em

Cosac Naify relança Moby Dick

[Este artigo foi escrito pela colaboradora Ana Slodoba]

Capa de Moby DickA editora Cosac Naify é conhecida por lançar obras que são o sonho de consumo de qualquer devorador de livros: além de apresentar no catálogo obras consagradas, traduções de ótima qualidade e, como charme especial (como se precisasse mais!), material de primeira qualidade e capas caprichadíssimas. E para encorpar ainda mais a lista de clássicos (incluindo Os Miseráveis de Victor Hugo e Anna Kariênina do Tolstói), a editora publicou no último mês Moby Dick, de Herman Meville.
Mantendo o padrão, o livro chega às prateleiras como “a versão definitiva de Moby Dick“. Um dos mais importantes romances da literatura norte-americana, é narrado pelo marinheiro Ishmael, que descreve toda a jornada do navio baleeiro Pequod e, principalmente, a sede de vingança do capitão Ahab – que persegue uma grande cachalote que anteriormente arrancara sua perna.

São mais de 100 capítulos com descrições tão requintadas que absorvem o leitor do início ao fim. No final das contas, acaba agradando a todos os gostos, seja aqueles que querem uma boa aventura, seja por aqueles que queiram uma prosa escrita por um dos grandes artesãos da língua inglesa. E como se não bastasse a história em si ser excelente, a edição da Cosac ainda traz os seguintes extras:
– Tradução de Irene Hirsch, especialista nas obras de Melville (mestrado na USP sobre traduções de Moby Dick (1851) no Brasil; tradutora de Bartleby, O Escrivão) e minucioso trabalho de cotejos e pesquisa de vocabulário náutico por parte do tradutor Alexandre Barbosa de Souza.
– Valioso apêndice, elaborado pelo pesquisador Bruno Gambarotto, com três textos fundamentais para a compreensão da obra:

  • Resenha de Evert Duyckinck, amigo de Melville que acompanhou de perto todas as etapas do romance, publicada em 1851;
  • Clássico ensaio de D.H. Lawrence, um dos responsáveis pela retomada modernista de Melville, que morreu esquecido (1819-1891), incluído em Studies in Classic American Literature, de 1923;
  • Trecho do célebre estudo de F.O. Mathiessen, American Renaissance, de 1941, o maior especialista no chamado Renascimento Americano, que incluía Edgar Allan Poe, Walt Whitman e Herman Melville;
  • – Glossário Náutico ilustrado e uma vasta Bibliografia selecionada e atualizada.
    O preço inicial de 99 reais (um tanto salgado) já está mais baixo em algumas livrarias, como a Saraiva (onde já é possível encontrar a obra por 66 reais). Para mais informações sobre o livro, não deixe de visitar o hotsite na Cosac Naify onde é possível ler o capítulo 85 da história (A Fonte) como degustação. Boa leitura!

    [Este artigo foi escrito pela colaboradora Ana Slodoba]

    alguém opinou!

    Deixe sua opinião!

    Deixe sua opinião

    Publicado por Autores Convidados

    Resenha: As Trevas sob o olhar dos Inocentes!

    Wall-E dançante