em ,

Hic Sunt Dracones: Radiohead

Hic Sunt Dracones” (Aqui Há Dragões, em tradução livre) é um termo antigo da cartografia medieval que designava nos mapas lugares perigosos ou desconhecidos.

Nesta coluna, ainda de regularidade incerta, me aproprio do termo para expor e dissertar sempre sobre sete músicas incríveis e corajosas, que de alguma maneira carregam seu músico ou banda para além do comum.

E para começar está série, nada melhor que a banda inglesa Radiohead, o grande ícone músical deste novo milênio.

Everything in it’s Right Place

A música que mudou toda trajetória da banda Radiohead. Segundo entrevista de Thom Yorke, vocalista da banda, “Everything in it’s Right Place” foi composta após um grande show da turnê OK Computer, quando então a banda havia se tornado a principal expressão do rock, mas Thom acordava diariamente como se tivesse passado a noite chupando limão.

Com esta música, os integrantes do Radiohead deixaram para sempre o rótulo de banda de rock alternativo e assumiram o papel de líderes de um novo movimento de rock experimental, incorporando influências de música eletrônica, jazz e bossa nova.

All I Need

Quinta música do álbum “In Rainbows”, All I Need revela em seu caráter denso toda angústia característica da banda. Uma fantástica mistura de poesia e aflição pela bateria simbolizando o ritmo cardíaco, ganhando uma tensão opressora no final da música.

Segundo Thom Yorke, a versão que conhecemos de All I Need não passa de uma grande mistura de outras quatro versões que a banda trabalhava para a música.

A Wolf At the Door

Brincando com contos de fadas e situações reais, A Wolf At the Door foi escrita por Thom Yorke enquanto observava no trem a classe burguesa da Inglaterra. A letra também mistura medos e aflições modernas com fatos cotidianos vividos ou descobertos por Yorke, principalmente referentes a sua visão particular do indivíduo moderno.

Lançada no álbum político “Hail to Thief”, de 2003.

Staircase

Staircase não se encaixa em “King of Limbs”, assim, mesmo composta nas mesmas sessões do disco em questão, foi lançada separadamente e hoje integra o setlist da turnê atual do Radiohead. Sua musicalidade lembra as faixas de “In Rainbows”, e para executar a música a banda conta com Clive Deamer (Portishead) na percussão, que por também ser careca parece criar uma ilusão de ótica para quem assiste ao show despreparado.

De letra minimalista, Staircase também cria esperanças para o futuro da banda.

Last Flowers

Quais seriam suas últimas palavras para alguém em um hospital? Mesmo de origem incerta, é assim a linda música de Thom Yorke ao piano para o disco bônus de “In Rainbows”

“It’s too much / Too bright / Too powerful”

Climbing Up the Walls

Sabe aquela sensação de estresse causada pelo medo do desconhecido? Assim é “Climbing Up the Walls”, música escrita por Thom Yorke quando ele trabalhou numa instituição para doentes mentais e o governo inglês implantou o criticado programa de tratar doentes mentais na casa dos familiares, o que gerou medo e instabilidade nas pequenas comunidades.

De modo geral, é também uma música assustadora que reflete também outras fobias psicológicas.

There There

“Just cause you feel it, doesn’t mean it’s there.”

Mesmo que a letra fale sobre um relacionamento desabando, a verdadeira mensagem de “There There” se aplica a toda situação onde somos levados pela sedução da ilusão e os perigos que isso representa na vida.

alguém opinou!

Deixe sua opinião!

Participe com sua opinião!

Ímpar

Publicado por Salvador Camino

ModeradorVerificadoEncantador(a)Radialista

12 Wallpapers para 2012: Animê

As melhores HQs publicadas nos EUA em 2011 – Alternativas e clássicas