo ex-Monty Python Eric Idle, uma dupla que não tem como fazer feio.

3 – Still Alive (Portal: PC/Mac/PS3/Xbox360)

O bolo até podia ser uma mentira, mas a habilidade de divertir de GLADOS não era. Depois de derrotá-lo e zerar o jogo, somos brindados com esta canção absolutamente genial cantada por nosso adversário maligno. Sério, deveriam colocar uma regra no mundo onde todo robô deveria ser engraçado que nem o GLADOS, ou no mínimo cantar músicas como essa. E o pior é que a canção é verdadeiramente boa, então você acaba sendo obrigado a ouvir tudo, e tudo meio que é uma piada com a sua cara.

2 – Scientist Salarian (Mass Effect 2 : PC/Mac/PS3/Xbox 360)

Em um jogo sério como Mass Effect, esta canção foi uma surpresa deliciosamente divertida. Mordin Solus certamente merece ir para a lista de um dos melhores personagens dos games depois de sua performance neste jogo. A música é baseada no clássico de Gilbert e Sullivan a Modern Major-General.

Na minha cabeça a tocidinha que ele dá é completamente essencial a música.

1 – The Mighty Poo (Conker’s Bad Fur Day: Nintendo 64)

O Nintendo 64 realmente foi brindado com um grupo seleto de jogos que incluíram os melhores de sua geração, e Conker’s Bad Fur Day é um dos mais engraçados. Mighty Poo sempre será um dos vilões mais icônicos dos games, afinal o cara é um cocô gigante cantor de ópera, algo bem difícil de ser superado. Eu até entendo derrotar um bicho desses com uma mangueira, mas fazê-lo sufocar em papel higiênico não é algo que eu tentaria. E pior, quem fez foi um esquilo fofinho…

Este foi mais um Topscore, diversão inútil para tomar seu tempo no trabalho, não se esqueçam de dar mais sugestões de músicas esquecidas nos comentários. E já que está sugerindo, porque não dizer temas que vocês gostariam que aparecessem nos próximos Topscores.

2 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Divertidíssimo o artigo! Eu não costumo gostar muito de artigos sobre música de video-game, mas esse valeu o trabalho de ficar colocando os vídeos :p

    Já conhecia algumas, mas a da Morte do Terry Pratchett é nova para mim. Adorei! A do Portal tb, e por sinal ouviria sempre elas hahaha

    Mas ainda acho a do Black&White melhor do que 7o lugar. Ela fica na sua cabeça sem enjoar!

Participe com sua opinião!

Street Fighter

Publicado por Felipe Velloso

ColecionadorGibizeiroRepórterSuper-fãs

“Lixo Extraordinário” e “Relicário” de Vik Muniz – O que é arte para você? Parte II

Curtos: O Diabo da Guarita