em

"O Segredo do Meu Marido" e os muitos 'e se' de nossas vidas

Não há uma pessoa nesse planeta inteiro que não fique se perguntando o que teria acontecido se tal situação tivesse sido diferente. E se não fizesse faculdade e fosse viajar, teria sido melhor? E se meus pais não tivessem se divorciado? E se minha avó ainda estivesse viva? E se eu não tivesse pedido demissão? Dúvidas, dúvidas, dúvidas. A verdade é que elas sempre existirão, mas continuarão sem respostas, pois não há como prever o passado/futuro de nossas ações. Apenas especular a respeito.

Capa_OSegredoDoMeuMarido_WEBEm “O Segredo do Meu Marido” a australiana Liane Moriarty dialoga com o leitor sobre essas questões tão cotidianas em uma história cativante, divertida e reflexiva em certos aspectos.

Cecilia Fitzpatrick tem o que muitos consideram a vida perfeita. Bem casada, mãe de três lindas e inteligentes meninas, ainda dá conta de ser representante da Tupperware (surpresa, ainda existe em alguns lugares), organizar ótimas festas e ser responsável pelas reuniões dos Pais e Professores. Não há nada que ela não consiga resolver e não há ninguém que ela não conheça bem.

Tess e Will são casados, tem um lindo filho de seis anos chamado Liam e possuem uma agência de anúncios juntamente com a prima de Tess, Felicity. Durante toda a sua vida, Tess nunca desgrudou de Felicity e as duas eram inseparáveis. Até agora.

Rachel Crowley é uma senhora viúva que tem como alegria na vida cuidar de seu neto Jacob de dois anos. Infelizmente, seu filho e a esposa pretendem mudar para Nova Iorque, algo que não a agrada muito. Se não bastasse isso, Rachel perdeu uma filha adolescente e amargura o fato de nunca ter encontrado todas as respostas.

Vivendo todos na mesma comunidade, a ligação ficará mais intensa quando certos segredos do passado vierem a tona subitamente, exigindo soluções e respostas.

Como a própria autora afirma no livro, segredos e suas consequências podem ter o efeito da caixa de Pandora e todos sabem o que acontece com aqueles que ousaram abri-la. Quanto mais fundo e enterrado ele esteja, pior será para limpá-lo quando ele for descoberto e acredite, sempre o é. Será que faria diferença se questionar o que teria mudado ou não?
Misturando as narrações dos personagens em uma narrativa simples, mas muito bem construída, Moriarty consegue cativar o leitor com uma história aparentemente clichê, mas que se mostra muito mais profunda conforme vai caminhando para o desfecho. Talvez os mais atentos descubram qual é o tal segredo do marido, mas acreditem quando digo que isso não importa tanto para a trama. O que Liane tenta nos mostrar é a mudança de comportamento das pessoas quando possuem um segredo e a diferença que tem em suas vidas. Guardar um segredo, não importando o tamanho, equivale a carregar um peso nas costas, e com isso a necessidade de dividir se torna ainda maior, o que é inerente a natureza humana. Adoramos partilhar as boas notícias, que dirá as más.

Todavia se você gosta de romances, dramas leves e enredos com muitos personagens, “O Segredo do Meu Marido” (Editora Intrínseca – 368 páginas) é uma boa pedida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *