em

Com música sobre o tema, Lyria fala sobre o Dia do Orgulho Autista

Com música sobre o tema, Lyria fala sobre o Dia do Orgulho Autista (Crédito Roberta Guido)
Com música sobre o tema, Lyria fala sobre o Dia do Orgulho Autista (Crédito Roberta Guido)

No dia 18 de Junho é  comemorado o Dia do Orgulho Autista, data criada pelo grupo Aspies for Freedom, dos Estados Unidos. Na música, o Lyria – banda brasileira de metal sinfônico – é um dos principais nomes, levando conscientização para os fãs sobre o transtorno. É com objetivo de mostrar que o rock e o autismo podem conviver juntos, que o Lyria aborda na música e clipe “The Rain” a situação dos diagnosticados no Espectro. A canção foi inspirada em um poema autobiográfico de um fã autista.

Tudo começou em 2014, durante a campanha de financiamento coletivo para o disco “Catharsis”. Uma das recompensas, era escolher o tema de uma música do Lyria, e foi assim que Warren Mayocchi, da Austrália, sugeriu o autismo como assunto da canção, a ser lançada no álbum seguinte, Immersion (2018). A letra de “The Rain” e o poema de Warren, estão disponíveis em seu livro “Human: Finding Myself in the Autism Spectrum”.

“Essa música tem um significado muito especial por tratar de uma questão tão sensível. A sensação da liberdade em estar sozinho, a experiência sensorial com a chuva, a fascinação da infância e a realidade da vida adulta, a necessidade de esconder seu verdadeiro eu para ser aceito na sociedade, etc. Mas o fator mais marcante é que ele percebe que pode ser amado, mesmo sendo diferente. Cada um de nós é uma peça única de um grande quebra-cabeça, e todos são importantes para a engrenagem funcionar.”, conscientiza Aline Happ, vocalista do Lyria.

Quem também leva o conhecimento sobre a causa dos autistas é o baterista do Lyria, Thiago Mateu, que acredita que a música também pode ser terapêutica para autistas, como no caso de Miguel, aluno há sete anos do músico:

“Todo autista escolhe o seu ponto de fixação, e ele escolheu a música, especificamente a bateria. Ele até flerta com outros instrumentos, mas nada com a habilidade que ele toca a bateria. É um diferencial total que contribui no desenvolvimento dele. Se eu deixo de montar a bateria corretamente ou esqueço de colocar o prato, ele pergunta: E o prato, cadê o prato? Como pessoa, passei a enxergar o mundo de forma diferente e todo dia aprendo algo com o Miguel”, comenta Thiago, que aperfeiçoou o método de ensino.

O Lyria busca a visibilidade para o diagnóstico do transtorno, que pode ser feito a partir do primeiro ano de vida. Como simpatizante da causa, o objetivo é possibilitar o reconhecimento dos autistas como indivíduos capazes de aprender, superar os obstáculos e contribuir para uma sociedade mais justa.

Participe com sua opinião!