em

Em “Ouro” o importante não é sempre vencer. E sim nunca desistir

Do que você abriria mão por outra pessoa? Ou até que ponto você se sacrificaria por alguém que ama?

É isso o que ficamos nos perguntando o tempo todo ao ler “Ouro”Editora Intrínseca (336 páginas) – de Chris Cleave.

capa_ouroKate e Zoe são ciclistas, no topo do ranking e competem juntas desde os dezenove anos. Agora, aos trinta e dois, as duas precisam enfrentar problemas pessoais e treinar bastante se quiserem estar em forma para participar das Olimpíadas de Londres. Só que nem tudo é tão simples assim. Kate é casada com Jack, também atleta e os dois tem uma filha de oito anos, Sophie, que é muito inteligente e fã de Star Wars. Acontece que Sophie tem leucemia e acabou de sair de mais uma bateria de químio e está muito fraca. Logo, Kate tem que se dividir entre ser mãe, esposa, atleta e amiga de Zoe. O que consome tanto do seu tempo quanto cuidar de Sophie.
Zoe é a melhor ciclista da Inglaterra e faz questão de que todos saibam. Adora competir e odeia perder. Por isso está invicta há bastante tempo. Seu rosto figura outdoors pela cidade e ela mora em uma luxuosa cobertura. Mantém à risca sua dieta e treino e tem problemas em se relacionar com outras pessoas, pois possui um desapego emocional enorme. As únicas pessoas com quem ainda consegue manter relações são Kate, Jack, Sophie e Tom, o treinador das duas e que faz das tripas coração para ver suas garotas felizes e campeãs.
Para cuidar da filha, Kate abriu mão de participar de duas Olimpíadas, e agora com a chegada de mais uma vê a chance de enfim conquistar sua tão sonhada medalha. Mas, será que finalmente conseguirá vencer Zoe? E o que isso acarretará na amizade das duas?

“Ouro” é um daqueles livros que são emoção pura do início ao fim. Ele destaca os piores e melhores sentimentos do ser humano. E faz isso claramente com suas personagens. Kate e Zoe são amigas e completamente opostas. Kate é mais coração, altruísta e carinhosa. Enquanto Zoe é narcisista, egoísta e seca. Uma passa a ser o contraponto da outra. Kate sempre quis ser uma vencedora como Zoe, mas ama sua família. Já Zoe gosta de onde está, mas se sente solitária com frequência.
E Cleave constrói isso de uma forma sutil, mas muito inteligente. A narrativa é toda feita na base da tensão emocional. Os poucos momentos de leveza, são quando somos levados ao passado, mas dura muito pouco. As duas possuem vidas conturbadas e um passado repleto de mágoas e traições, que as poucos vai se desenrolando e engrandecendo mais e mais os personagens. Não tem como saber o que está por vir nas próximas páginas.

Uma excelente leitura e que merece uma chance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ativista

Publicado por Melissa Andrade

ColecionadorNarutoRepórterFanáticos por SériesSuper-fãsFotógrafo

“Truque de Mestre” se ilude em seu próprio ode ao ilusionismo

Last Splash, A Fúria Indie dos Breeders