em

Fresno perde boa oportunidade com clipe gravado no espaço

Não sou fã da banda Fresno, ou mesmo já tive vontade de parar e ouvir o trabalho dos caras após escutar algumas de suas músicas pela mídia, mas ao descobrir que eles tinham gravado parte do videoclipe da música Infinito no espaço e que o projeto havia custado cerca de cem mil reais, fui levado pela curiosidade e resolvi me dar nova oportunidade de escutar um novo trabalho da banda.

Com algumas cenas iniciais inspiradoras, me animei pensando que a banda e os idealizadores do clipe poderiam ter acertado em cheio, mas, infelizmente, não é o caso. A começar pela estética “Transformers de Michael Bay” no título, o resto do vídeo segue uma linguagem visual meio publicitária meio cinema bollywoodiano, parecendo mesmo que nenhum dos realizadores possui propriedade cinematográfica.

Não vale a pena nem mencionar os demais (d)efeitos especiais, que na brincadeira de simular uma interface high-tech, passou mais perto daqueles filmes que o SBT e a Band costumavam exibir durante a tarde. Confiram por si o famigerado resultado:

Quanto à música, realmente não me pegou; ou mesmo o clipe ruim atrapalhou o resultado. No fim, acabei me questionando se realmente é preciso tanto esforço para divulgar uma música.

Participe com sua opinião!

Ímpar

Publicado por Salvador Camino

ModeradorVerificadoPromotor(a)EscritorGamerRepórterMusicistaFotógrafo

“Reconhecimento de Padrões” – Sim ou não?

Valente – Bonito, divertido e fraco para os padrões Pixar