Ambrosia Lançamentos “Palhaço” une Jeza da Pedra, DJ MAM, Donatinho e TechnoBrass em lyric video

“Palhaço” une Jeza da Pedra, DJ MAM, Donatinho e TechnoBrass em lyric video

Reinventando uma estética carnavalesca brasileiríssima e dançante, o projeto Carnaval Remix chega à quarta edição com um novo compacto, já disponível nos serviços de streaming pelo pelo selo Sotaque Carregado, via Sony Music Brasil. Dessa vez, o projeto une sudeste, norte e nordeste em duas faixas, com Silvan Galvão e Carimbloco somados aos beats do DJ soteropolitano Lucio K; e “Palhaço”, hit do carioca TechnoBrass que agora ganha rap inédito de Jeza da Pedra e remix de DJ MAM e Donatinho. A letra incensada aparece em destaque no novo lyric video, já disponível online.

Indo de referências locais – como os bate-bolas, figuras carnavalescas populares no subúrbio do Rio de Janeiro – e globais, como o conservadorismo em ascensão no cenário mundial, Jeza da Pedra entrega uma letra provocadora e atual. Ao colocar em pauta temas como as eleições presidenciais, fake news e polarizações, o artista questiona quem se beneficia, de fato, de “ver o circo pegar fogo”.

“Me veio à cabeça um documentário sobre como a neurociência explica fenômenos políticos ligados a atual onda de conservadorismo no mundo. Pensei numa parada que li chamada ‘teoria do gerenciamento do terror’ e como as pessoas abraçam os discursos extremistas por uma espécie de medo e instinto de sobrevivência. Pensei na palhaçoterapia e a sua contribuição no SUS, viajei na ideia de bate-bolas, no arquétipo do Exu Catiço cultuado na umbanda, em figuras como Gentileza, Trump e o Bozo, é claro. Fiquei me perguntando como se deu o processo de transformação da figura do político e do palhaço, a partir de que momento essas profissões obtiveram uma conotação negativa na linguagem popular”, explica Jeza.

Nome em alta na cena rap carioca, Jeza da Pedra segue trazendo novidades após encerrar 2018 com uma edição deluxe de seu bem-recebido EP de estreia, “Pagofunk Iluminati”. No ano passado, o artista divulgou “Junto ao meu lado”, um single em parceria com Sofia Vaz, da banda Baleia, produzida pelo beatmaker Rick Beatz. Agora, Jeza se dedica a um novo álbum em parceria com o músico e produtor Kassin. O disco será lançado ainda no primeiro semestre.

Coroando essas novidades, “Palhaço” traz em seu DNA a proposta única do projeto Carnaval Remix, idealizado pelo DJ MAM. O trabalho reimagina músicas de artistas e blocos que atraem multidões pelo país, misturadas com a efervescente música eletrônica nacional. As recriações de DJs e produtores de diferentes regiões do país se encontram com gêneros e estilos brasileiros por excelência, oferecendo um olhar diferenciado sobre a nossa cultura carnavalesca.

Não por acaso, a ideia surgiu após MAM dividir palcos com a Orquestra Voadora, Bloco Quizomba e Rio Maracatu – esta última colaboração fez nascer a banda Sotaque Carregado, que hoje dá nome também ao festival, disco do DJ MAM e selo. Do desejo de explorar mais a sonoridade das brass bands, veio a busca por um entrosamento maior entre a parte harmônica e os arranjos, dos percussivos aos eletrônicos. Apenas uma década depois é que o Carnaval Remix ganharia a forma que tem hoje, mas o samba e a festa popular sempre estiveram presentes na vida do artista. Desde os sete anos, quando morava na Penha, próximo aos tradicionais blocos Cacique de Ramos e Bafo da Onça, ele se fantasiava de bate-bola. Aos nove, virou mascote de uma turma de bate-bola organizada, a Scartet. No bloco Unidos da Tocantins, no Méier, aprendeu a tocar tamborim e repique. Logo surgiu a primeira composição, “Eu tô com fome”, que acabou sendo gravada posteriormente no álbum “Sotaque Carregado”, lançado em 2012.

“O samba sempre esteve em mim, assim como a música eletrônica. Curiosamente, o samba e suas matrizes afro-brasileiras têm o andamento próximo ao do Miami Bass do Bambaata, que na antropofagia das favelas, deu início ao tamborzão do funk carioca, nossa mais genuína música eletrônica. Tudo isso acaba renascendo na série Carnaval Remix, pelas mãos de um time muito unido, que trabalha apaixonado por nossa diversidade, não somente no mês de fevereiro, mas durante o ano todo, tirando timbres da raiz ao contemporâneo”, reflete MAM.

O Carnaval Remix já conta com outros três lançamentos, reunindo colaborações como Manie Gang, DJ Raiz, Roda de Samba da Pedra do Sal, Zedoroque e mais. Estão previstas outras edições – entre elas, uma recriação de “Amor de Carnaval”, composição de Moraes Moreira para o Monobloco, reimaginada por Marcelinho da Lua.

O Carnaval Remix acontece pelo desejo latente de blocos e DJs em colaborarem e explorarem outras possibilidades sonoras. De início, Marcelinho e Pedro Luís apoiaram o projeto, a família Orquestra Voadora também abraçou a ideia, assim como a festa Manie Dansante. A partir do remix de Psirico e ÀTTØØXXÁ feitos por João Brasil, MAM começou a reunir um time de DJs para reimaginarem blocos e artistas ícones do Carnaval – entre eles o paulistano Deeplick e Lúcio K. A partir do remix que fez de “Anunciação” para o projeto Brazilian Lounge, MAM convidou Ruxell para recriá-lo, com bênção do próprio Alceu Valença. Preta Gil cedeu uma sessão aberta para ser também reimaginada, e a partir daí o Carnaval Remix ganhava forma, nascendo em sintonia com a diversidade da nossa música.

“Carnaval não é putaria, é amor! Falamos desse amor, mas, além de amor como arte, o ‘Carnaval Remix’ dá voz aos compositores que levam as massas ao êxtase, manifestando não só a alegria, mas o seu descontentamento. Acredito que esse projeto nasça dessa necessidade de dividir o palco desse amor por essas duas culturas que me habitam: a global da música e a de raiz de nossa cultura”, finaliza o DJ MAM.

Até o momento, são oito remixes (e outros oito, ainda inéditos); duas noites onde ganhou São Paulo, com sucesso de público no Sesc Pompeia; e quatro eventos de lançamento no Rio Antigo e na Zona Portuária, onde o público pode ouvir com antecedência as faixas a serem lançados bimestralmente.

Foi o caso do baile que aparece no lyric video de “Palhaço”, reunindo em um só palco os beats reconhecidos internacionalmente do DJ MAM, as teclas de Donatinho, a fanfarra de fôlego da TechnoBrass e o flow de Jeza da Pedra. O resultado é uma faixa que conecta o trap e o dub ao funk carioca, em uma verdadeira homenagem ao tamborzão de Mr. Catra.

A faixa estreou no picadeiro do Circo Crescer e Viver, onde também foi gravado o lyric video, durante o 5º Festival Internacional de Circo. Novos lançamentos do Carnaval Remix serão anunciados em breve.

Participe com sua opinião

Por favor preencha o comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação