em ,

“Crianças do Abismo” de Johann Heys; a descoberta da “magick”

Johann Heyss é um autor a ser descoberto. Não que seja um principiante, ao contrário, tem a rodagem de veteranos na indústria editorial e na literatura já foi publicado por importantes casas brasileiras, além de ser um dos mais respeitados tradutores do país. Sua literatura, entretanto, é indigesta aos que buscam entretenimento sutil e conformismo a partir das letras. Exige atenção e o voltar a ler, recuar linhas, páginas, sempre que necessário.

Em seu “Crianças do Abismo”, da Kotter Editorial, em belíssima composição gráfica, o universo de Heyss é uma cidade do Rio de Janeiro bucólica e desprezada pelo autor em seus recursos naturais, forçando a interiorização da beleza para as descobertas íntimas do personagem principal, o adolescente Ricardo Takahashi em sua busca pelo descortinar de práticas e essências mágicas (a magick) – destacando que o autor tem amplo conhecimento de numerologia e de ciências ocultas, tornando sua narrativa precisa e densa.

A dinâmica de escrita do autor intercala períodos, começa por destacar o findar de acontecimentos surpreendentes e busca reconstruir os fatos que levaram o adolescente Ricardo à situação clímax do livro. Com uma escrita fluída e envolvente, em  132 páginas, o romance de Heyss é sutil, delicado e forte, com a utilização certa de elementos narrativos. Terceiro romance do autor, “Crianças do Abismo” tem interessantes aspectos fantasiosos, linguagem poética e entrecortes temporais que exigem atenção do leitor e reflexão, mas são pontos muito bem costurados, destacando sua possibilidade de fácil adaptação para a linguagem teatral ou cinematográfica.

Adolescente em descoberta da sua essência e sexualidade, com uma relação parcimoniosa com um amigo e conflitante com um primo, Ricardo Takahashi recebe segredos de práticas mágicas incomuns e se arrisca a testá-las, descobre-se enquanto descobre a magia e encerra seu destino às práticas que passou a conhecer.

É um romance que merece ser lido. Se a magia, conforme o personagem Ricardo, não deve ser manipulada por quem dela não entende, Johann Heyss demonstra domínio das técnicas mais apuradas para a composição de suas histórias. Seu romance é dos melhores livros do ano no gênero. É, também, um dos melhores trabalhos da Kotter, casa editorial paranaense.

Johann Heyss, autor de “Crianças do Abismo”, pela Kotter Editorial

Sobre o autor: Johann Heyss é escritor, tradutor e músico. Além da obra literária, têm diversos livros sobre ocultismo publicados no Brasil e exterior (Alemanha, França, EUA, Rússia e República Tcheca). Em 2015 publicou seu primeiro romance “A Fada do Dente” (Amazon) e na sequencia teve editado o “Às Vezes O Buraco É Mais Embaixo” (2017, Patuá). “Crianças do Abismo” foi publicado em 2018 pela Kotter Editorial.

Para comprar: “Crianças do Abismo” pode ser adquirido pela loja online da editora Kotter

 

 

Avaliação: 4,5  de 5

Marcelo Adifa

Publicado por Marcelo Adifa

Marcelo Adifa é jornalista, roteirista e redator. Autor de Exílio (2015); A quem se fizer estrela (2016) e Saltar Vazio (2018), entre outros livros de jornalismo, poemas e romances.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários