Grandes momentos de João Gilberto | Música | Revista Ambrosia
em

Grandes momentos de João Gilberto

1958 foi o ano em que se consolidavam dois ícones universais da cultura brasileira: a nossa seleção canarinho, campeã da Copa da Suécia realizada naquele ano, e a Bossa Nova. A segunda, nasceu de um mítico 78 rotações que em seu lado A, “Chega de saudade” e no lado B, “Bim bom”. Graças a esse compacto, gravado pelo baiano João Gilberto a música brasileira conquistou o planeta e o gênero Bossa Nova é, até hoje, uma das principais referências não só da música nacional, mas na produção musical no mundo.

João Gilberto faleceu hoje (sábado, 06 de julho), aos 88 anos e revolucionou a forma de se fazer o que ficou conhecido como MPB. Sua filosofia era um banquinho e um violão. Bastava isso para se criar pérolas. Cultuado no Brasil e admirado no mundo inteiro, gravou discos aqui e nos Estados Unidos, excursionou por Europa, Japão lugares onde se apresentou em shows e festivais.

Era conhecido pelo temperamento difícil. Era rígido em relação à acústica de seus shows e não tinha o menor receio de criar caso com a plateia. Já na década de 1960, abandonou o palco ao ouvir a plateia cantar “quem quem” em “O pato”. Em 1992, quando tocou no Municipal ao lado de Tom Jobim, queixou-se dos zumbidos da caixa de som.

Outra passagem que se tornou mítica foi na inauguração do Credit Card Hall, em 1999. Reclamando do retorno do som da casa (criou até um personagem, o “Mr. Eco”), além de resmungar “com esse som, só mesmo cantando ‘Desafinado'”, “o pato sou eu”, “tomara que Caetano (que participaria da apresentação) chegue logo”, ou ainda “nasci em Buenos Aires, estou com saudades de lá”, ele irritou a plateia, que começou a vaiá-lo. Ele respondeu cantando a frase que ficou famosa: “Vaia de bêbado não vale”. Isso fora as confusões por causa do ruído do ar condicionado que supostamente interferia nas execuções das canções.

Ranhetices a parte, é inegável a importância de João Gilberto para a música mundial. Por isso, vamos recordar alguns grandes momentos do pai da Bossa Nova.

Álbum “Chega de Saudade”

 

Desafinado

Violão Amigo

Chega de Saudade (com Tom Jobim)

Samba de uma Nota Só

Só Danço Samba

Manhã de Carnaval

Participe com sua opinião!