em

Jogos Vorazes – Faz mais barulho do que merece

De tempos em tempos surgem novos fenômenos da literatura. Eles fazem tanto barulho que, mesmo não querendo, acabam interessando. É o caso de Jogos Vorazes (The Hunger Games), lançado no Brasil pela Editora Rocco.

O primeiro livro conta a história de uma destruída América do Norte que se torna a nação Panem, dividida em 12 distritos. Tais distritos são comandados com com rédeas curtas pelo governo chamado de Capital, que anualmente organiza um evento chamado “jogos vorazes” que é transmitido pelo mundo todo em tempo real. Tal atividade tem como função mostrar o poder que o Capital tem sobre os distritos que vivem dias de miséria. Em cada competição, um menino e uma menina de cada distrito com idade de 12 a 18 anos é sorteado para participar dos jogos e lutar até a morte. Somente um pode sair vencedor.

É então que conhecemos Katniss Everdeen, uma garota séria, triste que tem como principal função trazer comida para casa. Seu pai é falecido e ela toma para si o dever de cuidar da mãe e da irmã, Prim, sua adoração, da melhor forma que pode. Passa os dias na floresta caçando animais, frutas, para trocar por outros alimentos e itens na cidade.  Sua vida muda radicalmente quando o nome de sua irmã é sorteado na urna dos Jogos e ela se voluntaria para ir em seu lugar.

Longe da família, Katniss deverá aprender que o mais difícil não é apenas sobreviver e sim o jogo da política. Junto com ela também é escolhido Peeta Mellark, o filho do Padeiro, um garoto com quem Katniss tem pouquíssimo contato. Durante o treinamento dos dois, Katniss faz descobertas que podem ajudar ou prejudicar seu desempenho na competição. Ela vai ter que ser forte, esperta e tentar ao máximo sobreviver a esse jogo. Mas, o vento pode lhe soprar a favor e o que antes parecia uma loucura, pode lhe salvar a vida.

Em uma estranha mistura de ficção com romance e realidade, Jogos Vorazes não cumpre o que promete. Todo o barulho à sua volta não passa de um ruído. A grande promessa em prender e interessar o leitor se perde durante a própria narrativa que embola momentos de ação com os ideais da personagem e o cenário que ela habita. A mesma confusão de sentimentos que Katniss sente é passada à risca para os leitores, porém não de uma boa maneira. E a sua revolta para com os jogos e o Capital não é muito bem explorada, deixando um ótimo gancho no ar, para apostar mais na parte de romance nesse início da saga. Talvez o segundo livro seja diferente, para quem quiser arriscar.

Para uma trilogia, esse primeiro livro não te prende a ponto de querer muito ler o segundo. Mas é válido, é uma história que trata de um assunto diferente dos abordados atualmente. Lembra, de longe, o filme e mangá Battle Royale, no qual estudantes são deixados em uma ilha e travam batalhas sangrentas até a morte para conseguirem escapar.

Há quem pense diferente, ou esteja visando os lucros, pois Hollywood está preparando uma versão cinematográfica da história. As filmagens foram concluídas no início desse mês e tem data de estréia para Março do ano que vem. No elenco estão Jennifer Lawrence como Katniss, Josh Hutcherson como Peeta e Liam Hemsworth como Gale. A autora Suzanne Collins também é responsável pelo roteiro do longa, que tem como produtora a Lionsgate.

A trilogia conta com uma legião de fãs que estão ansiosamente aguardando pelo lançamento do longa metragem. Portanto recomendo que aproveitem e leiam o livro antes que Hollywood o faça por vocês.

[xrr rating= 2.5/5]

Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Páginas: 400
Ano: 2010

2 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Tenho orgulho de ter a trilogia Jogos Vorazes na lista de livros favoritos. Entre Jane Austen, Charlotte Bronte, Tolstoy e J. K. Rowling. Tenho plena certeza que será um clássico no futuro, e com razão. Recomendo a literalmente todos que conheçco e até agora todos gostaram. MUITO. É bem escrito, com linguagem inteligente e história fascinante. Crepúsculo faz mais barulho do que merece. Jogos Vorazes faz estrondo POR QUE merece, e muito.

  2. Discordo completamente da critica, o livro é muito bom, sim claro existem furos em suma como na maioria, porem o livro tem uma narrativa forte, original e fantastica.
    O primeiro livro da serie, em seus primeiros capitulos de fato luta para prender o leitor com seu lento inicio.
    Porem a partir do inicio dos jogos vorazes em si, a leitura lenta, torna-se deliciosa, viciante e eficaz a ponto de deixar seu leitos acordado na morada da noite.
    Recomendo a todo, otima trilogia, o mesmo foi bem criticado, pois merece a atenção que esta tendo.
    Vejo nessa critica, que se mostra fajuta, o lado pessoal da preferencial critico; pessimo exemplo, pois em qualquer critica, devemos deixar nosso proprio gosto de lado, e criticar a obra pelo seu conteudo, e não pélo mal gosto pessoal!

Participe com sua opinião!

Ativista

Publicado por Melissa Andrade

Missão Madrinha de Casamento

Prévia: Fifa 12 X PES 2012