em

Luiz Caldas em collab com Leo Fazio e Dieguito Reis, da Vivendo do Ócio

Leo Fazio e Dieguito Reis - Credito Sue
Leo Fazio e Dieguito Reis - Credito Sue

O cantor, compositor e multi-instrumentista Leo Fazio (SP) convida Luiz Caldas e Dieguito Reis no single “Não Vá Tão Longe”. A música popular brasileira das décadas de 70 e 80 não seria a mesma sem a influência de Luiz Caldas. Precursor do que anos depois se tornaria o axé, o cantor, compositor e multi-instrumentista dá voz aos versos fáceis e sinceros da nova música de trabalho de Leo Fazio. O lançamento ficará disponível no dia 27 de agosto e acontece pelo selo paulista Seloki Records.

A criação de “Não Vá Tão Longe” começou quando, ainda em 2019, o cantor finalizou a montagem de seu home studio e começou a compor novas faixas. Desta safra surgiram as 18 músicas que estarão presentes no disco “Paranoia”.

“Na época eu estava ouvindo muita coisa diferente, do jazz ao rap, da vanguarda paulista à MPB, tentando achar uma relação entre Itamar Assumpção e King Krule, Steve Lehman e Arrigo Barnabé, Tyler The Creator e Tom Jobim, Frank Ocean e Elis Regina, Tom Zé, John Coltrane, Thelonious Monk e assim por diante, tentei absorver o máximo possível de referências de fontes diferentes para depois tentar juntar tudo e criar algo a partir disso”, relembra Leo Fazio.

Desta viagem pelas influências surgiu o single “Não Vá Tão Longe”, o single vem após o lançamento do EP “Se Pá” (2020), que chamou atenção da NPR Music, e precede o seu segundo disco, “Paranoia”, com previsão de lançamento para 2022. É neste single que graças a parceria ilustre de Luiz Caldas e de Dieguito Reis (baterista da Vivendo do Ócio), o artista consegue unir as referências que sempre buscou: música boa e universal.

“Pela primeira vez eu acho que cheguei muito perto do som que eu queria, que eu imaginava na minha cabeça na época, acho que com esse trabalho eu consigo definir bem claramente minha estética sonora e visual (desse momento pelo menos)”, define Leo Fazio.

Multi-instrumentista e dono de uma voz peculiar, Leo Fazio é um poço sem fim de referências, indo de Mutantes a Itamar Assumpção, passando por Bob Dylan e King Krule. Em sua discografia é possível destacar o álbum de estreia “Sangue Pisado & a Música do Século XXI” (2019), que recebeu excelentes críticas no Brasil e em Portugal, e os EPs “Cobra-Coral” (2018) e “Se Pá…” (2020).

Não Vá Tão Longe - Leo Fazio, Luiz Caldas e Dieguito Reis (capa)
Não Vá Tão Longe – Leo Fazio, Luiz Caldas e Dieguito Reis (capa)

Precursor do que chamamos hoje de Axé Music, Luiz Caldas é um dos grandes nomes da música brasileira. Com mais de 100 álbuns lançados e milhões de discos vendidos, ele é conhecido pelos hits “Haja Amor”, “Tieta” entre outros. Foi na década de 80 ao juntar o pop, o reggae, ijexá, frevo e samba, originou-se o axé, o qual ele é considerado o pai do gênero musical. Recentemente, iniciou um projeto em que disponibiliza músicas gratuitas lançadas mensalmente em seu próprio site.

Já Dieguito Reis ficou conhecido por ser baterista da banda Vivendo do Ócio, uma das principais bandas do rock brasileiro. Porém a sua arte também é dividida como produtor, DJ, instrumentista e compositor. Além da Vivendo do Ócio, ele também toca em seu projeto solo, que une referências que vão desde Curumin a Anderson Paak.

Esta foi a primeira vez que Leo Fazio produziu toda a canção do zero, mas foi com o apoio de Carlos Tupy (mixagem) e Christiano Tavares (masterização) que o trabalho foi finalizado. Esta parceria é uma amostra do que virá com o lançamento do disco, que também contará com mais participações especiais. A ficha técnica traz Luiz Caldas (voz), Leo Fazio (backing vocal, piano, synth bass, clarinete, cuíca e beat), Dieguito Reis (voz – rap), Skipp is Dead (guitarras) e Leon Perez (synths). As fotos da capa e de divulgação são creditadas a Sue, com direção artística e figurino por Aniko.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *